ATÉ QUEM NÃO É FÃ SE ENCANTA…

ORLANDO – Quando gostamos muito de algo é difícil entender como outra pessoa pode, simplesmente, não ter a mesma opinião. Isso vale para tudo: um filme, uma música, um prato especial e até um destino turístico. Quem nunca se sentiu um tanto quanto embaraçado por não gostar de algo adorado por todos? Às vezes o “embaraço” é tal que para não revelar sua opinião, vale até mudar de assunto. Bom, devo confessar que os parques temáticos não são exatamente a “minha praia”. E “confessar” isso é embaraçoso, quando se trabalha no turismo.

Voltei de uma semana de visita ao Walt Disney World. Foi a segunda vez em que estive no complexo de parques e resorts de Orlando, na Flórida, novamente a trabalho, e devo ressaltar que tive excelentes experiências nas duas visitas. Mas não gosto de aglomerados de pessoas, sou avessa a filas, pensar em ir às compras é algo que já me cansa e não tomo Coca-Cola. Quando penso em férias, penso em natureza, cidades históricas ou reencontro com amigos. Por mais fantástica que tenha sido esta semana nos parques Disney, em Orlando, a Disney ainda não “encaixa” no meu desejo de consumo para as próximas férias.

Mas fui positivamente surpreendida por coisas pitorescas e criativas que pude conhecer e que, definitivamente, me fazem admirar ainda mais a eficiência do mundo criado por Walt Disney. Vamos a elas:

1 – Chef´s Table – Um dos almoços da semana foi na cozinha do restaurante do Disney´s Coronado Springs, um dos resorts do complexo. A mesa do chef ocupa uma sala com decoração colonial dentro da cozinha do resort. O ambiente é agradável, apesar dos ruídos da cozinha. E os pratos… Um banquete perfeito, com sabores memoráveis!

[photopress:salajantar13581.jpg,full,pp_image]

2 – Festa no parque – Há muitas coisas que a Disney faz bem, mas pelo menos duas delas são feitas com perfeição: marketing e festas! Mas vamos falar apenas da segunda… Participar de uma festa dentro de um dos parques, depois de fechado, é único, mesmo para quem não é fã. Ter com uma certa exclusividade aquela infraestrutura toda ao seu dispor é um privilégio. Embora animação seja algo constante dentro dos parques, nas festas ela ganha naturalidade.

[photopress:idolos15191.jpg,full,pp_image]

3 – Espetáculos – O fato do Cirque du Soleil ter escolhido Downtown Disney para um de seus palcos fixos é um ponto alto para o complexo – e para o circo, naturalmente. O segundo espetáculo da última terça-feira, dia 10, não estava lotado, mas a ocupação ultrapassava facilmente os 70%. Prova do sucesso da parceria.

4 – Variedade – Há mais de 20 resorts administrados pela Disney em seu complexo de Orlando. Do luxo aos econômicos, as opções atendem a vários perfis. Há quem goste da decoração do Coronado Springs ou do aglomerado de efeitos visuais dos econômicos All-Star Movies ou Sports e existem os que preferem as linhas clássicas do Floridian ou do Boardwalk. Mas há também o Fort Wilderness, para quem prefere contato mais próximo com a natureza – com suas cabanas de decoração rústica, mas conforto padrão Disney – ou mesmo área para estacionar motorhomes.

[photopress:sala3071.jpg,full,pp_image]
[photopress:mansao13671.jpg,full,pp_image]

5 – Praticidade – O Fast Pass, uma espécie de “agendamento” de horário para algumas das atrações mais concorridas dos parques, é uma grande idéia para resolver o problema das filas – tão grande quanto elas mesmas! Mas há outras boas idéias, como a fila para quem não faz questão de ir com acompanhante nas atrações. Quem escolhe essa fila, presente em brinquedos como o Test Track, em Epcot, vai “preenchendo” aqueles lugares que sobram nos carrinhos, reduzindo bastante o tempo de espera.
[photopress:testtrack12831.jpg,full,pp_image]

Depois de visitar a Disneyland, na Califórnia, e Walt Disney World, na Flórida, continuo não incluindo qualquer um deles entre os meus destinos de férias. Mas entendo cada vez melhor quem tem o sonho de visitá-los. Afinal, o que seria do vermelho, se todos gostássemos do amarelo?

PS – Em tempo: visitar a Disney com uma fã, como a Marianna, dá um novo sabor ao destino. Minha empolgação com o que visitei e conheci podia não ser tanta quanto a dela, mas é fato que alegria é contagiante. E confesso que fui contagiada inúmeras vezes nessa semana…

Maria Izabel Reigada – Especial para o PANROTAS

Deixe um comentário