Novo desafio

Desde que comecei a trabalhar, aos 17 anos, aptei por não seguir uma carreira em empresas grandes pelo aprendizado e velocidade de crescimento que empresas pequenas podiam me trazer. Apesar de ter passado por gigantes como Dell, ainda assim busquei um norte diferente.

Nos últimos 12 anos trabalhei como diretor e empreendedor no mercado de viagens. Desde gerenciar call centers, inovar modelos de negócios, até voltar da universidade do Google pra fazer uma startup mobile com 7 pessoas a bordo.

Depois de 3 anos empreendendo e de ter cansado um pouco do “offlinezismo” do travel brasileiro resolvi passar para um novo cenário: voltar ao mercado e trazer inovação para grandes empresas.

Meu novo desafio hoje é ser Diretor de Educação da Catho, tenho que levantar uma área totalmente nova, desde o marketing até call centers, dentro de uma empresa líder de mercado com receita de R$ 300 milhões por ano e 1.000 funcionários, tendo como Acionistas o Grupo australiano Seek líder mundial em Recrutamento Online e o Fundo de Private Equity Tiger Global Management.

Continuo no mercado de viagens, ainda empreendendo indiretamente, pois continuo sócio e no conselho de administração do Nativoo, além de ajudar diversas startups. Posts serão novos e diferentes, vou continuar sempre trazendo coisas novas pra cá!

Marketing Geolocalizado

Imagine oferecer para um especialista em marketing, há 10 anos, a seguinte possibilidade: “atinja seus clientes onde eles estiverem, a qualquer momento, considerando a localização atual, com comunicação diretamente em seus bolsos”. Pois é exatamente o que o mobile pode fazer hoje. Por isso, muitos players estão adicionando mais uma camada na estratégia: marketing geolocalizado. Principalmente porque os mapas são amplamente utilizados e a forma que as pessoas exploram os destinos e planejam suas viagens tem mudado radicalmente.

Diversos players estão utilizando iBeacon da Apple, para identificar quando um usuário está perto do dispositivo e disparar uma oferta: “atenção, você com o Iphone 6, poder aquisitivo alto, na frente da minha loja, te dou 20% de desconto se me apresentar esta mensagem”. A Beekme é um exemplo bacana no turismo usando IBeacon em Brasília. Neste link também é possível ver a companha da Pizza Hut usando Geofencing, além de vários outros cases de campanhas mobile.

Alguns pontos na hora de montar a estratégia de mobile marketing:

1. Pense geograficamente
Localização não é o único fator, mas é uma tendência fortíssima. É possível descobrir pessoas diferentes e atraí-las para seu estabelecimento, ou até mesmo descobrir que um viajante está no destino e oferecer um tour, por exemplo.

2. Encontre uma agulha no palheiro
Usando o Google Trends e o Google Correlate dá para ver o que as pessoas estão buscando quando estão em determinadas áreas. É possível achar interesses e encontrar perfis inimagináveis que vão com certeza lhe mostrar um target refinado para determinados produtos.

3. Seja criativo com a localização
Baseado em como e o que as pessoas buscam em determinado local, você pode variar e ser criativo na sua atuação. Em turismo são tantos locais e tantas opções que o viajante tem, como por exemplo alguém está agora na Times Square em NYC, disparar um push com promoção de ingressos ou um tour de helicóptero comissionado faz muito sentido. Simplesmente sendo criativo é possível gerar vendas e um relacionamento do cliente com a sua marca.  

4. Use mas não abuse de push notifications
Notificações no telefone são extremamente úteis, especialmente quando existe um motivo especial para usá-las, como ofertas imperdíveis por exemplo. Uma boa ferramenta para automatizar da mesma forma que email marketing, é o Parse. Muitas notificações também podem ser um tanto intrusivas e fazer com o que o usuário exclua seu app, tome cuidado.