NOVO ANTIGO DESAFIO (DESDE 2004)

Como divulgado, o NDC (New Distribution Capability) é o programa lançado pelo IATA para o desenvolvimento e adoção, pelo mercado de distribuição de reservas aéreas, de um novo padrão de transmissão de dados (NDC Standard), com objetivo das companhias aéreas apresentarem ao mercado uma nova variedade de ofertas de tarifas e de serviços (tipos de tarifas aéreas, produtos e serviços auxiliares e/ou uma combinação de ambos).

O NDC também pode incluir informações mais completas sobre os produtos e suas características fornecendo conteúdo rico (rich content), como descrições detalhadas, imagens em boa resolução, vídeos etc.

O que o NDC oferece não é totalmente novo. É muito parecido com a forma com que os GDSs se conectam a cias. aéreas “low cost” e como algumas companhias aéreas já distribuem seus produtos por canais diretos (direct connect), mais conhecido no Brasil como conexão XML, utilizada por sistemas de self-booking, integradores, de gestão de viagens corporativas, de consolidadores e de operadoras turísticas.

Como o desenvolvimento deste novo padrão NDC é aberto e conta com o apoio de algumas das principais empresas de tecnologia de todo o mundo, seu conceito está caminhando para padronizar e igualar as oportunidades de distribuição do inventário de todas as cias. aéreas por todos os players, indistintamente.

Com o NDC, os sistemas de reservas das cias. aéreas, os GDS, os sistemas integradores de conteúdo, os self-booking tools, todos os sistemas que fazem parte da teia de distribuição de reservas aéreas, deverão ter os mesmos recursos, oportunidades e oferta de conteúdo.

Por isso, acredito que serão muitas as vantagens, tanto para as cias. aéreas, para os fornecedores de tecnologia de distribuição, para as agências de viagens, mas principalmente para os clientes, sejam corporativos ou de turismo, uma vez que o NDC permitirá que os diversos serviços e preços, de diferentes cias. aéreas, possam ser comparados numa mesma plataforma, gerando mais agilidade e maior transparência ao processo de compra, facilitando muito a decisão do cliente.

E quando me refiro a igualdade, não é propriamente do modelo de distribuição, mas a padronização das oportunidades de distribuição do inventário de todas as cias. aéreas.

Pode parecer pura semântica, mas não é.

O modelo de distribuição de serviços de viagem, sejam serviços de transporte aéreo, serviços de hospedagem ou qualquer outro, não é estabelecido pelas cias. aéreas ou hotéis, mas pelo conjunto de atores do mercado (fornecedores, distribuidores e consumidores).

Igualar as oportunidades de distribuição fortalecerá ainda mais a distribuição multicanal, uma vez que dotará todos os sistemas das mesmas capacidades e padrões tecnológicos, permitindo que cada um estabeleça seus diferenciais baseado somente em qualidade e preço.

Obviamente que isso nada tem a ver com as políticas comerciais de cada cia. aérea, ou seja, o NDC não tem o propósito de padronizar a estratégia de distribuição das cias. aéreas, nem mesmo de qualquer empresa desta imensa teia de distribuição, mas de padronizar os recursos tecnológicos dos diversos sistemas distribuidores.

O Reserve foi convidado pelo IATA para integrar o grupo de empresas de tecnologia que estão influenciando este novo padrão, justamente pelo fato de termos sido pioneiros em desenvolver um sistema que transforma inúmeros diferentes “hostings”, de diferentes formatos, em um único padrão (atualmente, o nosso padrão Reserve).

Conceitualmente, o atual desafio tecnológico do NDC é justamente aquilo que nos impulsionou, que foi nossa mola mestra, em 2004.

Levamos nossa tecnologia “Made in Brazil” ao IATA para mostrar como fazemos, há mais de 10 anos, para organizar e padronizar informações fragmentadas de centenas de cias. aéreas, distribuídas por Navitaire, TTI Cions, MySky, Farelogix, Sabre, Amadeus, Travelport etc. e mostrá-las numa mesma interface padronizada, independentemente da origem e do formato dos dados, para o consumo de 2 milhões de usuários ativos, colaboradores de quase 20 mil empresas, por sua vez clientes de 100 agências de viagens corporativas.

Breve, teremos novas notícias sobre esta inovação global que influenciará todo o mercado mundial de distribuição de reservas e serviços das cias. aéreas.

.

Postagens relacionadas

Published by

Luís Vabo

Fundador e VP da Abracorp e da ABAV Nacional, fundador e CEO dos​ Sistema​s​ Reserve e da Solid Corporate Travel, Luís Vabo é entusiasta da inovação, do empreendedorismo e da alta performance, além de corredor de rua, tenista amador e nadador eventual.

2 thoughts on “NOVO ANTIGO DESAFIO (DESDE 2004)

  1. e isso ai amigo ….Parabéns …. você merece….fiquei feliz quando li a noticia… agora uma pergunta que não tem a ver com assunto mais e o assunto da hora que pode ser ate sua proxima post …você acredita que vai ter Uber pra aviação? você concorda com o Uber ? o sistema reserve aprova Uber ?

    1. Obrigado, Mohammed,

      Estamos trabalhando e esse reconhecimento da IATA coroa nosso aniversário de 10 anos.

      Sobre o Uber, tenho sim uma opinião bastante clara sobre cada uma de suas perguntas acima, que coincidem com a entrevista que concedi hoje mesmo ao jornalista Diego Verticchio sobre este tema.

      A matéria do Diego deve sair na próxima edição do Jornal Panrotas.

      []’s

      Luís Vabo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *