Brasileiros (importantes) em Paris

A semana passada eu escrevi sobre turistas brasileiros em visita a Paris, através dos dados recolhidos por um estudo de campo e também do site do Comitê Regional de Turismo de Ilê de France, o CRT, vimos um pouco de seus hábitos.

Baseada em minha experiência, outra coisa que posso afirmar sobre o brasileiro que visita Paris é que ele adora encontrar outros brasileiros. É através da conversa com compatriotas que visitantes tiram duvidas, partilham sentimentos e momentos especiais de sua estadia na capital francesa. Nestes encontros, muitos deles involuntários, brasileiros acham novos amigos. E não há nada mais legal do que encontrar novos amigos durante uma viagem.

Mas quem são os brasileiros que vivem em Paris? Segundo o Le Monde a comunidade de brasileiros na França conta com aproximadamente 25 000 pessoas, porém parece impossível traça-los geograficamente.  Além destas 25 000 pessoas, o país recebe anualmente mais 9000 estudantes brasileiros que vêm cursar pós-graduação e doutorado.

Segundo os dados do INSEE 26% dos brasileiros que se instalam atualmente na França não tem nenhum diploma, 6% dispõem de um diploma de curso técnico ou equivalente, 23% nível colegial e 45% nível superior. A imigração brasileira é pequena e representa aproximativamente 2% dos 230 000 imigrantes que entram em média na França por ano –dados INSEE recenciamento 2013. Outro elemento curioso é que em Paris e seus arredores há mais de trinta associações brasileiras. Com exceção da Maison du Brésil, que existe há 54 anos e além de divulgar nossa cultura oferece alojamento a estudantes de alto nível e pesquisadores brasileiros e da associação Bom de Bola, do Ray, criada para auxilio de crianças pobres brasileiras, as demais tem como objetivo divulgar o Brasil e cada uma delas promove quase que unicamente 1 determinado aspecto cultural de nosso país. Algumas associações divulgam danças por intermédio de aulas e estágios, outras organizam encontros infantis, outras associações divulgam regiões. Sem duvida a mais conhecida associação brasileira em Paris é associação organizadora da Lavagem de la Madeleine, um desfile com blocos e trio elétrico seguido de uma cerimônia ecumênica e a lavagem das escadarias da Igreja da Madeleine, no centro da cidade.

DSC_0648 (1)ok
DSC_0695 (1) Brasileiros e amantes do Brasil invadem as ruas de Paris durante a “Lavagem”
Paris
Blocos representam a cultura brasileira em Paris
Lavagem da Medeleine em Paris
Brasileiros se reúnem na Lavagem da Madeleine

Dentre este mundo de gente boa que são os brasileiros vivendo em Paris e na França, alguns se destacam por responder particularmente a necessidades de nossos clientes. Pessoas que por si só respondem a aquelas tradicionais perguntas: Aonde eu encontro umas lembrancinhas baratas para comprar? Aonde encontro perfumes? Aonde comer?  Quem pode dar um jeito no meu cabelo? Aonde me divertir? Por que é buscando o item de consumo ou serviço desejado no lugar certo que brasileiros encontram também amigos de verdade em Paris. Brasileiros que vivem aqui atendendo a brasileiros, recebendo com o nosso jeitinho carinhoso e com muita simpática. Gente importante para nosso mercado, verdadeiras referências se você quer parecer expert sobre Paris mediante as estas perguntas tão habituais de todo turista.

Aonde comprar perfumes? Se você é um expert em Paris já deve até conhecer a Regina, que trabalha na Perfumaria de L’Opera, perto da Opera de Paris, Rua do Helder numéro 3. A Regina já trabalhou em algumas perfumarias famosas e há alguns anos se instalou nesta boutique simpática e bem localizada. Liderando um time de brasileiras a Regina atende em grande estilo: descontos, reembolso da IVA, banheiro e cafezinho são algumas das comodidades.

Regina lidera equipe de brasileiros vendendo perfumes
Além de perfumes maquiagem e cosméticos
Regina loja perfumes em Paris
Regina lidera equipe que fala português na perfumaria da Opera

E lembrancinhas? O Filipe é brasileiro, vive em Paris há 25 anos  e oferece 2 endereços para quem busca lembrancinhas originais, bons preços e serviço em português na cidade luz. As Lovely Paris Souvenirs ficam no Boul. Poissonnière°28  e no Faubourg Montmartre n°21.

Loja Paris
Lovely Paris, 21 Faubourg. Montmartre
Camisetas
Lovely Paris, 28 Boul. Poissonnière.
Filipe
Filipe na frente de uma das Lovely Paris, 2 endereços para lembrancinhas e serviço e português.

Quem pode arrumar meus cabelos? Afinal não da pra vir até Paris e sair despenteada nas fotos, né? A Marcela do salão Magnifique Glamour, que também mantém uma equipe de brasileiras bilíngues para atender a seus clientes. Cabelos, unhas e até salão de massagem para nossa clientela curtir a cidade luz linda, leve e arrumadíssima! Boulevard de Bonne Nouvelle n°15

marcela

marcela Paris
Marcela comanda sua equipe de beleza no Boul. Bonne Nouvelle
magnifique glamour Paris
Beleza e atendimento em português no centro de Paris

Serviço e diversão em português? O proprietário do cabaré Paradis Latin, Aroldo Israel contratou o comercial Luiz de Luca Moreira para atender ao mercado brasileiro e também em sua sala de espetáculos o brasileiríssimo Robertinho anima a platéia e atende a todos em português. Aliás o Robertinho é um dos representantes reconhecidos da comunidade brasileira que vive em Paris por ser também o organizador da famosa Lavagem da Madeleine, sobre a qual escrevi acima.O Paradis Latin fica na Rue du Cardinal Lemoine n° 28, 75005

Robertinho Paradis Latin -Paris
Robertinho, organizador da Lavagem da Madeleine anima as noites do cabaré Paradis Latin
Luiz Paradis
Luiz de Luca, comercial do Paradis Latin, um dos cabarés mais antigos da cidade -1889

Comida brasileira? Essa pergunta sempre me surpreende. No entanto ela é compreensível, afinal como não ter saudades de um bom arroz e feijão? Justamente há duas semanas fui convidada a conhecer o restaurante Monde du Brésil. Adorei, não somente a comida, mas também o ambiente e a fórmula. Restaurante a quilo em Paris? HUUMMM! Que delícia poder hesitar entre feijão tropeiro ou feijoada, e pegar os dois é claro! Frango, linguiça ou bife acebolado? Humm de novo ! Com direto a sucos de frutas de verdade ou ainda guaraná e tudo que não veríamos em um restaurante francês.  Com exceção dos clientes, é claro. Clientes franceses, trabalhadores das empresas próximas, pareciam se deliciar com a ampla escolha de sabores da nossa terra, o som da bossa-nova nas caixas, a gentileza e educação dos proprietários Mary e seu esposo W.Dantas. Senão me falha a memória os clientes haviam laceado as gravatas e tinham suas pernas abertas, colunas relaxadas, como se estivessem com calor, apesar do inverno lá fora, como se tivessem acabado de comer uma feijoada e beber uma caipirinha bem na beira da praia.  Mary e Dantas são pessoas sérias, comprometidos com a qualidade e muito acolhedores. A noite o serviço é a lá carte e nos fins de semana há musica ao vivo.

Monde Du Bresil restaurante Paris
Monde du Brésil, ambiente brasileiro no bairro de Boulogne-Billancourt
Monde du Brésil Paris
Mary e Dantas acolhem e servem comida por quilo

Monde du Bresil2

Ficam as dicas para vocês e seus clientes! Boa semana Silvia

Published by

Silvia Helena

Após breves passagens pela Faculdade Metodista de São Bernardo e Belas Artes de São Paulo, aos 18 anos fui estudar no Canadá, onde vivi durante 23 anos. Lá me formei em História da Arte pela Universidade de Montréal, estudei turismo no Collège Lasalle de Montréal e no Institut de Tourisme et Hôtellerie du Québec. Comecei minha carreira na área trabalhando em Cuba. Durante os anos vividos no Canadá, entre outras coisas, fui guia de circuitos pela costa leste e abri minha primeira agência de receptivo para brasileiros. Há dez anos um vento forte bateu nas velas da minha vida me conduzindo até França. Atualmente escrevo de Paris, onde vivo e trabalho dirigindo a empresa de receptivo, a Holatour.

11 thoughts on “Brasileiros (importantes) em Paris

  1. Silvia, lendo seu post, lembro quando tive em Paris com um FAM da CVC/ES onde no dia de folga eu e um amigo fomos a Eurodisney e chegando lá olhamos paparicamos e resolvemos não entrar, mas estávamos querendo visitar e sentir a emoção de ver o nome de uma dos maiores tenistas brasileiros estampados em um ginásio…nossa direção mudou para Roland Garros…e eu cru de inglês e quem dirá francês, bati nas costas do amigo e disse “vá ali no posto de informações e pergunta como chegamos em Roland Garros”, eis que nesse momento surge um brasileiro e diz: “não precisa ir lá, eu estou saindo do meu plantão aqui e minha direção é a mesma de vcs”…pensamos, que ótimo, vamos ganhar tempo pq não erraremos o caminho…no caminho, conversa vai, conversa vem, eis que esse brasileiro foi para a Paris jogar futebol, se machucou, arrumou um emprego na Eurodisney e por lá ficou, só que no decorrer da conversa surge que ele havia jogado no Flamengo e como somos da mesma idade eu perguntei: “vc jogou com Romulo?”…ele disse: “Romulo que mora no Espírito Santo?”..eu falei: “sim, ele mesmo”…ele disse: “dividimos quarto por mais de 3 anos no Flamengo”…resumo da história…o Romulo, quando iniciou a carreira, foi juntamente comigo, ele morador do interior, quando menino jogamos no mesmo time e ele se hospedava na minha residência em Vitória (capital)…foi papo para o dia inteiro…Paris é showwww.

  2. OI SILVIA,
    ADOREI SUA DICAS.
    MORO EM ORLANDO, EUA, E AS PERGUNTAS SAO EXTAMENTE ESSAS QUE OS BRASILEIROS FAZEM AO CHEGAREM AQUI.
    VOCE FOI MUITO INTELIGENTE E OBSERVADORA AO FAZER ESSA MATERIA.
    PARABENS! ACHO QUE SERA MUITO UTIL.
    BJ

  3. Ainda bem que o Panrotas não se responsabiliza pelo conteudo dos artigos.
    A moça escreveu sobre o universo dela, apenas. Isso não é a comunidade brasileira em Paris.

    1. Oi Nana

      Como vai? Obrigada por ler o post e deixar seus comentários. Sim, é fato, escrevi sobre o que vivo e brasileiros que conheço e posso assegurar que se destacam pelo brilhante trabalho, ética incontestável e por se alegrar com o sucesso alheio. A comunidade é enorme e as habilidades de seus participantes inúmeras. Se quiser deixar uma dica aqui de outros brasileiros bem sucedidos, bem humorados e sociáveis fique à vontade. Meu nome é Silvia, moro em Paris também, tomemos um café um dia desses.

Deixe uma resposta para von Glehn Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *