Festas reais e histórias macabras

Versalhes e Vaux Le Vicomte, 2 capítulos da mesma historia.

Devido às diferenças climáticas acentuadas, as quatro estações ditam muitos dos costumes e práticas locais. Venho escrevendo sobre parques e atrações estivais desde a primavera. Em setembro será a volta as aulas* e outubro as mesmas atrações encerrarão a temporada sob uma temperatura outonal.

Por isso agora é hora de aproveitar de algumas dessas imperdíveis atrações e eventos ! Dois grandes clássicos ainda desconhecidos da clientela brasileira são os espetáculos noturnos de Versalhes e do Castelo de Vaux Le Vicomte.

Versalhes recebe milhares de visitantes nos sábados à noite para admirar seus jardins, bosques e fontes iluminadas. Durante algumas poucas datas pode-se inclusive visitar o Castelo antes do passeio ao jardim e assistir a um sarau musical. No final da noite fogos de artifício encerram a visita.

Lembrando que Versalhes foi construído por Luis XIV, o rei Sol, o rei mais glamoroso, ostentador e um dos maiores amantes das artes que a França conheceu. Versalhes foi o ultimo castelo construído pela monarquia absolutista e sua construção por si só explica seu declínio.

O passeio é fantástico, as fotos mostram mais beleza que minhas palavras poderiam descrever.

Eaux NocturnesCredit de Givry Fountain Night Show@ T NAvA Fountains Night Show@ N Diaye Fountains Night show-copyright Gde Givry Fountains Show 2-copyright JC N'Diaye

Já poucas pessoas sabem que Versalhes só existiu por que Luis XIV apaixonou-se por Vaux Le Vicomte, construído por seu intendente das finanças Fouquet. Após a festa de inauguração do castelo em 1661, Luis partiu indignado. Como seu intendente tinha um castelo tão bonito? Luis XIV tomou então uma decisão que mudou o curso da historia da França: Decidiu se ocupar pessoalmente das finanças do reino, mandou Dartanhã  e seus colegas ( sim Dartanhã o mosqueteiro sobre quem escreveu Alexandre Dumas dois séculos mais tarde) darem um sumiço perpétuo no Fouquet e convocou os arquitetos, artistas e decoradores de Vaux Le Vicomte para construir Versalhes.

Em 1703 um homem é enterrado após anos de reclusão sob uma mascara de ferro. Seria ele Fouquet? Voltaire escreve sobre o fato denunciando veemente a monarquia sob o reino de Luis XV. Começa o Iluminismo. Em 1789 saem de Versalhes Luis XVI e Maria Antonieta acusados de abuso de poder e obscurantismo pelo povo revolucionário para serem guilhotinados**.

Enterrado em 1703 ,apos anos de reclusão o mascara de ferro seria Fouquet?
Enterrado em 1703, apos anos de reclusão o mascara de ferro seria Fouquet?
Voltaire ataca a monarquia e o poder absoluto
1703 Voltaire indignado ataca a monarquia e o poder absoluto
Guilhotina, simbolo de igualdade e misericordia. Morrer enforcado ou esquartejado era muito pior.
Guilhotina, simbolo de igualdade e misericordia. Morrer enforcado ou esquartejado era muito pior.

Nossa! Falávamos de festas estivais e fomos parar na queda da monarquia e o inicio da 1° republica. Assim é Paris.

Após mais de um século de turbulências politicas, da queda do Império de Napoleão e em presença de uma nova republica Vaux Le Vicomte abandonado teve somente um candidato à compra quando leiloado em 1875, o afortunado industrial Alfred Sommier. Hoje os descendentes da família se dedicam a conservar e manter este patrimônio histórico e sua beleza original. E por esta razão organizam além das visitas regulares eventos temáticos.

Também aos sábados à noite, o Domínio de Vaux Le Vicomte  recebe visitantes para a exploração do castelo e jardins iluminados assim como para um jantar a luz de velas. Duas mil velas iluminam os jardins, as fontes e o exterior do castelo. Para o jantar: salada de frutos do mar e lagosta como entrada, medalhão filé mignon com batatas e degustação de sobremesas variadas para terminar ( o café gourmant).  E para despedida “la grande finale” com fogos de artifícios.

Vaux le Vicomte K Jardin depuis le Dôme - Garden from the Dome L DSC00058 Chambre du Roi - King's bedroom 196 148 (2) 128 (2)

Com festas como estas para os sábados a noite não há em Paris quem não fique feliz.

 

PS **Calculam-se 40 mil vítimas da guilhotina entre 1792 e 1799. No período do Terror, entre (1793 e 1794), constataram-se 15 mil mortes na guilhotina. A ultima execução com guilhotina na França foi em 1977. A pena de morte foi abolida em 1981.

* E por falar volta às aulas, antes que isso aconteça estou dando uma saidinha, volto em 15 dias. Até lá!

 

Postagens relacionadas

Published by

Silvia Helena

Após breves passagens pela Faculdade Metodista de São Bernardo e Belas Artes de São Paulo, aos 18 anos fui estudar no Canadá, onde vivi durante 23 anos. Lá me formei em História da Arte pela Universidade de Montréal, estudei turismo no Collège Lasalle de Montréal e no Institut de Tourisme et Hôtellerie du Québec. Comecei minha carreira na área trabalhando em Cuba. Durante os anos vividos no Canadá, entre outras coisas, fui guia de circuitos pela costa leste e abri minha primeira agência de receptivo para brasileiros. Há dez anos um vento forte bateu nas velas da minha vida me conduzindo até França. Atualmente escrevo de Paris, onde vivo e trabalho dirigindo a empresa de receptivo, a Holatour.

2 thoughts on “Festas reais e histórias macabras

  1. Silvia,
    aproveite as férias. Adoro ler seus textos, sempre tão bem escritos e informativos. Esses passeios de sábado são imperdíveis, que dica. Vou me programar na próxima vez em Paris! abs

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *