A (DES)INFORMAÇÃO QUE PODE ATRAPALHAR O DESENVOLVIMENTO

Na última semana, durante uma apresentação que fiz em audiência pública da Comissão de Turismo e Desporto da Câmara dos Deputados, percebi o quanto de desinformação existe sobre o setor de Cruzeiros Marítimos.

A audiência tinha o propósito de entender melhor as condições de competição entre os setores de hotelaria, resorts e cruzeiros no mercado e esclarecer a disparidade tributária que enfrentam.

Para minha surpresa, muitos acreditavam que os navios não são submetidos a uma tributação tão voraz quanto os setores de acomodação. Não vou entrar no assunto RESORTS X CRUZEIROS, pois isso está inteiramente ultrapassado e nem vale a pena discutir algo tão vazio de argumentação. Aliás, como já contei aqui, os setores estão se aliando por condições melhores para a cadeia turística e para estimular ainda mais o turismo no Brasil.

No entanto, me preocupou bastante a desinformação sobre impostos e procedimentos a que o turismo marítimo é submetido. Muita gente acha que não pagamos alíquotas suficientes, ou que somos privilegiados de alguma maneira. Ou, pior ainda, que não obedecemos a leis para contratação de tripulantes.

Longe disso. Pagamos imposto, sim, e muito. O setor de Cruzeiros Marítimos obedece às regras da CLT e da OIT para contratação de tripulantes e está sob forte regime de tributação: pagamos taxas portuárias, de praticagem, de bagagem, sobre combustível, água, lixo, de cassino, free shop, Visto para tripulantes, PIS, Cofins e muitas outras.

Somos taxados tão exaustivamente quanto diversos outros setores que operam no Brasil. Aliás, já se sabe que essa tributação tem desestimulado a vinda das armadoras para o País, como pode ser visto no crescimento inexpressivo da última temporada.

Espero ter esclarecido isso durante minha exposição. Agora, é bola pra frente! Com espírito de parceria, os setores deverão discutir caminhos para ultrapassar obstáculos comuns, desonerar a cadeia do turismo e desenvolver todo o potencial que nosso país possui!

2 comentários para “A (DES)INFORMAÇÃO QUE PODE ATRAPALHAR O DESENVOLVIMENTO”

  1. Amanda Ansaldo disse:

    A desinformação da população sobre o setor de cruzeiros marítimos é algo gritante… espero que pelo menos na Comissão de Turismo e Desporto da Câmara dos Deputados as coisas tenham ficado mais claras!! Já ouvi dúvidas sobre o setor que poderiam tranquilamente virar piadas!!

  2. Rhaony Rocha disse:

    O quê não altamente taxado no Brasil? Os deputados poderiam refletir mais sobre a questão. Se de um modo geral o “lazer” for desonerado o consumo de serviços aumenta e muito. Se o consumo aumenta, o emprego aumenta…

Deixe um comentário