Arquivo de abril de 2010

Búzios ganha R$ 90 milhões com os Cruzeiros Marítimos

sexta-feira, 30 de abril de 2010

Pesquisa realizada pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) revela que na temporada 2009/2010 os turistas que visitaram a cidade de Búzios, por meio dos Cruzeiros Marítimos, geraram um impacto econômico no município de cerca de R$ 90 milhões.

Segundo a Abremar (Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos), cerca de 380 mil cruzeiristas passaram pela cidade litorânea do Rio. “Búzios é quase rota obrigatória dos Cruzeiros na temporada brasileira e estes fomentam a economia local. A pesquisa prova que a atividade agrega benefícios à toda cadeia turística”, destaca Ricardo Amaral, presidente da Abremar.

Ainda de acordo com a pesquisa, a maioria dos turistas era proveniente de São Paulo, principalmente do interior do estado, e 97% dos que visitaram a região pretendem voltar em outra oportunidade. Dos estrangeiros, a maior parte era da Argentina.

Acorda Brasil

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Nos  últimos  tempos muitos  têm  me  perguntado se os navios virão para a Copa do Mundo  de  2014  e  para a Olimpíada de 2016. A pergunta tem toda a lógica, pois  os navios poderiam trazer turistas e servir de hospedagem alternativa nos  dois  eventos.  Isso já ficou comprovado na Copa de 1990, na Itália, e nas Olimpíadas de Sidney, na Austrália, em 2000, e na de Atenas, em 2004.

As empresas marítimas se sentem motivadas a trazer torcedores para acompanhar suas seleções na Copa, com escalas em diferentes portos nacionais e evidente lucro para as cidades. Mas, a vinda dos navios não é tão fácil, pois esbarra em entraves, a começar pela pouca infraestrutura portuária. Por exemplo, Ilhéus, na Bahia, tem um só berço de atracação e Santos, o maior porto do país, tem dois, em frente ao terminal de passageiros.

Além disso, o custo da operação no Brasil é muito alto. Os impostos são numerosos e caros. A esses problemas deve-se acrescentar outros, como o dos vistos. Quando os navios escalam em dois ou mais portos precisam solicitar visto de trabalho para os seus tripulantes, o que onera ainda mais as operações. São muitos os gargalos a serem removidos.

Há disposição por parte das armadoras, mas elas precisam de portos em boas condições e de estrutura para receber milhares de turistas estrangeiros. O desafio brasileiro é entender que turismo não é só beleza natural e riqueza cultural. Turismo é algo mais complexo, que exige planejamento. Em contrapartida, é o principal item de exportação de bens e serviços no mundo.

Acorda, Brasil!