Proposta de paralisia do país emerge das redes sociais

Uma proposta de paralisia completa do país emerge das redes sociais. Há alguns dias, graças a um movimento iniciado a partir do Facebook, os belgas e franceses decidiram se revoltar contra o aumento do preço do diesel e da gasolina.

Uma iniciativa popular

De maneira inusitada, sem o apoio habitual dos fortíssimos sindicatos, a população tomou conta da situação e se mobilizou criando várias páginas facebook e através delas  estão veiculando a proposta de um bloqueio de estradas em diversos pontos do país. Apesar da ausência dos sindicatos, alguns comunicados afirmam que pequenos empresários apoiam o movimento.

De fato, segundo uma sondagem realizada por France Info e Odoxa, mais de três quartos dos franceses (78%) acha justificado o apelo de bloqueio das estradas em protesto ao aumento do combustível.

Em um ano, o preço do diesel aumentou 23% e o da gasolina 15% chegando a média a 1,51 euros o litro na semana passada. E o governo promete mais aumento em poucos meses.

A explicação do governo Macron

Esses aumentos tem como explicação a “Transição Ecológica“. Traduzindo: O governo quer que o cidadão use o carros elétricos. Precisamos diminuir nossa emissão de gás de efeito estufa… A Renault tem uma frota pronta para entrega. Paralelamente o governo quer  manter e fortalecer suas usinas de produção de energia nuclear, gravemente ameaçadas pelo antigo governo socialista.  Todos esses carros novos vão precisar de eletricidade!

Da Gazolina para o Diesel e do Diesel para Eletricidade

Anunciado nos anos 80 como A solução ao problema a crise do petróleo e subvencionado pelo governo, o diesel foi adotado por milhares de franceses esperançosos em diminuir seus gastos de locomoção. Porém acusado hoje de ser mais poluente, o carro a diesel  começa a ser “boicotado” pelo próprio governo numa espécie de política punitiva. Punitiva para o cidadão comum, não para a Renault ou a EDF, semi estatal que fabrica eletricidade graças a energia nuclear, é claro.

Os riscos para os manifestantes

Os manifestantes que bloquearem estradas correm os riscos já anunciados pela imprensa e reiterados nos sites organizadores:

 2 anos de prisão

€ 4.500 multa

6 pontos na carteira de motorista.

Ainda nos sites organizadores é explicado que o governo não poderá agir contra todos os manifestantes, mas talvez escolham aleatoriamente alguns participantes para dar o exemplo de seu poder.

Um dia para visitas a pé

Não é possível saber se a França e a Bélgica pararão, mas na dúvida, sugira a seu cliente andar a pé pela cidade neste dia.

A jaqueta de segurança amarela virou símbolo do movimento. Siga os links para ver o mapa da mobilização e como os franceses estão se organizando. Ou se deseja uma idéia do tamanho do movimento busque no Facebook Blocage 17 novembre 2018 .

Blocage Paris 17 novembre

Mapa dos pontos de paralisia

https://www.facebook.com/blocage17novembre/

Mapa dos pontos de paralisia France Info

Postagens relacionadas

Published by

Silvia Helena

Após breves passagens pela Faculdade Metodista de São Bernardo e Belas Artes de São Paulo, aos 18 anos fui estudar no Canadá, onde vivi durante 23 anos. Lá me formei em História da Arte pela Universidade de Montréal, estudei turismo no Collège Lasalle de Montréal e no Institut de Tourisme et Hôtellerie du Québec. Comecei minha carreira na área trabalhando em Cuba. Durante os anos vividos no Canadá, entre outras coisas, fui guia de circuitos pela costa leste e abri minha primeira agência de receptivo para brasileiros. Há dez anos um vento forte bateu nas velas da minha vida me conduzindo até França. Atualmente escrevo de Paris, onde vivo e trabalho dirigindo a empresa de receptivo, a Holatour.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *