As Velhas e as Novas Regras de A&B na Hotelaria

Alimentos & Bebidas em hotéis sempre foi uma área estratégica, mas parece que agora, finalmente, está tomando o lugar que merece. E as tendências não são, necessariamente, sobre comida.

Conheça as velhas e as novas regras de A&B em hotéis:

  • Velha regra 1 – Foco nos restaurantes
  • Nova regra 1 – Foco nos bares – lugar onde os consumidores podem usufruir de coquetéis criativos, cervejas artesanais, trabalhar, conversar, relaxar, se divertir.
  • Velha regra 2 – Número de couverts e faturamento mensal como únicas métricas de performance.
  • Nova regra 2 – O Revenue Management entra com tudo em A&B, e começa a inserir novas métricas (ex.: Revpash – revenue per seat hour), precificação dinâmica, e análise de performance ocorrendo em tempo real.

captura-de-tela-2016-10-20-as-11-52-34Obs.: o assunto é tão importante, que já inserimos no próximo curso de RM Avançado. Confira!

  • Velha regra 3 – Restaurante e bar separados
  • Nova regra 3 -Não há limites onde começa e termina qualquer espaço público dentro dos hotéis. O lobby pode, inclusive, fazer parte disso.
  • Velha regra 4Restaurantes de hotéis adotam tardiamente as tendências de A&B.
  • Nova regra 4 – Hotéis estão sendo os primeiros a implementar novidades, com cuidado, pois é mais difícil mudar a cultura de um hotel do que de um restaurante.
  • Velha regra 5A comida é levada para o quarto ou para a mesa do restaurante.
  • Nova regra 5 – Os hóspedes se movimentam, querem lanches rápidos, com considerável incremento do conceito ‘grab and go‘, considerado por especialistas durante a 2016 Hotel Data Conference, como ‘efeito Uber’. Mesmo no segmento de luxo, de forma customizada, ele está mais presente do que nunca. Frase ouvida durante o evento: Snacks are the new meal!‘.

captura-de-tela-2016-10-20-as-11-18-28

  • Velha regra 6Refeições são provenientes de menus pré estabelecidos e inflexíveis.
  • Nova regra 6Tudo é sobre amostragem, e atende dietas específicas. Ex: opções sem glúten, opções saudáveis, ingredientes naturais. Pesquisas mostram que os hóspedes estão dispostos a pagar até 13% a mais pela possibilidade de optar o tipo, estilo e tamanho da sua refeição.

‘Enjoy your meal..and your bigger revenue!’

============

Leia também:

Elasticidade, a base da sua precificação

Em 2016, não deixe o sol te pegar na cama

A sensação dos iPads

Postagens relacionadas

Published by

Gabriela Otto

Gabriela é formada em Comunicação Social pela PUC/RS, Pós em Marketing pela ESPM, MBA Executivo pela FAAP/SP, Leader Coach (Personal e Professional) pela Sociedade Bras. de Coaching, além de inúmeros cursos de qualificação profissional, incluindo 2 certificações internacionais como Leadership Development Trainer e Business Impact Leadership Facilitator. Tem mais de 20 anos de experiência em empresas de grande porte como Caesar Park, InterContinental, Sofitel Luxury Hotels e Worldhotels, sendo a executiva responsável pela divisão América Latina nas duas últimas, o que lhe deu profundo conhecimento sobre gestão de pessoas, luxo e comercialização hoteleira. Além de CEO da GO Associados desde 2010, aceitou o convite para ser Presidente da HSMAI Brasil (Hospitality Sales and Marketing Association International) em 2014, é a principal Palestrante sobre Turismo de Luxo do país, Professora da Educação Executiva da ESPM, Criadora de renomados cursos como “Gestão e Estratégias do Turismo de Luxo” e “Revenue Management e Distribuição Hoteleira”, Articulista de diversos sites, e Blogueira desde 2008.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *