Em 2010 Brasil foi o terceiro a crescer investimento promocional

Estudo feito pela OMT – Organização Mundial do Turismo sobre orçamento das Organização Nacionais de Turismo entre 2005 e 2010, órgãos que representam países, mostra que o Brasil foi o 3o. país que mais cresceu seu orçamento anual. Nesse estudo, muitos países incluem os gastos de marketing e investimentos internos, mas no caso do Brasil, os dados se referem somente ao orçamento da EMBRATUR de 2009 para 2010.
Em 2010, o orçamento de promoção internacional que mais cresceu foi o do Yemen (192%), seguido de Madagascar (26%) e depois o Brasil, a França (18%) e a África do Sul (13%). Crescemos 19% em investimento em promoção em relação a 2009.
Vale ainda lembrar, que muitos países também incluem em seus orçamentos, valores de investimentos de regiões ou do setor privado, e no caso do Brasil, o valor considerado foi 100% de investimento do Governo Federal à época.
Em termos absolutos, o Brasil investiu US$ 72 milhões em promoção internacional em 2010. Valor superior ao Canadá (US$ 65 milhões), Itália (US$ 56,4 milhões), México (US$ 22,1 milhões) e Alemanha (21,8%). É claro que mercados emergentes, que precisam ser mais conhecidos e se promover em continentes distantes precisam de maior investimento. A promoção do Brasil precisa continuar a ter mais investimentos, em mercado de prioridade e, ainda, continuidade e criatividade no uso de novas tecnologias e ferramentas.

2 Responses to “Em 2010 Brasil foi o terceiro a crescer investimento promocional”

  1. Rui Carvalho disse:

    Jeanine,

    Muito bom saber que o Brasil reconhece a importância do investimento em promoção e dota a Embratur de significativos recursos para investimento nessa ferramenta. Destaco, entretanto, uma de suas afirmações ao final do texto, quando diz que é preciso “ter continuidade e criatividade” nas ações de promoção. Preocupa-me, especificamente, a questão da continuidade, pois temo que os recentes acontecimentos no âmbito do MinTur acabem afetando um pouco essa necessidade de persistir. Receio que, em meio ao turbilhão que engolfou o Ministério, as ações, a despeito dos eficientes profissionais que as conduzem, acabem por perder um pouco de seu timming e de sua eficácia. Vamos torcer muito para que minha percepção esteja errada, pois os grandes eventos que estão por vir mereceriam do governo maior atenção e da pasta do turismo toda a tranquilidade e serenidade possíveis.

    Um abraço.

    • Jeanine disse:

      Ruy, exatamente pelos motivos que você menciona e pelo fato de termos aumentado e avançado na promoção internacional é que trouxe o tema ao blog.
      Na verdade, para dizer que avançar significa aumentar investimenos, ter relacionamentos com os mercados que sejam fortes e contínuos, inovar com novas ferramentas.
      Precisamos ter uma Política Nacional para o Turismo, os nomes que estão na pasta devem apresentar programas de governo e fazer parcerias com o setor privado. E como você disse, vamos torcer e colocar quais as sugestões temos no mercado para que possamos retormar a normalidade.

Leave a Reply