Posts com a Tag ‘destinos’

O novo-velho porto de Hamburgo

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

A Folha divulgou, no último domingo, uma matéria sobre a iniciativa da prefeitura de Hamburgo, no norte da Alemanha, de revitalizar a zona portuária. Achei interessante e quis postar este assunto aqui por curiosidade e para dar um exemplo de destino que acredita nos cruzeiros.

Este porto é o segundo maior da Europa, no quesito carga, e tem inacreditáveis 800 anos de operação. Realmente, somos muito novos! Mas, eles também são novos na indústria de cruzeiros, que se destacou lá na última década. Neste ano, eles esperam mais de 300 mil turistas por meio dos navios.

A grande diferença é que Hamburgo tem sua expertise de operação e logística portuária de centenas de anos e ainda conta com um governo que investe anualmente na ampliação e modernização dessa estrutura. Assim fica bem mais fácil…

Tudo isso tem resultado numa grandiosa e eficiente operação de cruzeiros (veja a foto do novo terminal de cruzeiros). Alias, não acho pretensão dizer que esta revitalização esteja influenciada pelo aquecimento do turismo marítimo local. Eles querem mesmo fazer este setor crescer por lá.

Maré chinesa

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Falei do Chile e, continuando na categoria c-h, falo da China…Uma das civilizações mais antigas do mundo, que já está se rendendo à opção moderna de turismo de lazer, os Cruzeiros Marítimos. A China parece ter decidido abrir, além do mercado, também seus portos – para o turismo – e já investe mais de US$ 150 milhões no terceiro terminal de cruzeiros, em Qingdao.

Aos poucos, a classe média chinesa está provando a experiência de viajar de navio; e as armadoras, claro, cada vez mais interessadas em conquistar um público singelo de aproximadamente 1,3 bilhão de habitantes.

O interesse chinês pelo setor de Cruzeiros cresce na mesma proporção que o número de passageiros. Resta-nos torcer para que não siga o mesmo ritmo de sua economia, com riscos de faltar navio para atender tanto turista e, obviamente, de o Brasil perder mercado!