Paris LGBT

Paris LGBT: dicas de vendas

Quando fiquei sabendo, através do jornalista Marcos Martins, sobre a Edicão Panrotas LGBT  e o Evento Braztoa Panrotas LGBT, logo comecei a pensar nas dicas de vendas que daria aos amigos agentes de viagens para o nicho.  Você talvez tenha lido algumas destas dicas na reportagem do Marcos Martins. Vou aproveitar da relevância do tema para dar mais detalhes .

Como tão sabiamente sugeriu o Artur no editoral da revista Panrotas, não introduza o assunto da orientação sexual do cliente a durante a venda. Mas tenha em mente e sirva-se das dicas abaixo segundo sua discrição.

O primeiro passo para se fazer uma boa venda de Paris direcionada ao mercado LGBT é :

  • Entender o quão a cidade é amigável para a comunidade. Não somente nos bairros e ruas de preferência da comunidade LGBT, mas por toda a cidade é possível ver casais de pessoas do mesmo sexo caminhando e vivendo sua vida tranqüilamente, sem tensão ou medo de represália. E isso, para quem vem do Brasil, é uma viagem por si só !!

Paris LGBT

  • Paris oferece uma vida gay intensa e diversificada: bares, restaurantes, saunas, paqueras em parques, enfim, outra visão da homosexualidade se ofere ao visitante.

Paris LGBT

Na hora da escolha do hotel:

  • Evite oferecer as periferias de Paris e regiões mais conservadoras como os bairros 18 e nas proximidades do metrô Barbes, reduto muçulmano.

A melhor região para se hospedar:

  • Le Marais e suas proximidades.

paris LGBT Le Marais

Boa parte da animação gay se encontra no bairro chamado Marais, o centro da vida gay em Paris, nos distritos 3º e 4º .  O Marais é delimitado pelas ruas Rivoli e Michel Le Comte de um lado e as Ruas du Renard e Vieille du Temple do outro, próximo às estações de metro Hotel de Ville, Rambuteau e St. Paul, tendo como eixo principal a Rua St Croix da Bretonnerie e Rua des Archives. Sua ruas têm faixas de pedestres diferenciadas, placas coloridas mostrando o orgulho gay, presente em todos os lados.

paris LGBT Le Marais

Restaurantes:

  • Nas ruas do Marais, bares exclusivamentes gays como o Raidd, Cox ou Open, restaurantes gayfriendly como o Who’s, o Tata Burger ou Les Marronniers se sucedem.
paris LGBT Le Marais
Rue des Lombards

Compras:

Paris LGBT
O Marais tem um excelente e diversificado comércio

 

  • No Marais gays e simpatizantes podem fazer compras em comércio local diversificado e refinado ou ainda especializados LGBT como Dessous d’Apollon, a livraria Mots à la Bouche ou ainda mais sensuais como IEM ou Mister B.paris LGBT Le Marais

 

Passeios:

  • E além do aéreo e hotel, o agente de viagens encontra junto às operadoras brasileiras a possibilidade de vender uma noite de gala para seus clientes no Artishow.Paris LGBT Reiterando o que disse a Marcos, o Artishow e  cabaré de transformismo mais cultural, engraçado e LGBT da cidade. Lulubel, Petúnia e personagens travestidos em Edith Piaf, Charles Aznavour ou ainda Lisa Minelli e Amie Whitehouse animam um jantar gastronômico e garantem uma noite excepcional para pessoas de todas as idades.

Baladas e atividades :

  • Além das ruas do centro do Marais, a vizinha Rua des Lombards, no 1° distrito é muito badalada. Nos edifícios aparentemente amontoados da estreita rua medieval encontramos bistros e restaurantes gays dos mais diversos estilos, como no numero 15 o bar La Boite ou no numero 6 o Le Bear’s Den.

After work  A rua des Lombard é ideal para começar a balada numa das terrassas durante um 5 a 7 e dali estudar todas as possibilidades presentes e futuras ao redor.

Paris LGBT

  • E para compradores de último minuto, lembro que entre 4 a 12 de agosto Paris será a cidade acolhedora dos Jogos Olímpicos Gays de 2018. Um evento que promove a inclusão e reitera a necessidade de veicularmos ainda mais o caráter aberto de Paris junto ao público LGBT brasileiro.  Gay Games 2018
Nas margens do Rio Sena
Nas margens do Rio Sena

Querido (a) leitor (a), espero que as dicas sejam úteis e que faça grandes vendas  !

Silvia

Ps o (a) é para prestigiar as leitoras, mesmo desnecessário. 🙂

Postagens relacionadas

Published by

Silvia Helena

Após breves passagens pela Faculdade Metodista de São Bernardo e Belas Artes de São Paulo, aos 18 anos fui estudar no Canadá, onde vivi durante 23 anos. Lá me formei em História da Arte pela Universidade de Montréal, estudei turismo no Collège Lasalle de Montréal e no Institut de Tourisme et Hôtellerie du Québec. Comecei minha carreira na área trabalhando em Cuba. Durante os anos vividos no Canadá, entre outras coisas, fui guia de circuitos pela costa leste e abri minha primeira agência de receptivo para brasileiros. Há dez anos um vento forte bateu nas velas da minha vida me conduzindo até França. Atualmente escrevo de Paris, onde vivo e trabalho dirigindo a empresa de receptivo, a Holatour.

4 thoughts on “Paris LGBT: dicas de vendas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *