NIAGARA OU FOZ? AMBAS

Com apenas dois dias em Toronto, antes de seguir para Hong Kong (amanhã de manhã, em 15 horas de vôo), não deixa de ser estranho o Toronto CVB ter escolhido que pasássemos (eu e o grupo de operadores do post anterior) um dia inteiro em Niagara Falls. Não que não valha a pena, mas ficou faltando tanta coisa em Toronto, apesar da correria de ontem… Acaba de ser aberta a Art Gallery de Ontario, com projeto de Frank Gehry; também foi aberta a expansão do Royal Ontario Museum… Sem falar nos musicais, novos restaurantes, nas compras…

Enfim, passamos o dia em Niagara Falls, que fica a uma hora meia de Toronto. As cataratas em si não se comparam em beleza às nossas, de Foz do Iguaçu, mas ao menos do lado canadense (Niagara é na divisa com os EUA) há um destino bastante atraente para famílias e casais. De cinema Imax a uma nova atração cheia de tecnologia e efeitos especiais (Fury), do cassino ao passeio de helicóptero (que fizemos, maravilhoso), de parques indoor a restaurantes com comida farta, de pouco micos a passeios atraentes, ficar em Niagara Falls não é uma roubada.

Um produto que tem crescido é o de roteiros de vinhos. A estrela da região é o Ice Wine (vinho de gelo u congelado), feito com uvas congeladas. É um vinho de sobremesa, caro e bem saboroso. Oitenta por cento da produção mundial sai da região. Mas Niagara ainda é conhecida também como destino de lua-de-mel. Algumas atrações estão no limite do brega (fuja do aviário e só vá ao Imax senunca viu um ou se tiver tempo, pois o filme não é dos melhores), mas no geral, há muito o que ver e fazer. Como está frio (mas as cataratas ainda não congelaram), o barco Maid of the Mist está suspenso até o começo da alta temporada de 2009, mas mesmo assim, ainda sobram muitas atrações. Inclusive nos arredores, com a bela Niagara on the Lake, simpática cidade pequenina, com lojinhas irresistíveis, e até parques para a criançada, com direito a montanha-russa.

Foz está no caminho certo para se tornar uma Niagara (que já recebeu 15 milhões de visitantes ao ano, mas hoje recebe “apenas” 5,5 milhões). Tem mais beleza, tem mais exuberância, não congela, tem aventura… falta melhorar a malha aérea (Niagara está do lado de Toronto e a algumas horas de NY) e investir em tecnologia. O resto está beleza – nosso aviário dá de dez neste daqui. E o show de Itaipu é uma atração que nada deixa a desejar.

Foi um dia simpático, com encerramento com chave dupla de ouro: o passeio de helicóptero é magnífico, mesmo causando certo enjôo, por causa das manobras para que todos fotografem do melhor ângulo, e o Ice Wine, mesmo para quem não bebe, como eu, é excelente.

Depois conto sobre o hotel Soho, onde jantamos. Viviânne Martins, da ABGev, ia adorar, pois tm cofre com tomada para carregador de laptop, entre outros mimos…

Abaixo, algumas fotos:

Rosana Carvalho, da Air Canada, e um belíssimo background em Niagara
[photopress:rosanaarco_1.jpg,full,pp_image]

Sucesso total, nesse frio de zero grau, é o chapéu que o Tio Fortunato está usando. Tia Augusta trouxe de Nova York e todos já experimentaram… Vamos tentar achar outro em Hong Kong, pois, como quase tudo, é um produto made in China
[photopress:chapeufor_1_2.jpg,full,pp_image]
[photopress:mechap_1_2.jpg,full,pp_image]

Um dos grupos antes de entrar no helicóptero
[photopress:helitor.jpg,full,pp_image]

Marco Ferraz, da Monark, ajudando o piloto em nosso vôo
[photopress:marcaoheli.jpg,full,centered]

Lembrem-se que só chegamos em Hong Kong na sexta…

Artur Andrade

Deixe um comentário