100 dias e onde estão as oportunidades para MICE no Brasil?

Estava na Turquia nos últimos dias e 3 notícias se repetiam em todos os noticiários internacionais no dia de ontem(4/3):

A situação da Ucrânia x Rússia e USA, os ganhadores do Oscar, em especial a primeira africana negra a ganhar um prêmio como este e os 100 dias para a Copa do Mundo no Brasil e nesta última notícia mostravam o Rio e até um pouco da terça feira de carnaval.
Estes últimos 15 dias foram para mim de várias experiências novas em viagens e na sua maioria, vivências ótimas e surpreendentes e que me fizeram refletir bastante sobre o título deste post e em como é tão possível aproveitar as oportunidades com serviços diferenciados, criatividade e dedicação pelo que se faz!
Os primeiros 4 dias de viagens, estava em reunião do conselho do ACTE em Istambul e destaco nesta etapa o novo momento do ACTE, rumo a mudanças muito bacanas em uma Associação de 26 anos, até então muito conservadora em seu modelo de administração, com direito até a “gamefication” na sua estratégia de futuro.
Depois passei 3 dias em Londres para uma reciclagem de inglês, e aí já comecei a experimentar fazer o mesmo de uma maneira diferente. Fabiano Garcia, este Brasileiro, professor de inglês desde sempre, resolveu inovar e fazer algo diferente para seus alunos, pois avesso a rotina e aulas chatas, inova levando-os para Londres ou USA (Los Angeles) e faz um programa que mistura teoria e prática da língua em várias situações, desde muita conversa caminhando e/ou correndo, supermercado, até refeições e cafés, além de visitas a museus e bate papos na “London Eye”(ponto alto da aula)!
London teacher_baixa
Voltando para Turquia para começar realmente as férias que seriam de 7 dias, divididas em 5 dias de serviços por mim contratados, diga-se de passagem de empresa especializada, e 2 dias em um incentivo da MEPtur, empresa The Collection em Istambul, cliente da Academia de Viagens e eu não tive acesso prévio a programação.
Nos primeiros 5 dias os serviços comprados, em pacote individual, foram completamente enlatados, e apesar de personalizados, sem nenhum serviço ou diferencial que valha a pena citar aqui. O ponto alto destes primeiros dias foi a visita a Capadócia ou Capadokia, como eles falam lá, lugar incrível e muito me valeu a dica de Sidney Alonso do Hotel Argos, que além do charme e atmosfera únicos, tem uma gerente geral que faz um Tour pelo Hotel mostrando como foi a recuperação das cavernas encontradas e recebe seus convidados, com a ajuda de seu mascote Bademargos, que faz toda a diferença no bem receber e no que chamamos de hospitalidade, com muita simpatia, eficiência, qualidade, neste hotel feito de cavernas.
Dog_baixa

Ahhh, os últimos 2 dias!!!Comprei durante 17 anos incentivos na época de Bayer e acho que não me lembrava mais de como era… O Comitê de Incentivos da ALAGEV, o CIN, e o Sidney, que vivo acompanhando suas criações, vão concordar comigo, quando eu afirmar que este é realmente um negócio para especialistas!!!
Desenhar e operar Incentivos, tem que estar no DNA da empresa, afinal, esta é uma viagem que não se pode comprar. O ponto alto? Todas as 48 horas, desde os vários contatos para entender quem era “o público”(neste caso eu e Caio), preferencias, até o bem receber no aeroporto com um buque de flores, que confirmavam o slogan da empresa no folheto que recebi no carro “dedicated to perfection”.
MEPtour_baixa
Daí pra frente foram uma sucessão de boas e excelentes surpresas, que poderia ficar contanto durante horas, em muitas linhas, mas a questão aqui é reflexão.
Como vamos receber nossos convidados, na maioria de incentivos que virão para a Copa? Público de incentivos tem sempre expectativa alta! Como estamos no preparando?
Estamos prontos para como nos exemplos; e abaixo mais um exemplo da Turkish;

Turkish_baixa

“Fazer o mesmo de uma maneira diferente, caprichar na hospitalidade, colocar cada parte do negócio na mão de especialistas (estamos vendo várias empresas querendo aproveitar a oportunidade e fazer aquilo que não está no seu DNA) e nos dedicarmos a perfeição.”

Será este o nosso foco? Somos todos responsáveis por isso, ou somente aqueles que vão operar mais de perto?
Talvez o segredo seja bem simples, se cada um fizer o que sabe bem com amor, todos vão se sentir como me senti na Turquia!

Postagens relacionadas

Published by

3 thoughts on “100 dias e onde estão as oportunidades para MICE no Brasil?

  1. Reflexão muito oportuna, Vivianne… A hora não é de ficar se lamuriando… mas pensar estrategicamente para otimizar o que realmente teremos… para quem sabe em um futuro proximo termos muito mais!
    Abs,
    Andréa Nakane

    1. Andrea, que bom ter eco no seu pensamento, é hora de nos unirmos e depois de fazermos valer nossa excelente entrega, cada um fazendo o seu melhor, quem sabe assim poderemos mostrar indignação por posturas errôneas seja de colegas ou do nosso governo…
      Obrigada pelo comentário. Sds,

  2. Excelente postagem, digna de um agente de mudança. Onde o objetivo não é apenas informar, mas da a oportunidade de que reflexão e ai gerar aprendizagem.

    Parabéns!

    P.S. Como faço para entrar em contato via e-mail? Gostaria de fazer um convite. Firmo.wallace@hotmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *