Arquivo de agosto de 2010

Duas boas escolhas

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Como novo presidente da Embratur, Mário Moysés tem todo o apoio da Abremar. A escolha é boa e o trabalho é muito, pois Mário continua no cargo de secretário executivo do Ministério do Turismo.

Mário entra no lugar de Jeanine Pires, a primeira mulher a comandar a Embratur e que agora, a convite do ministro Orlando Silva, integra a APO – Autoridade Pública Olímpica. Trata-se de uma espécie de agência para coordenar as ações governamentais dirigidas à Olimpíada de 2016.

Dois grandes eventos no país em curto espaço de tempo, como Copa e Jogos Olímpicos, constituem uma oportunidade para o Brasil investir em infraestrutura, capacitação e qualificação, itens essenciais para promover a sua imagem no exterior.

O turismo brasileiro precisa ser competitivo. Os desafios são grandes, mas a adoção de estratégias acertadas poderá fazer do país um destino turístico obrigatório. Vale a pena. Tenho a certeza de que Mário e Jeanine saberão fazer o melhor. Boa sorte a ambos.

Esperamos que em breve consigam desatar os nós que atualmente impedem que os navios estejam presentes na Copa de 2014 e nas Olimpíadas de 2016.

O NEGÓCIO É SER PROFISSIONAL

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Estudo de competitividade de 16 destinos turísticos do estado de São Paulo foi realizado pelo Ministério do Turismo, em parceria com a Secretaria de Turismo e o Sebrae Nacional. A iniciativa é interessante e poderia até ser repetida em todas as cidades turísticas, tanto do interior como do litoral do país.

No total, 600 perguntas foram encaminhadas para os municípios de Aparecida, Atibaia, Bananal, Brotas, Campos do Jordão, Cananéia, Guarujá, Iporanga, Itu, Panorama, Santo André, Santos, São Bernardo do Campo, São Carlos, São Sebastião e São Vicente.

Como o objetivo é avaliar em qual estágio de qualificação estão os municípios, os resultados foram encaminhados diretamente para eles e não divulgados publicamente. De posse dos dados, as cidades podem melhorar os serviços e o receptivo para bem receber os turistas nacionais e os que vêm do exterior.

O Brasil precisa acreditar mais no seu potencial turístico. Por outro lado, tem que investir mais, tanto em infraestrutura como em capacitação. O turista que chega a uma cidade, por mar ou por terra, precisa ter boa impressão. Não pode se deparar com portos deteriorados, estradas esburacadas e nem com profissionais que não estão capacitados para atendê-lo. Turismo gera receitas, sempre vale lembrar.