FEEDBACK DE DENTRO DO FORUM PANROTAS

Participamos do Forum Panrotas desde o início, Solange palestrou em uma das primeiríssimas edições, passamos a patrocinar há cerca de 7 anos, sempre procuramos contribuir de alguma forma e nesta edição 2017 tive a oportunidade de moderar o David Barioni no painel sobre empreendedorismo, tema que pesquiso e me interesso há alguns anos.

Desde 2010, quando o Panrotas convidou-me para o ofício de blogueiro, passei também a postar aqui as minhas opiniões sobre o Forum Panrotas, com o propósito de oferecer um feedback para meus amigos organizadores do forum, sempre com absoluta transparência e liberdade de expressão, características que estão no DNA da Panrotas.

O que me surpreendeu no Forum Panrotas 2017:

1) A quantidade de participantes
Seria até natural alguma redução na quantidade de inscritos, devido à crise econômica, mas o evento esteve lotado nos dois dias, em praticamente todos os painéis.

2) A aderência ao Grand Hyatt
Para um evento que nasceu e cresceu no formato da Fecomercio SP e experimentou o WTC Golden Hall, as salas do Hyatt funcionaram bem, apesar das oscilações da internet que chegaram a interromper a transmissão no FB Live.

3) A capacidade de se reciclar
Enquanto edições anteriores pesaram em temas como mídia e marketing digital, esta edição 2017 equilibrou bem os assuntos, entre aqueles mais tradicionais (economia, fidelização, gestão, pesquisa e política), e as mais atuais (experiência do cliente, multiculturalismo, inovação, empreendedorismo e design), e ainda houve espaço para abordar temas relacionados aos principais serviços do mercado de viagens e turismo (cias. aéreas, hotelaria e locadoras).

Percebi também uma maior valorização dos empresários e profissionais do trade, gostei de ver a participação do Louro, Patriani, Perez, entre outros, e ouvir nomes como Elói, referência ao seu ineditismo na franquia de turismo no Brasil, e de Gargioni, reverenciado por sua lealdade (por Guillermo) e por sua liderança (por Barioni), entre outros nomes experientes de nosso mercado.

Precisamos e temos boas referências, nosso mercado foi construído por personagens como estes e se nós não formos capazes de reconhecer o valor do legado destes empreendedores, quem o fará?

Entre os painéis que assisti da plateia, destaco 3 no primeiro dia e 2 no segundo dia:

1o. dia – Segunda-feira 13/03/17

Tendências e transformações na experiência do viajante
– Nienke Bloem (consultora)
Painel bem informativo, com a palestrante tranquila, muito bem preparada e, como me disse o Guillermo, com uma pronúncia clara do idioma, que facilita o entendimento e a interação da plateia. Logo no início, este painel deu o tom da expressão mais utilizada em todo o evento: “experiência”.

Os insights de Nienke Bloem e sua oratória, fácil de entender, agradaram a plateia

Multiculturalismo nas empresas como fator de competitividade
– Apoorva Gandhi (Marriott)
O tema me pareceu apaixonante e o VP de assuntos multiculturais da Marriott ilustrou sua apresentação com exemplos bem curiosos. A multicultura está mesmo no mindset das organizações.

Eventos como alavanca para destinos
– Luis Justo (Rock in Rio)
O Rock in Rio é motivo de orgulho para cariocas e brasileiros, um exemplo de melhoria contínua a cada edição. O painel foi uma overdose de competência na organização de megaeventos.

Luis Justo, CEO do Rock in Rio, mostrou a emoção e grandiosidade do evento

2o. dia – Terça-feira 14/03/17

Franquias no Turismo, uma alternativa para pequenos empreendedores?
– Marcus Rizzo (ABF)
– Fabio Oliveira (Flytour)
– Matt Teixeira (Best Western)
– Valter Patriani (CVC)
Moderador: Artur Andrade.
É sempre uma aula de vendas ouvir o Patriani, mas o Fabio não se intimidou e também vendeu bem o seu peixe. Naturalmente o Matt não polemizou, pois seu objetivo é que ambos vendam muito a Best Western.
Obs.: descobri neste Forum Panrotas que o Patriani desenvolveu uma técnica de oratória imbatível, ele fala e respira simultaneamente, assim o Artur não consegue tomar a palavra dele 🙂

Flash point 2017: o ano da retomada
– Paulo Kakinoff (Gol)
O presidente da Gol estava bem firme na apresentação que fez e nos pontos que defendeu e, mesmo abordando temas polêmicos como a resolução 400 da ANAC, em que defendeu de forma genuína a livre concorrência, sua palestra foi coerente e boa de assistir. Também abordou de forma clara o programa Voe Biz, que confirma a estratégia da Gol de liderar o mercado corporativo.

Entre os painéis que assisti pelo FB Live, destaco o Desafio OTA hotelaria, com a hotelaria vencendo de goleada o desafio proposto no painel, graças à segurança e coerência da Rosângela Gonçalves, muito inspirada ao tratar do tema debatido e à indestrutível convicção do Luppa de que o melhor negócio é vender através do agente de viagens.

Parabéns à família Alcorta, ao time do Panrotas e à Imaginadora por mais esta edição do mais importante evento para as lideranças do turismo brasileiro.

Ano que vem tem mais…

.

Postagens relacionadas

Published by

Luís Vabo

Corredor de rua, tenista amador, nadador eventual. Entre um treino e outro, é Presidente do sistema Reserve, da Solid Corporate Travel e da Solid Consultoria e Tecnologia, Diretor de Tecnologia e Integração da ABAV, fundador e Conselheiro da Abracorp em terceiro mandato, fundador e ex-VP da Alagev, Conselheiro do Cevec da Fecomercio/SP e IATA Strategic Partner.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *