Palácios da Família Real Britânica – que você pode visitar

A Rainha anunciou um presente de aniversário 90 anos para a nação sob a forma de uma renovação do Windsor Castle, incluindo o seu primeiro café público.

A notícia será recebida pelos visitantes da residência, que agora será capaz de tomar chá e comer bolos após a exploração da histórica casa real.

Mas para aqueles cujo apetite por palácios reais históricos no Reino Unido não é saciado por um novo café em um castelo apenas fora de Londres, pensamos que seria ideal também mostrar as outras ofertas da vasta carteira de propriedade da família real que estão abertas ao público .

Castelo de Windsor

O que a casa de final de semana preferida da Rainha, Castelo de Windsor foi originalmente construído por William o Conquistador após a invasão normanda. Desde então tem sido usado por todos os monarcas, tornando-o o palácio mais antigo da Europa. A Rainha, que ocupa a residência oficial no castelo a cada Páscoa  e usa a casa para entreter líderes políticos ou diplomatas estrangeiros.

Por que os State Apartments, preparados por Charles II e George IV mais tarde, foram descritos pelo historiador de arte Hugh Roberts como uma “excelente e incomparável seqüências de salas amplamente considerada como a expressão mais fina e mais completa do gosto georgiano posterior”. Pinturas de Rembrandt, Rubens e Canaletto adornam as paredes.

Info Aberto diariamente, um bilhete de adulto para o castelo custa £ 20, ou £ 10,80 se o Estado Apartamentos estão fechados. Concessões estão disponíveis. Verifique a data antes de viajar como partes ou todos do Castelo estão fechados em determinados dias.

Palácio de Buckingham

O que talvez seja a mais famosa residência real do mundo, Buckingham Palace tem servido como a residência oficial de Londres dos soberanos da Grã-Bretanha desde 1837 e é hoje a sede administrativa da monarquia.

Por que existem três aspectos para uma visita ao Palácio de Buckingham, no centro de Londres: os “Quartos de Estado” (os quartos utilizados pelos monarcas ao longo da história para receber os hóspedes – eles variam em nome, uso e decoração, O Royal Mews, onde estão alojados os veículos da família real, incluindo carruagens puxadas por cavalos), e a Galeria da Rainha, que abriga um programa de exposições em mutação da Royal Collection.

Info A Galeria da Rainha está aberta durante todo o ano e um bilhete para adulto custa £ 7,20. O Royal Mews está aberto em algumas fases do ano, verificar detalhes antes de viajar (£ 9,30 para um adulto). Os quartos do estado, entretanto, são abertos somente por alguns meses no verão (este ano é julho 23 a outubro 2) e um bilhete do adulto custa £ 21.50. Royal Day Out bilhetes que cobrem todos os acima também estão disponíveis (adulto £ 37).

Holyroodhouse

O Palácio Holyrood, como é mais comumente conhecido é a residência oficial do monarca britânico na Escócia. Encontrado na extremidade oposta do castelo de Edimburgo, na capital escocesa, a casa tem servido chefes de estado desde o século XVI.

Por que Holyroodhouse é demasiado ajustado para uma renovação £ 10million de suas terras, incluindo um centro novo do aprendizado. Tal como acontece com o Palácio de Buckingham, Holyrood Palace , a atração principal é o “Apartamentos de Estado”, incluindo a famosa Grande Galeria, onde Jacob de Wet retratos dos reis reais e lendários da Escócia pendurar. O fantasma nu de Bald Agnes, Agnes Sampson, um curandeiro escocês no século 16 e supostamente bruxa, é dito para vagar pela casa depois de ser preso, em seguida, queimado na estaca nas proximidades.

Info O palácio está fechado por um tempo no início do verão, quando a rainha permanece. Os bilhetes para um adulto custam £ 12 ou £ 16,90 para o acesso à galeria da rainha.

Clarence House

O que é a residência oficial de Londres de O Príncipe de Gales, A Duquesa de Cornwall e o Príncipe Harry, onde os três são capazes de receber convidados e entreter. Projetado por John Nash na década de 1820, a casa está no centro de Londres e anexo ao Palácio de St James, a residência de Londres para a Princesa Real, entre outros.

(EMBARGOED TO 0001 BST MONDAY APRIL 11 2005) WINDSOR, ENGLAND – APRIL 9: Clarence House official handout photo of the Prince of Wales and his new bride Camilla, Duchess of Cornwall, with their families (L-R back row) Prince Harry, Prince William, Tom and Laura Parker Bowles (L-R front row) Duke of Edinburgh, Britain’s Queen Elizabeth II and Camilla’s father Major Bruce Shand, in the White Drawing Room at Windsor Castle after their wedding ceremony, April 9, 2005 in Windsor, England. (Photo by Hugo Burnand/Pool/Getty Images)

Para os visitantes são dadas visitas guiadas de cinco dos quartos piso térreo, onde a família real de boas-vindas seus convidados, incluindo o Lancaster Room e da Biblioteca. Grande parte da casa é como era quando Rainha Elizabeth e A Rainha Mãe residiu aqui e sua coleção de obras de arte e móveis estão em exibição.

Info A casa está aberta apenas aos visitantes desde agosto de 2016. Uma visita guiada custa £ 10.

Balmoral

O que não é uma residência real oficial, mas uma propriedade em Aberdeenshire, de propriedade da família real desde 1852, quando foi comprado pelo Príncipe Albert.

Por que dentro do Parque Nacional Cairngorms, a propriedade fica na bela paisagem escocesa, com sete muros dentro de margeando a propriedade. Os jardins estão abertos ao público, bem como exposições em mudança sobre a sua história. Os hóspedes podem até reservar uma estadia no Rhebreck Lodge, localizado na propriedade. Balmoral é em parte famoso por ser onde a rainha estava no momento da morte da princesa Diana em 1997, como dramatizado no filme de 2006, The Queen.

Info As terras estão abertas a partir do final de março até o final de julho. Safaris da propriedade estão disponíveis no verão.

Castelo de Hillsborough

O que se encontrou em County Down, é a residência oficial da Rainha na Irlanda do Norte, bem como a casa do Secretário de Estado da Irlanda do Norte.

Porque a mansão georgiana tardia foi construída na década de 1770 antes de ser remodelada nos séculos XIX e XX. Passeios dos elegantes “quartos do Estado”, incluindo a Sala do Trono e a Sala de Desenho, estão disponíveis, e os visitantes podem explorar os jardins de 98 hectares.

Info Os jardins estão abertos o ano todo, enquanto os passeios do castelo são sazonais. Um bilhete adulto custa £ 7,50.

 

Sandringham

O retiro rural da Rainha e do Duque de Edimburgo, situado em 20.000 acres de terra em Norfolk. A família real regularmente passa o Natal aqui. Anmer Hall, nas proximidades, é onde vivem o Príncipe William e a Duquesa de Cambridge.

Com os jardins abertos ao público pelo rei Eduardo VII em 1908, um museu pelo rei George V em 1930, e a casa de Sandringham pela rainha em 1997, há muito para ver. Rei George V comentou: “Querido Sandringham velho, o lugar que eu amo melhor do que em qualquer lugar do mundo.”

Info A propriedade está aberta durante o verão, até o final de outubro. Os custos de entrada para adultos a partir de £ 9.

Palácio de Kensington

Uma residência real no Royal Borough de Londres de Kensington e Chelsea, uma vez utilizado pelo Duque e Duquesa de Cambridge, bem como o príncipe Harry.

Por que os “Quartos de Estado” do palácio estão abertos ao público, enquanto as paredes da Escadaria do Rei, pintadas por William Kent como uma vívida recreação da corte de George I, também são uma atração popular. Os visitantes também podem desejar passear nos jardins e tomar chá da tarde no Orangery.

Info Aberto durante todo o ano, os custos de entrada adulto de £ 16,90, se comprado on-line.

Casa de férias em Highgrove

A residência familiar de Charles e Camilla é no sudoeste de Tetbury em Gloucestershire.

Por que a casa não está aberta ao público, no entanto, seus jardins estão. Uma excursão de duas horas dos jardins leva em O Stumpery, o “Wildflower Meadow” – prado de flores silvestres e o Jardim de cozinha. Há também o Restaurante Orchard.

Info Aberto entre abril e outubro, os hóspedes devem reservar um passeio de jardim.

Malas: com ou sem alça – apoiadas desde o início…

 

O Hotel Prodigy em São Paulo, na movimentada avenida Berrini consegue isso com um acessório super eficiente e simples logo na recepção, em frente ao balcão de atendimento.

Trata-se de uma simples mesinha de apoio para bolsas a e pastas de trabalho. Com ela, o hóspede, sem perceber,  livra-se dos pesos  que andou carregando durante toda a viagem e com isso, a sensação de leveza e conforto é imediata…

Daí para sentir-se mais propenso a gostar de tudo é mais fácil. Mas não é só isso claro.

Na verdade, ao atentar para esse tipo de detalhe logo na entrada, as chances de que, no quarto, banheiro, spa e área de lazer novas surpresas e gestos de acolhimento nos esperem é muito maior!

O que prova que, quando se trata de pessoas,  para agradar e deixar uma boa impressão a toda prova,  basta um mínimo de atenção, capricho e não ter preguiça de levar o prazer do outro as últimas consequências !

“Hygge”: 10 top dicas do país mais feliz do Mundo

 

Hygge,  é um conceito sem  tradução, seria um mix  de bem-estar, conforto e  relaxamento com liberdade.  E é exatamente o que procuramos em uma viagem – seja a lazer ou negócios.

Os Dinamarqueses usam essa palavra e, por anos consecutivos vem sendo considerados o povo mais feliz do mundo. Se  estiver nesse país,  aprenda um pouco com eles esse conceito – e traga na bagagem de volta para casa…

É uma palavra que tem a ver com interação pois  trata compartilhar momentos de diversão e pequenas coisas que nos fazem felizes. Essas são as dicas Hygge em 10 passos para essa felicidade:

1- Procurar o momento

Consiste em dedicar um tempo diário para fazer o que nos faz sentir bem, com as pessoas que amamos e com nós mesmos.

2- Abrir a casa

O hygge pode acontecer em qualquer lugar: churrasco ao ar livre no verão, um passeio pelo parque, um aperitivo, um jantar num restaurante pode ser hyggelig. E, claro, vale também  abrir as portas da sua casa.

3- Criar um ambiente propício

A iluminação tem que ser acolhedora (com ou sem velas). Boa música de fundo é uma boa pedida e flores frescas e uma toalha bem colocada, ajudam a dar um toque especial e provocar um prazer simples.

4- Evite romper o relaxamento

Nada de falar de política ou temas tensos. É contra indicado pensar em trabalho ou problemas. A televisão, o iPad e o smartphone também impedem as conexões sociais com o hygge.

5 – Concentre-se num só assunto com todos

Depende do tamanho da casa, mas consegue-se maior interação em lugares pequenos – assim é mais fácil manter uma única conversa em vez de várias conversas paralelas.

6- Mais atenção para o que se come 

Cozinhar em conjunto também é  hygge. Reunir-se com a família e os amigos para preparar uma receita tradicional ou fazer um bolo.

7 – Resgate sua identidade 

Alguns dizem que o hygge tem a ver com fazer coisas que os antepassados reconheceriam. E está relacionado com as tradições ou objetos de valor sentimental. Tomar chá numa caneca da avó ou usar a receita de bolo da bisavó – Escolha a sua lembrança afetiva e resgate.

8 – Fique confortável

Vale tudo o que te deixa assim: roupa cômoda,  ficar na cama ao domingo debaixo do edredom por mais tempo, com um bom livro e um café. Esticar-se no sofá com uma bebida gelada e ver um filme – escolha seu conforto preferido e vá fundo!

Na Dinamarca é substantivo, adjetivo, advérbio e verbo. Serve para descrever a camisa confortável que se veste  ou para dizer a alguém  “vamos ver um filme e comer doces” Use com frequência para partilhar com os amigos quanto é bom estar com eles – e expresse sua felicidade com  seu momento hyggelig.

10 – Seja consciente desse momento

Há tantas coisas  ser hygge para nós – ainda mais com as belezas naturais do nosso país –  mas o que diferencia os dinamarqueses é que eles são capazes de identificam e nomeiam esse momento de bem-estar.  Eles aprenderam a “viver o momento e desfrutar o agora“.

Ok, concordo que não somos dinamarqueses, mas tenho certeza que com o nosso jeito brasileiro de ser, em pouco tempo teremos uma palavra mais fácil para esse termo – e estaremos dando aulas de hyggelig – ou do que quer que seja o termo batizado por aqui….

Os 10 piores aeroportos do mundo – Boa viagem

 

Para fazer essa lista com os piores aeroportos do mundo os rapazes do The Guide to Sleeping in Airports levaram em consideração temas como o conforto das instalações, a existência de áreas de descanso e assentos suficientes. Além claro, da restauração, a gentileza e qualidade do serviço da equipe de imigração e de segurança, da atenção ao cliente e a limpeza dos banheiros. E o resultado é esse: 10 aeroportos pelos quais você nunca gostaria de passar.

1. Aeroporto Internacional Rei Abdulaziz, Jeddah (Arábia Saudita)

Aeroporto Internacional de Jeddah.
Aeroporto Internacional de Jeddah. FAYEZ NURELDINE/GETTY IMAGES
 Tirando o f WiFi grátis, os aspectos negativos desse aeroporto o fazem merecer o indesejável primeiro lugar. Quase não possui áreas de descanso e restaurantes, a higiene do complexo deixa muito a desejar e,  no geral,  seus oficiais de imigração são  descritos como arrogantes e mal-educados. Um lugar ruim para  fazer uma longa escala…

2. Aeroporto Internacional de Juba (Sudão do Sul)

Cabines de despacho de bagagens da Yeti Airlines no aeroporto de Kathmandu.
Cabines de despacho de bagagens da Yeti Airlines no aeroporto de Kathmandu. A.T.T
 Um Estado praticamente novo, nascido após uma sangrenta e longuíssima guerra civil, tem outras preocupações além das comodidades de seu aeroporto. Mas o certo é que o terminal de Juba se assemelha mais  a uma sauna com escassos serviços – onde os banheiros costumam estar quebrados a maior parte do tempo – do que a um terminal internacional. É uma pena que, tendo em vista o panorama atual, ainda falta muito ao Sudão do Sul para conseguir uma infraestrutura melhor.

3. Aeroporto Internacional de Port Harcourt (Nigéria)

Sala de despacho de bagagens no aeroporto de Port Harcourt, Nigéria.
Sala de despacho de bagagens no aeroporto de Port Harcourt, Nigéria. FUMNANYA AGBUGAH
Costuma ser sempre um dos aeroportos pior avaliados em todas as listas. No ano passado ocupava a primeira posição do ranking do Sleeping in Airports. Os passageiros se amontoam diante dos monitores em filas intermináveis enquanto tentam espantar os  mosquitos que pululam pela sala. Banheiros com escassa limpeza, despacho de bagagens sem esteira e as acusações de práticas próximas à corrupção em seus oficiais transformam esse lugar em um dos mais indesejáveis destinos de viagem. Evite.

4. Aeroporto Internacional de Tashkent (Uzbequistão)

Terminal de passageiros do aeroporto de Tashkent.
Terminal de passageiros do aeroporto de Tashkent. U. A
 O aeroporto da capital uzbeque está a cada ano mais alto nessa lista de duvidoso prestígio. É considerado o pior aeroporto da Ásia. As queixas dos usuários são principalmente sobre a quantidade de controles de segurança que acabam com a paciência do mais santo – e tornam impossível o caminho rumo às portas de embarque.

5. Aeroporto Nacional de Santorini – Thira (Grécia)

Passageiros esperando em frente às portas de embarque no aeroporto de Santorini.
Passageiros esperando em frente às portas de embarque no aeroporto de Santorini. P. R. C
 Tudo bem que grande parte da culpa dos problemas do aeroporto de Santorini é a quantidade de turistas que chegam como hordas à ilha.  Mas não ajuda que as instalações sejam ridiculamente pequenas e que as pessoas precisem esperar em filas sob sol para despachar a bagagem!! Dentro a situação também não melhora: as salas de espera não tem ar condicionado e em agosto, é melhor ter paciência e ir sabendo que será preciso esperar, de qualquer jeito.

6. Aeroporto Internacional de Chania (Grécia)

Terminal de embarque do aeroporto de Chania.
Terminal de embarque do aeroporto de Chania. WEST CRETE
 Outro aeroporto grego com escassos serviços e sem ar condicionado. Na alta temporada é comum ver as pessoas sentadas no chão pois não possui cadeiras e lugares de descanso suficientes para atender a demanda. Como se não bastasse, o preço das refeições é exorbitante, ainda mais levando-se em conta a média dos aeroportos europeus. Conselho prático se você precisar passar por lá no verão: leve comida de casa e sob hipótese alguma esqueça o leque.

 

7. Aeroporto Internacional de Heraklión Nikos Kazantzakis (Grécia) Como não existem dois sem três, a sétima posição é ocupada por outro aeroporto grego. Preços estratosféricos, assentos incômodos nas salas de espera, equipe de serviço pouco amável e falta de higiene nos serviços transformam esse aeroporto em um pesadelo. Uma pena que seja a porta de entrada de um destino tão bonito como Creta.

8. Aeroporto Internacional de Maiquetía Simón Bolívar (Venezuela)

Passageiros na área de despacho de bagagens do aeroporto Simón Bolívar.
Passageiros na área de despacho de bagagens do aeroporto Simón Bolívar. 
 Não são bons tempos para os viajantes que pretendem chegar à Venezuela. Os cancelamentos de rotas anunciados por várias empresas se somam ao serviço ruim de seu principal aeroporto. Os usuários habituais sabem que  a média é de pelo menos cinco horas em uma escala por conta do mau funcionamento dos serviços logísticos responsáveis por bagagens e conexões. A segurança é outro dos aspectos assinalados negativamente;  é essencial estar muito atento à bagagem a todo o momento e embalar as malas para evitar aberturas indesejadas.

9. Aeroporto de Londres-Luton (Inglaterra)

Uma das salas de espera no aeroporto de Luton
Uma das salas de espera no aeroporto de Luton LONDON LUTON AIRPORT
 Luton é o exemplo claro do modelo low-cost da aviação moderna. Sem dúvida é um dos locais mais competitivos para se chegar à capital inglesa porque recebe voos das empresas de baixo custo com preços mais competitivos. Mas o que você economiza de um lado, acaba pagando com sobras de outro: excesso de bagagem, dropp-offs na pista, até mesmo as bolsas de plástico necessárias para os líquidos de menos de 100 ml têm um preço! O aeroporto de Pinypon precisa urgentemente de uma reforma que o adeque ao número de passageiros que recebe a cada ano.

10. Aeroporto Internacional de Katmandu (Nepal)

Cabines de despacho de bagagens da Yeti Airlines no aeroporto de Kathmandu.
Cabines de despacho de bagagens da Yeti Airlines no aeroporto de Kathmandu. ΧΡΗΜΑ
 Se alguém quer saber como é o aeroporto de Katmandu pode vê-lo bem representado no filme Evereste. Ambientado em 1996, provavelmente a equipe de produção do filme não precisou tirar nada do lugar para reproduzir fielmente como o aeroporto era há duas décadas. A área de voos internacionais não é de todo ruim. Mas a de voos nacionais, mais do que um terminal parece uma bagunçada estação de ônibus de cidade pequena.

Fontainbleau de Miami: Do Churrasco ao Tuna Tartar

Durante décadas ele foi um dos ícones de Luxo de Miami: mesmo, com uma decoração verde, dourada e branca, seus quartos lembravam Versalhes. Nos anos 60, com a concorrência de outros mais modernos começou a decair.

Porém hoje, depois de uma grande repaginada e mudanças administrativas ( além de um grande investimento, claro) reconquistou seu lugar como um dos mais luxuosos da orla de Miami Beach, hospedando tanto celebridades  quanto milionários anônimos que apreciam viver bem.

Mas ainda que você não se encaixe em nenhuma dessas categorias é possíveis desfrutar de todo esse conforto e até mesmo de sua alta gastronomia – sem gastar demais e sentindo-se igualmente privilegiado.

Lá você pode escolher entre vários restaurantes: desde os mais  informais que servem saladas e sushis até os mais elaborados  como o Stripsteak do chef Michael Mina com direito a churrascos de carnes incríveis como a que vemos aí e peixes como o Tuna Tartar abaixo – em apresentação prá lá de especial.

É uma experiência e tanto – que começa com o visual porque o prato chega a mesa assim: colorido e cheio de detalhes.

Aí a gente olha, namora, fotografa se quiser –  e depois,  literalmente desmonta o prato para saborear como se deve: misturando tudo, temperando com azeite e limão (opcional) e pimenta do reino. Com ou sem torradinhas no ponto certo da crocância !

E, se quiser repetir em casa é fácil: atum picado em dados com pera cortada em cubinhos, pinoli, bem pouca cebola e um toque de cebolinha!!! E, se quiser, um ovo de codorna para dar a liga e finalizar com muita cor!

MIAMI BEACH: aproveite a ORLA sem consumir

Para quem quer visitar a Miami antiga, aquela da estética art Decô e de quebra  evitar o consumo e as compras, sugiro um passeio a Miami Beach com parada em um dos muitos hotéis da orla que oferecem restaurantes e lounges a beira mar. É um luxo que nós brasileiros não estamos acostumados – justamente por sermos privilegiados por um outro luxo, este natural e glorioso : areias tão brancas e finas que nem dá vontade de subir da praia para onde quer que seja.


Mas os americanos pensam diferente e, fizeram de suas praias locais confortáveis e propícios ao consumo – senão não seria a América…

A orla de Miami beach tem arquitetura e distração para todos os gostos: de hotéis com arquitetura original art decô, a modernos hotéis urbanos todos tem seus lounges na praia com guarda sol e drinques para quem se dispuser a gastar um pouco mais.

Os mais esportivos podem usar  a passarela/deck de madeira para correr, andar de bike ou simplesmente caminhar ao sol – e a vista, de ambos os lados é linda!

E, dependendo o momento, se bater aquela febre urbana novamente, é possível  terminar o dia ou a manhã com um passeio na Lincoln Street, onde, entre tipos exóticos e lojas de rua descoladas e  prá lá de variadas ( e diferentes das dos Malls) é possível degustar cafés e  sorvetes.

Sugestão: imperdível um café na super tradicional Paul Parisserie com direito a um croissant de amêndoas ou mesmo uma tarte  tatin- sem exagero, quentinha e a altura das parisienses!

 

Os 10 melhores aeroportos do mundo

No último post mostramos os 10 piores aeroportos do mundo do ponto de vista do conforto para o viajante, da gentileza dos funcionários e pessoal de terra e da infraestrutura dos terminais, segundo o The guide to sleeping in airports, site especializado cujos usuários enviam relatos independentes de suas experiências em todos os aeroportos do mundo.

Mas as listas anuais do The guide to sleeping in airports também, claro, têm espaço para os melhores. Estes são os 10 aeroportos mais bem avaliados por seus usuários em 2016:

Os 10 melhores aeroportos do mundo

1. Aeroporto Internacional de Changi (Cingapura)

Mais um ano em que os eleitores desta lista escolhem o aeroporto de Changi como o melhor de todos. Não é de se estranhar –mais que um aeroporto, parece um centro de entretenimento. A instalação conta com cinco jardins, poltronas de massagem, televisores, videogames… e até um cinema gratuito. E o que dizer da limpeza e da organização dos terminais? Parecem sair de um conto de fadas: tudo está em ordem, bem cuidado, e o tratamento dispensado pelos trabalhadores é extraordinário. Ora, é um desses lugares em que vale a pena fazer uma escala de 24 horas. Quem dera todos os aeroportos fossem como este!

Os 10 melhores aeroportos do mundo

2. Aeroporto Internacional de Incheon (Coreia do Sul)

O aeroporto de Incheon está na segunda posição na classificação, mas poderia ocupar a primeira. O complexo é outro exemplo de como um lugar tão tedioso como um aeroporto pode se converter na melhor experiência de uma viagem longa: dispõe de um grande centro comercial, jardins, cinemas e visitas guiadas que percorrem as instalações. As pessoas que chegam cansadas do voo não têm problema para encontrar confortáveis espaços de descanso e podem até contar com uma relaxante ducha grátis. Como pequeno inconveniente, os usuários consideram que os controles de segurança são um pouco lentos.

Os 10 melhores aeroportos do mundo

3. Aeroporto Internacional de Haneda – Tóquio (Japão)

O pódio é completado por outro aeroporto asiático: o de Tóquio-Haneda. Um lugar cuidado com esmero, fiel ao estilo japonês, no qual é impossível encontrar um papel jogado no chão. Não é um aeródromo que se destaque por seus elementos de entretenimento como os dois anteriores, mas os usuários avaliam de maneira muito positiva sua limpeza e segurança, bem como o tratamento amabilíssimo de seu pessoal. Um aeroporto que reflete a cultura de um país: amável, limpo e em ordem. Assim dá gosto viajar.

Os 10 melhores aeroportos do mundo

4. Aeroporto Internacional de Taoyuan, Taipei (Taiwan)

Quem disse que os aeroportos são locais chatos e sem alma? Em Taoyuan cada portão é ambientado com um tema diferente: desde o meio-ambiente até os produtos da Sony, passando pelas lojas de chá e de produtos da Hello Kitty. Para preencher o tempo morto entre conexões há aulas de caligrafia, degustações da comida local etc. O descanso é assegurado por salas confortáveis, e há até apartamentos familiares.

Os 10 melhores aeroportos do mundo

5. Aeroporto Internacional de Munique-Franz Josef Strauss (Alemanha)

O primeiro aeroporto europeu no ranking é o de Munique. Um espaço confortável e seguro do qual os usuários destacam a limpeza, a atenção ao cliente e a boa organização em geral do aeródromo. Pequenos detalhes, como o café grátis de manhã e a boa qualidade da comida oferecida nos restaurantes, somam pontos a mais que a média europeia. Para os pequeninos há uma área de jogos, bem como vários passeios organizados para ensinar os diversos aspectos do mundo da aviação.

Os 10 melhores aeroportos do mundo

6. Aeroporto Internacional de Kansai, Osaka (Japão)

De volta aos organizados e impolutos aeroportos asiáticos, desta vez no aeródromo de Osaka, uma instalação que no ano subiu na classificação até chegar à sexta posição. A ascensão se deve principalmente à implantação de uma nova área pensada especialmente para todos os que precisam passar a noite no aeroporto. Ela conta com bancos largos –esqueça aqueles horríveis, divididos por barras metálicas-, espaço reservado para guardar bagagem e até um serviço gratuito de empréstimo de mantas. Com lugares assim, esperar um voo de madrugada se torna, sem dúvida, muito mais tolerável.

Os 10 melhores aeroportos do mundo

7. Aeroporto Internacional de Vancouver (Canadá)

O continente americano surge no ranking graças à gentileza extrema do aeroporto de Vancouver. Desde o primeiro minuto da chegada a pessoa se sente bem-vinda, graças às instalações do aeroporto, à limpeza e à cooperação do pessoal que trabalha em suas lojas e restaurantes, bem como o da alfândega. Como se isso não fosse o bastante, o complexo é cuidadosamente decorado com múltiplas obras de arte, e as conexões para ir ao centro da cidade funcionam como um relógio. O primeiro contato com um país maravilhoso que já no aeroporto recebe com toda sua simpatia os viajantes.

Os 10 melhores aeroportos do mundo

8. Aeroporto de Helsinque-Vantaa (Finlândia)

Os usuários do aeroporto de Helsinque avaliam muito positivamente sua limpeza e a facilidade com que são feitas as atividades rotineiras de um aeroporto, desde a bilhetagem até o embarque. Como no resto dos países nórdicos, os serviços parecem ser feitos pensando nas pessoas, e não contra as pessoas, como muitas vezes acontece em outros países. Um dos tesouros mais apreciados do complexo são suas cápsulas de sono, complementadas pela grande quantidade de tomadas disponíveis ao longo dos terminais para recarregar equipamentos eletrônicos.

Os 10 melhores aeroportos do mundo

9. Aeroporto de Tallin (Estônia)

O aeroporto de Tallin nos mostra que não é preciso ter um megacomplexo cheio de espaços de fantasia e lazer para que um aeroporto seja bem administrado e avaliado. Seu tamanho nada tem a ver com alguns dos gigantescos aeródromos que ocupam os primeiros postos da lista, mas sua simplicidade, conforto e tranquilidade o tornam um dos com melhor classificação. É verdade que, por não ter muito tráfego intercontinental nem muitos voos noturnos, não conta com instalações pensadas para longas esperas nem conexões.

10. Aeroporto Internacional de Zurique (Suíça)

O top ten dos melhores aeroportos segundo The guide to sleeping in airport termina com um destes que são tão limpos e bem cuidados que parece que por lá não passam turistas. As instalações permanecem imaculadas, e a sinalização é tão bem desenhada que nem querendo é possível se perder. Mas os preços são altos; as lojas de roupas e de lembrancinhas têm artigos fora do alcance da maioria dos mortais, e a comida custa tanto quanto o melhor cardápio de um bom restaurante. Afinal, por melhores que sejam os serviços para os passageiros, continua a ser a Suíça. E é preciso pagar por isso.

Fonte: El pais.

Comer bem em Miami além do King Crab

cm-2016-miami-foods_claudiamatarazzo-3

Mas, convenhamos, existem outros encantos, tanto na Florida quanto em todo o vasto e variado territorio da América do Norte que volta e meia nos leva para lá.

Pois, se estiver em Miami e for daqueles que  começa a ficar impaciente depois de três dias saboreando king crabs e red snappers, vale a pena andar mais um pouco de carro até Fort Lauderdale e fazer a experiência de se sentar no Sahara, restaurante árabe imperdível para quem, como nós brasileiros está habituado a todo tipo de culinária libanesa, síria e dos arredores do oriente médio.

cm-2016-miami-foods_claudiamatarazzo-1

 

Se você acha que vai comer mais um tabule, babaghanoush ou homus – está enganado – embora estes também seja deliciosos e nada parecidos com o que estamos acostumados a saborear.

Mas o que encanta no Saara – além do ambiente completamente despojado, talvez até demais – é a variedade dos queijos e o frescor de todas as especiarias como o zaatar – entre outras.

Com direito a comprar a granel e levar para a casa, além de queijos, coalhadas, azeites sensacionais e temperos é possível sair de lá também com jogos de xícaras de café e outros itens decorativos.

Só um detalhe: não espere bebidas alcoólicas: como bons muçulmanos eles não servem. O que é lindamente compensado pelo perfumado e intenso café fechando a refeição.

Serviço – 3570 N state RD.7

Lauderdale Lakes

saharafoodmarket@gmail.com

954 731.3033

Pimentinhas ou Pimentões ? No mundo picante

Acredito que uma das melhores lembranças de viagens estão sempre ligadas a boa mesa. Tanto a  companhia e a experiências gastronômicas. E, nessas, sempre começo experimentando as especiarias e condimentos locais. Dentre esses, as pimentas sempre me fascinaram: pela sua variedade, – tanto no sabor quanto na forma – durabilidade e beleza.

Daí, que amei essa extensa reportagem do  “Ël Viajero “que reproduzo aqui pois  é uma verdadeira  volta ao mundo através das pimentas e pimentões – seus primos orgulhosos e grandões. Se você, como eu, gosta de um bom tempero, delicie-se com a variedade e  as muitas possibilidades  nesse quesito em qualquer canto do mundo .

panrotas-picante

Muitos acreditam que a sensibilidade para a picância das pimentas  é uma questão pessoal e subjetiva, mas não: o sabor  de uma pimenta é tão mensurável como o comprimento de uma estrada. A capsaicina  ingrediente produzido pelas pimentas que estimula sensores térmicos das mucosas é  medido na escala Scoville – que assim como outras escalas, orienta os amantes da pimenta na hora de escolher a que melhor se adéqua ao prato que vão temperar.

Esta é uma rota através de alguns dos mais fortes e mais famoso nos pimentões mundo. E por isso mesmo é importante segui-la com cuidado!

Reaper Carolina / Estados Unidos

A empresa norte-americana PuckerButt Pimenta Empresa criada com base na pimentões “spiciest” atravessa todas as conhecidas até agora na agrícola região da Carolina. Não é surpreendente “A morte como  alusão e a foice nos rótulos dos produtos, uma vez que estamos falando de 2.200.000 na escala  Ele deve ser usado com muita cautela, porque o consumo excessivo pode ser prejudicial a saúde.

panrotas-picante-trinidad-scorpion-butch

Trinidad Scorpion Butch / Trinidad e Tobago

Seu formato bomba é bem oportuno, uma vez que também é super forte. A Trinidad Scorpion Butch T é considerada a pimenta segunda mais quente no mundo, com cerca de 1,5 milhão de unidades Scoville. É uma modificação feita por uma empresa americana de um chile usados por comunidades indígenas em Trinidad e Tobago. Daí ser preciso muita coragem  para adicionar a um prato!

 

Scotch Bonnet / Jamaica

Habanero família, tem uma cor vermelha profunda. Seu uso é para molhos comuns e preparados em cozinha caribenha. Na cozinha jamaicana é usado como o principal ingrediente para suas  especiarias, ideal para um ponto -bastante- picante aos seus pratos, não em vão tem entre 100.000 e 400.000 unidades de Scoville. Pica bastante mas dá um indiscutível sabor de aventura  ao prato.

panrotas-picante-habanero

Habanero / Mexico

O México é um dos países identificados com comida picante, também produtor de muitos tipos de pimentas do gênero Capsicum. Mas se eu tivesse que escolher o mais famoso e canalha seria certamente o habanero, uma das pimentas mais quentes no comércio mundial, entre 100.000 e 350.000 na escala Scoville. Digamos que é uma coceira para estômagos ,. óleo usado, picles e molho em muitos pratos

Rocoto / Peru

Se há um país que reverencia pimentos, é o Peru. Aqui eles são chamados Pimentões e há mais de 25 variedades . Lá pimentas são estrelas em  pratos peruanos, como pimentões recheadas com carne picada, queijo e cominho. Atinge até 200.000 na escala Scoville. A cozinha do Peru é um das mais valiosas do mundo e vale a pena experimentar

Naja Jolokia / India

Na Índia a picância  está no ar que você respira.Mesmo em hotéis europeus , as refeições dos  Buffet são picantes, como se tivessem caído todo o pote de tabasco. Muitos deles são temperados com naja Jolokia, um pimentão na região de Assam, que atinge mais de um milhão de unidades Scoville.

panrotas-picante-piripiri

Piri / África

É conhecido como o diabo Africano e t cresce selvagem em países como Gana, Malawi, Moçambique, África do Sul e Nigéria, cujos habitantes  a usam desde os tempos antigos. Foram os Portuguêses que popularizaram-no como um molho para carne e peixes cozidos assados ou grelhados. É fácil encontrar uma grande quantidade  nos mercados – mas deve ser consumida com moderação..

Habalokia chocolate / Ilhas do Caribe

Não se deixe enganar pelo nome: este pimentão de doce tem muito pouco. É um cruzamento produzido principalmente no Caribe a partir de Naga Jolokia e habanero, que amadurece para um marrom tipo de chocolate.

panrotas-picante-cayena-birds-eye

Birdseye caiena / Thailand

Embora produzidos em várias partes do sudeste da Ásia e na Índia, onde este pimentão é uma verdadeira estrela, é na cozinha tailandesa. Conhecido como chilli thai é usado para preparar molhos e molhos que acompanham pratos típicos do país. Será que ela vai coçar seu estomago? Bem, apenas cerca de 150.000 unidades de Scoville. Para os iniciantes, vai…

Murupi amarela / Brasil

Pimentas, com cores  amarelas e verdes a semelhante a nossa bandeira . Produzidas principalmente no Brasil,  essa é uma variedade muito picante que atinge 100.000 na escala Scoville.  usada para molhos e temperos. Quem disse que o Brasil tinha apenas caipirinhas doces?

 

Jalapeno / Mexico

Apesar de pouco picante (“apenas” 8.000 Scoville), é um dos mais difundidos em todo países Latinos. Ela é usada para enchiladas, quesadillas, ceviches, arepas e pratos de carne e peixe em todo o continente.

 

Por : Paco Nadal – El viajero

‘World Atlas “livro mapa ilustrado por Aleksandra Mizielinska e Daniel Mizielinski, editado por Maeva.

Miami ou deixe-me

 

 

Quem passa pelas grandes avenidas rumo aos bairros mais afastados de Miami Beach e do centro comercial começa a ver uma paisagem diferente – além dos grandes prédios comerciais . E vale a pena se aventurar para pouco mais além dos roteiros turístico-comerciais

miami-portao-2

Winwood por exemplo, passou de um antigo bairro com galpões e fábricas abandonadas para um centro de arte ao ar livre com galerias sofisticadas e lojas de moda de vanguarda.

miami-parede-passaros

Os famosos “Murais de Linwood”  ou Winwood Walls concentram-se hoje em um complexo bastante bem organizado com mostras itinerantes de bons e/ou famosos artistas de graffiti e outras modalidades – e é um passeio que pode durar um dia inteiro ou mais.

miami-elefante-mural
Lá é possível encontrar todos os estilos e temáticas – desde painéis bem humorados, passando pela crítica social e até mesmo românticos e mais acadêmicos.


No mesmo complexo é possível ver esculturas nos jardins e há também uma grande galeria com obras menores que podem ser vistas com calma e em ambiente climatizado

miami-moto
É o caso da mostra com as obras remanescentes da Mostra de Basel,  uma das mais importantes do calendário das artes,  que também podem ser vistas ali e além de estarem a venda- e que , quase sempre, se não nos fazem refletir  causam um bom  impacto!