Arquivo de janeiro de 2012

A segurança dos Cruzeiros Marítimos

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Todos acompanharam o trágico acidente com o navio Costa Concórdia, na Itália, e certamente estão seguindo o desenrolar desta história. Gostaria de aproveitar este espaço para reafirmar o meu posicionamento diante dos fatos: estamos todos tristes com o ocorrido e somente as investigações podem trazer as respostas às questões sobre o que aconteceu.

Em tempo, é preciso enfatizar a seriedade e o compromisso com que as companhias de cruzeiros – as mesmas que aqui no Brasil operam – tratam, há décadas, as questões como a segurança dos passageiros e tripulantes. Apesar do que houve, o próprio histórico da indústria de cruzeiros prova que esta continua sendo uma opção muito segura de lazer.

Como prova disso, trago um trecho do blog do presidente e CEO da Royal Caribbean International, e diretor da Cruise Lines International Association (CLIA), Adam Goldstein, sobre o compromisso com a segurança a bordo.

Além disso, coloco dois vídeos do setor, um da Royal Caribbean e outro da Carnival Cruises (em inglês), sobre o foco principal da indústria de Cruzeiros Marítimos: a segurança.

Espero que gostem.

Presidente e CEO, Adam Goldstein fala da dedicação do setor com a segurança a bordo

“O acidente do Costa Concordia é um momento importante na história da indústria moderna de cruzeiros. Precisaremos dos resultados das investigações das autoridades para realmente entender e responder a todas as questões. Mas não precisamos esperar por alguém ou alguma coisa para destacar o papel proeminente da segurança na vida cotidiana de cada navio de cruzeiro e da indústria como um todo.

Há muitos aspectos de segurança e, embora estejamos satisfeitos com nosso pessoal, com os processos e com a tecnologia dessa área, temos de revê-los, especialmente no que diz respeito a recrutamento, formação e evacuação. Estamos preparados para os mais variados cenários, mas agora precisamos ampliar essa gama.

Nas próximas semanas, vamos falar por meio de texto e vídeo sobre muitos dos elementos-chave da segurança. Muitos leitores que nos conhecem bem não vão se surpreender com nosso foco e compromisso com a segurança. No entanto, quem tem menos contato conosco deverá aprender alguns fatos interessantes sobre como preparamos, todos os dias, navios e tripulações para operações de segurança. Como, por exemplo, a preparação rigorosa e a formação contínua que cada capitão da nossa frota é submetido.

Segurança é uma jornada e não um destino. Temos de operar com segurança e constantemente buscar sua melhoria. Precisamos aprender as lições em cada incidente ou acidente, por menor que seja e temos de aplicar as lições aprendidas em toda a frota o mais breve possível. Este ciclo é interminável. Como diz nosso Presidente, Richard Fain, não existe segurança perfeita, mas existe a perfeita dedicação à segurança. E nós nos esforçamos para ser fiel a esse conceito.

Os navios mais novos são beneficiados por décadas de progresso da arquitetura naval. Eles também são beneficiários do desenvolvimento dos requisitos que os navios devem atender, conforme as condições da Organização Marítima Internacional (IMO).

Autoridades globais, regionais, nacionais e locais estão analisando com maior intensidade todos os regulamentos relacionados à segurança dos navios de cruzeiro. Temos um relacionamento forte e positivo com a IMO, a guarda costeira dos Estados Unidos, o governo americano, as autoridades portuárias e inúmeras outras autoridades ao redor do globo. Buscamos trabalhar alinhados para fazer um regulamento de segurança da moderna indústria de cruzeiros ainda mais forte do que já é.

Parece apropriado agora fazer meu apreço explícito e lembrar todos os meus colegas a bordo ou em terra que a vigilância do setor deve englobar cada prática, cada formação, cada plano de viagem, cada análise de incidente ou acidente das operações do navio, todos os dias.

Meus pensamentos e orações estão com aqueles que foram diretamente afetados pelo trágico acidente na Costa Concordia.”

Abraços,
Adam Goldstein, CEO da Royal Caribbean

Vídeos de Segurança a bordo

Royal Caribbean

Carnival Cruise Lines


Mais um novo Terminal de Cruzeiros

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Agora é a vez da cidade de São Francisco (EUA) investir em infraestrutura para levar ainda mais turistas para o estado da Califórnia, por meio dos cruzeiros marítimos.

Atualmente, o local possui o Píer 35 que recebe navios de até 304 metros de comprimento, mas já há um projeto – com previsão para inauguração no final de 2014 – de um novo ponto de atracação, o Píer 27, com uma infraestrutura mais moderna e com capacidade para receber navios de até 396 metros. Esta é a foto do projeto do Terminal de Passageiros James R. Herman, no qual pretendem investir US$ 86 milhões.

Os cruzeiros foram responsáveis pelo incremento de US$ 40 mi na região, apenas em 2010. Quase um terço do que os navios geraram para o Brasil, na última temporada.

Para se ter uma idéia de como já estamos ficando para trás, o maior navio da atual temporada brasileira mede 293 metros. Os destinos internacionais estão acompanhando o desenvolvimento da indústria de cruzeiros. Já está mais do que na hora de servir como parâmetro para os destinos brasileiros!