Arquivo de fevereiro de 2012

O Segredo do sucesso…

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Cada dia mais, vejo pessoas e empresas tentando descobrir qual o segredo (ou segredos) do sucesso. Essa fórmula deve valer ouro…

Logo que fui contratado pela Royal Caribbean, para abrir o escritório no Brasil, li um artigo na revista Época do Max Gehringer (Edição 556 – 12 de Janeiro de 2009) que tinha uma pergunta de um leitor: “Sinto um nó na garganta quando leio artigos sobre pessoas, com minha idade e minha formação, que estão obtendo sucesso profissional em empresas. Por que eu não consigo ser tão bem-sucedida como essa gente?” L.M.C.

A resposta do colunista foi muito interessante. Após discorrer sobre o fato de que o nó na garganta era mais uma impressão do que uma realidade, ou seja, uma exceção e não uma regra – pois o percentual de pessoas que aparecem nesses artigos onde atingiram uma posição de destaque ou reconhecimento é pequeno em relação ao total, inclusive de leitores de um determinado veículo (revista, jornal etc…) – ele explicou que as grandes empresas é que acabavam por obter destaque nesse tipo de análise e dessa forma o funil seria ainda maior. Além disso, ele também citou o salário ou renda dos bem sucedidos – nesse caso eu acrescento e me refiro a empresas ou pessoas.

O artigo termina com uma análise do que existe em comum entre os chamados “bem sucedidos”. Alguns, inclusive sem curso superior mas aparentemente com “muita sorte”, tinham em sua maioria mantido no máximo 3 empregos nos primeiros 15 anos de carreira e muitos continuavam na mesma empresa, de forma que “o talento e a criatividade podem ter contribuído, mas essa gente de sucesso foi, acima de tudo, paciente, persistente, extremamente dedicada e consistentemente produtiva. Quatro coisas que qualquer pessoa pode ser”.

Nesse tempo de grandes compras, fusões, aquisições etc, devemos nos lembrar que o que funciona mesmo é isso, paciência, dedicação, persistência e produtividade constante.

E isso serve para pessoas e para empresas e a maioria não tem esses elementos básicos, que permitam “sair na foto”, ou paciência para que isso aconteça. (Li a coluna do Artur que falava sobre Photoshop e como as pessoas querem sair na foto ou corrigir essas imagens e algumas vezes isso não é possível). As pessoas podem ter “sorte”, mas isso ocorre quando, ainda nas palavras do Max Gehringer, “o preparo encontra a oportunidade”.

Sejam pessoas ou empresas, a fórmula mágica não existe, tem que acordar cedo todo dia e trabalhar para manter os resultados constantes…

Trajetória de sucesso

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

O caminho para se chegar à edição 1.000 de um jornal semanal certamente não deve ser tarefa fácil e não há dúvidas de que o Jornal Panrotas cumpre hoje um papel importante no turismo.

Falando de caminho e trajetória, o Jornal Panrotas vai completar 20 anos e quando fiquei sabendo disso, me dei conta de que o vi nascer, crescer e se tornar o que é hoje: um veículo de credibilidade – quando comecei minha carreira, havia apenas o Guia Panrotas. Portanto, tenho uma história profissional que cronologicamente se desenvolveu no mesmo tempo do jornal, que acabou registrando o meu trabalho nestes últimos 20 anos.

Três registros me marcaram fortemente neste tempo. A primeira delas, foi uma matéria muito bacana publicada em outubro de 2007 ‘O que pensam os líderes do amanhã’, que naquele ano indicava que eu seria um dos líderes do futuro, a partir de 2010.

Outra matéria marcante foi um perfil meu publicado em outubro de 2009 ‘Palavra de vendedor’, que me apresentava como um profissional de destaque em vendas, onde a minha trajetória foi contada desde o início até os tempos de hoje, como diretor geral da Royal Caribbean México e América Latina e presidente da Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos – Abremar.

Por último, também em outubro de 2011 – quatro anos depois da primeira matéria – fui relacionado pelo Panrotas como um dos 50 poderosos do turismo. Devo confessar que me preocupam essas listas – são efêmeras – mas, é sempre muito bom estar em uma positiva, que me colocou entre as pessoas mais importantes do setor. Fiquei contente de estar em uma relação de profissionais de alto gabarito.

Tenho muito carinho pelo Panrotas e os considero como um parceiro do setor, e deve ser mutuo pois há algum tempo me convidaram para escrever o blog Navegando, um canal de comunicação interessante, dinâmico e com boa audiência.

Espero continuar sendo testemunha da evolução e do amadurecimento deste veículo – que acompanha as tecnologias e as necessidades do turismo brasileiro – assim como eles são testemunhas da minha carreira. Desejo sucesso e sorte para os próximos 1.000 exemplares.