Números TMG/ AirBnB / Account Managers / Cabify / Wifi Público (also in English!)

Caros Leitores,

Escrevo este post com a sensação de dever cumprido que trago desde a sexta passada, dia 01/09, quando nós da HSMAI, em conjunto com o GVMG, fizemos uma bela e de primeiríssimo nível Conferência Nacional de Travel Managers. Ouvir das pessoas que “fizemos história” e que “um dia olharemos para trás e veremos este dia como marco de um novo período” é realmente gratificante. Espero que consigam separar 10 minutinhos do “mês do  budget” para ler o texto abaixo.

 

O que acho do AirBnB para o Corporativo

Uma gestora muito querida está escrevendo seu TCC na faculdade e me pediu para falar sobre o AirBnB aqui no blog.

Claro que o AirBnB é fantástico como inovação, um acesso à arte de viajar que as pessoas não tinham antes, uma abertura de oportunidades – sou fã, de verdade! Mas com o que temos hoje não me sinto à vontade em implantá-lo na empresa onde atuo ou não me sentiria na maioria das empresas se nelas atuasse.

E minha posição não tem nada a ver com legislação, por não pagar as taxas que a Hotelaria paga, etc (porque se fosse assim eu também seria reticente quanto ao Uber e Cabify, que são desregulamentados na maioria das cidades onde atuam). Tem a ver com garantias, com cuidado, com atendimento comercial, com riscos que não posso correr enquanto Gestor de Viagens responsável pelo bem-estar, segurança e produtividade dos meus viajantes:

  • Wi-fi ruim ou inexistente;
  • Chuveiro queimado ou com água fria;
  • Limpeza indesejável (incluindo lençóis, toalhas);
  • Local rápido e seguro para retirar a chave;
  • Prédio sem elevador , saída de emergência, seguranças, sprinklers;
  • Balada no apartamento ao lado;
  • Encanamento com problemas – para listar alguns potenciais riscos.

Enquanto não houver padrão, enquanto não houver o mínimo de controle por parte da plataforma, a entrada no mercado corporativo será limitada (já é grande, mas não vejo muitas possibilidades de expansão com as bases atuais). E não basta retroalimentação de comentários entre anfitrião e hóspede, responder rápido a reclamações na Ouvidoria (e isso o AirBnB dá UM BANHO na Hotelaria em geral) … os problemas simplesmente não podem acontecer, coisa que temos muito mais garantia e controle de qualidade na Hotelaria.

 

Sobre os Account Managers / Client Managers / Account Executives

Gostaria de me solidarizar com os gerentes de contas / representantes comerciais de nossos fornecedores…. até porque já fui um, por 1 ano e meio.

As empresas querem que estes profissionais se dediquem totalmente a seus clientes, a entendê-los, a oferecer ideias e soluções proativamente, certo? Pois então convido-os a fazer algumas contas sobre horas do dia x atribuições internas.

As empresas entopem estes profissionais de planilhas, relatórios, calls e todo tipo de controle interno, tirando tempo deles de pensar em nós, de analisar nossos relatórios e nos trazer ideias úteis que vão além de preço (e nós sentimos muita falta disto, podem apostar).

Para um travel manager, é impagável um fornecedor nos enviar um WhatsApp, um email, nos ligar e dizer: “dei uma olhadinha nos meus relatórios e sua tarifa média na rota X com a concorrente está 10% mais alta e seu share com eles está alto, ou comparei sua diária média na cidade Y com o hotel do outro lado da rua e está 15% mais alta do que a minha… você consegue enviar um comunicado, travar o OBT? Você está perdendo aqui, poderia melhorar ali”

Falando francamente, não dá tempo de analisarmos tudo o tempo todo, então termos assessores que nos ajudem, cada qual em sua especialidade, é de um valor agregado absurdo.

#ficaadica para os Diretores comerciais que ainda colocam visitas físicas nas metas, que criam milhares de controles para seus colaboradores que nos atendem. Creio que hoje em dia os números falam tudo:

  • se seu colaborador visita pouco, mas vende muito – valorize-o;
  • se seu colaborador visita muito, mas vende pouco – reavalie seus métodos e o oriente;
  • se seu colaborador não visita e não vende – reavalie sua permanência em Vendas (não quer dizer que seja um mau funcionário, pode estar na área errada e sendo mal aproveitado).

 

Cabify Corporativo

Como há alguns meses atrás dei espaço para o Uber, conheci a Cabify em uma reunião de negócios e imediatamente pedi a eles que me enviassem textos para eu publicar em meu blog, dividindo com vocês mais sobre esta companhia e seu serviço também disruptivo.

“A Cabify é uma empresa espanhola que chegou ao Brasil em 2016 e conquistou milhares de usuários nas cidades onde atua: Brasília, Belo Horizonte, Campinas, Curitiba, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Santos e São Paulo. Com uma operação intensa e rápido crescimento, a plataforma se destaca principalmente por seus diferenciais no serviço oferecido, na qualidade do atendimento e na segurança de cada viagem.

Para garantir esse alto padrão, a Cabify trabalha com detalhes essenciais no cuidado com o usuário: abre sessões informativas e requer exames toxicológico e psicotécnico para os motoristas parceiros, possui uma lista de carros aceitos e faz vistoria presencial nesses veículos.

Na área executiva, a Cabify Empresas é líder em transporte corporativo na América Latina, o que torna a sua viagem ainda melhor. Além das vantagens de qualidade e segurança que são inerentes para toda a Cabify, os usuários corporativos da Cabify Empresas ainda contam com a facilidade em gestão corporativa através do melhor serviço de relacionamento ao cliente do setor. Um serviço humanizado, onde cada cliente possui um Executivo responsável pela sua experiência.

  1. Gestão efetiva e online
  2. Economia nos trajetos

Para controle dos custos, procure uma empresa que o valor das viagens seja cobrado por km percorrido. Faça chuva ou faça sol, com trânsito ou mudança de rota, a viagem tem que sair no preço estimado antes da corrida começar.

  1. Qualidade no serviço

A qualidade do serviço é essencial. A frota que passa por inspeção prévia de aprovação para estar sempre em perfeitas condições mecânicas e estéticas é um grande diferencial para garantir o conforto dos seus colaboradores mesmo nos dias mais corridos.

  1. Segurança nas corridas
  2. Atendimento diferenciado

O atendimento é muito importante. A presença de um canal de suporte dedicado aos clientes corporativos, com atendimento personalizado 24h por dia nos 7 dias da semana, é fundamental para credibilidade e confiança no serviço.

  1. Agendamento” 

 Contato: luisa.aguiar@cabify.com

 

Dica para Viajantes – Wifis Públicos!

A Argo postou recentemente em seu blog Viagens e Despesas um texto muito útil e prático, que poucos de nós se atentam: redes públicas de Wi-Fi.

Naquele momento de desespero de nosso viajante, em que precisa acessar um email, o Facebook, WhatsApp e nossa empresa não reembolsa o pacote de dados do celular, o que acontece? Ele utiliza qualquer rede que encontrar pela frente. Leia o blog clicando aqui, e veja abaixo algumas dicas que valem ser compartilhadas dentro de sua empresa:

Como se proteger e dificultar a ação de criminosos?

  • Desligue o WIFI dos seus aparelhos se não estiver usando, a fim de evitar conexão automática em caso de redes abertas e/ou sem senha.
  • Não deixe senhas salvas nos navegadores, nem em aplicativos que logam de forma automática.
  • Prefira usar algum serviço de dados 3G/4G de sua operadora de telefonia celular.
  • Contrate ou implemente um serviço de VPN (Virtual Private Network) em sua organização, assim todas as conexões são criptografadas, e aumentam exponencialmente o nível de proteção, porém evite ao máximo uso de serviços de VPN grátis.
  • Confirme com algum funcionário do estabelecimento se eles realmente oferecem WIFI e qual a senha de acesso.
  • Não realize transações bancárias em WIFI públicos.
  • Não realize compras com Cartão de Crédito e/ou Débito em WIFI públicos.
  • Desconfie sempre de Redes WIFI sem senha.
  • Mantenha os sistemas operacionais atualizados.
  • Tenha um antivírus instalado e atualizado.
  • Utilize apenas o básico!

 

Pesquisa TMG (Travel Managers Group)

Nosso grupo de Gestores, por ter o benchmarking como intenção principal, vem realizando algumas pesquisas que gostaríamos de dividir com o mercado afim de contribuir – tanto com outros gestores, como com desenvolvedores de soluções e intermediários.

Nesta pesquisa, que reproduzo uma parte abaixo, tivemos 26 respostas dos 30 participantes – ou seja, excelente adesão e muito valiosa para os leitores do blog.


ENGLISH VERSION

 

Dear Readers,

I am writing this post with the sense of accomplishment that I have had since last Friday, 01/09, when we at HSMAI, together with GVMG, held a beautiful and first-class Conference of Travel Managers in Belo Horizonte. Listening from people that we “made history” and that “one day we will look back and see this day as the mark of a new period” is really gratifying. I hope you can separate 10 minutes of the “budget month” to read the text below.

 

AirBnB for Corporations

A very dear manager is writing her Conclusion Work in college and asked me to talk about AirBnB here on the blog.

Of course AirBnB is fantastic as an innovation, an access to the art of travel that people did not have before, an opening of opportunities – I’m a fan, really! But with what we have today I do not feel comfortable putting it in the company where I work or I would not feel in most companies if I acted in them.

And my position has nothing to do with legislation, for not paying the fees that the hotel industry pays, etc. (because if that were so I would also be reticent about Uber and Cabify, which are deregulated in most of the cities where they operate). It has to do with guarantees, with care, with commercial attention, with risks that I can not run as a Travel Manager responsible for the well-being, safety and productivity of my travelers:

  • Bad or non-existent Wi-fi;
  • Shower burned or with cold water; 
  • Unwanted cleaning (including sheets, towels); 
  • Quick and safe place to check-in (take the keys); 
  • Building without elevator, emergency exit, security guards, sprinklers; 
  • Party in the apartment next door; 
  • Troubled plumbing – to list some potential hazards.

While there is no standards, while there is no minimal platform control, entry into the corporate market will be limited (it is already large, but I do not see many possibilities for expansion with the current bases). It is not enough feedbacks between host and guest, to respond quickly to complaints in the Ombudsman’s Office (and in this aspect, AirBnB beats Hotels in general) … the problems simply can not happen, thing that we have much more guarantee and quality control in Hospitality.

 

About Account Managers / Client Managers / Account Executives

I would like to be in solidarity with the account managers / sales representatives of our suppliers … even because I have been one for 1 year and a half, some years ago.

The companies want these professionals to dedicate themselves totally to their clients, to understand them, to offer ideas and solutions proactively, right? So I invite you to do some accounts about daylight hours x internal assignments.

Companies clog these spreadsheets, reports, calls and all sorts of internal control, taking time from them to think about us, to analyze our reports, and to bring us useful ideas that go beyond price (and we miss it a lot, you can bet ).

For a travel manager, it is priceless when a supplier sends us a WhatsApp, an email, call us and say, “I took a look at my reports and your average fare on route X in comparisson with the competitor is 10% higher and your market share with them is higher than with me, or compared your average nightly rate in city Y with the hotel across the street and it’s 15% higher than mine … can you send an internal communication, narrow the OBT rules? You’re missing out here, you could improve there”

Frankly speaking, we do not have time to analyze everything at all times, so to have advisors who help us, each one in his/her specialties, is of an added absurd value.

Hope it touches the Commercial Directors who still place physical visits to the goals, which create thousands of controls for their subordinates who serve us. I believe that nowadays the numbers speak everything by themselves:

  • if your employee visits little, but sells a lot – value him;
  • if your employee visits a lot, but sells little – reassess his/her methods and orient them;
  • if your employee does not visit and does not sell – reevaluate his/her permanence in Sales (it does not mean that they are a bad employee, they may be in the wrong area and being misused).

 

Cabify Corporate

A few months ago I gave Uber space in this blog. A few weeks ago I met Cabify at a business meeting and immediately asked them to send me texts to post on my blog, sharing with you more about this company and its disruptive service.

“Cabify is a Spanish company that arrived in Brazil in 2016 and has won thousands of users in the cities where it operates: Brasília, Belo Horizonte, Campinas, Curitiba, Porto Alegre, Rio de Janeiro, Santos and São Paulo. Permanently growing, the platform stands out mainly for its differentials in the service offered, in the quality of care and in the safety of each trip.

To ensure this high standard, Cabify works with essential details in caring for the user: opens information sessions and requires toxicological and psycho-technical exams for the partner drivers, has a list of accepted cars and inspects them in person.

In the executive area, Cabify Empresas is a leader in corporate transportation in Latin America, which makes your trip even better. In addition to the quality and security advantages that are inherent to the entire Cabify, the corporate users still count on the ease of corporate management through the best customer relationship service in the industry. An humanized service, where each client has an Executive responsible for their experience.

  • Effective and online management 
  • Economy in the paths
    1. For cost control, look for a company whose travel value is charged per km traveled. Rain or shine, with traffic or change of route, the trip has to leave at the estimated price before the race starts.
  • Quality in service 
    1. Quality of service is essential. The fleet that undergoes a prior approval inspection to always be in perfect mechanical and aesthetic conditions is a great differential to guarantee the comfort of its employees even in the most difficult days.
  • Safety 
  • Special service
    • 1. Service is very important. The presence of a dedicated support channel for corporate clients, with personalized service 24/7, is fundamental for credibility and trust in the service.

Contact: luisa.aguiar@cabify.com

 

Tip for Travelers – Public Wifis!

Argo recently posted in its Travel and Expenses blog a very useful and practical text that few of us are caring about: public Wi-Fi networks.

In that moment of desperation of our traveler, where he needs to access an email, Facebook, WhatsApp and our company does not reimburse the mobile data package, what happens? They use whatever network they find ahead. Read the blog clicking here, and read below some tips worth sharing within your company:

HOW TO PROTECT AND HARDEN THE ACTION OF CRIMINALS?

  • Disconnect WIFI from your devices if you are not using it in order to avoid automatic connection in case of open networks and / or without password.
  • Do not leave passwords saved in browsers, or in applications that log in automatically.
  • Prefer to use some 3G / 4G data service from your wireless carrier.
  • Hire or deploy a Virtual Private Network (VPN) service in your organization, so all connections are encrypted, and exponentially increase the level of protection, but avoid the full use of free VPN services.
  • Check with an establishment employee if they actually offer WIFI and what the password is.
  • Do not conduct bank transactions on public WIFI.
  • Do not make purchases with Credit and / or Debit Cards in public WIFI.
  • Always be wary of WIFI networks without a password.
  • Keep operating systems up to date – have a virus scanner installed and updated.
  • Use only the basics!

 

TMG Survey (Travel Managers Group)

Our group of managers, by having benchmarking as its main intention, has been carrying out some internal surveys that we would like to share with the market in order to contribute – with other travel managers as well as with solution developers and intermediaries.

In this research, which I reproduce a part below, we had 26 responses from the 30 participants – that is, excellent adherence and very valuable for readers of the blog.

 

Postagens relacionadas

Published by

Fernão Loureiro

Eleito em 2017 um dos 75 Profissionais de Turismo Mais Influentes do Brasil pelo Panrotas, premiado em Boston (EUA) pela Global Business Travel Association (GBTA) com o The Business Travel Service Awards. Fernão Loureiro atualmente é o Strategic Travel & Events Manager na Philips América Latina, responsável por 8 países - e com apenas 7 meses de empresa recebeu em 2016 o prêmio Act-Accelerate-Anticipate em Amsterdam, matriz da empresa. No mercado de Viagens e Eventos Corporativos, atua como blogueiro do Panrotas (blog.panrotas.com.br/gestordeviagens), é colunista na revista espanhola TravelManager Redacción (https://revistatravelmanager.es/author/floureiro/) - com reprodução de conteúdo em diversos outros blogs e eventos. Atua ainda como: • Professor visitante no SENAC-SP nos cursos de Turismo e Hospitalidade • Presidente da GBTA Brasil - Global Business Travel Association • Instrutor da GBTA Academy • Conselheiro da HSMAI Brasil - Hospitality Sales & Marketing Association International • Coordenador do Comitê de Viagens Corporativas da HSMAI Brasil • Participante do tradicional grupo de gestores TMG – Travel Managers Group. Formado em Turismo pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo, Pós-Graduado em Gestão de Negócios em Serviços pela FECAP e com MBA em Gestão Empresarial pela Brazilian Business School, Fernão trabalhou por 6 anos na Carlson Wagonlit Travel, onde iniciou sua carreira como estagiário e durante 1 ano atuou na Austrália; por 1 ano como Gestor de Viagens da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil; e por 2 anos como Comprador LATAM de Viagens, Eventos e Frota na Agrega Intelligent Procurement, uma empresa dos grupos Ambev e Souza Cruz. Ativo participante de debates e palestras, tais como Corporate Travel Forum (HRS), GBTAs 2014 a 2017, LACTE 2016, Connect Meeting GOL 2016, Vila do Saber ABAV 2013, Fóruns de TMCs, Fórum Abracorp 2017, Convenções de Vendas de Redes Hoteleiras como Blue Tree, Arco, Atlantica, BHG, Encontro Nacional de Estudantes de Turismo (ENATUR) na USP e Encontro de Estudantes do IFTO e IFSP.

3 thoughts on “Números TMG/ AirBnB / Account Managers / Cabify / Wifi Público (also in English!)

  1. Fernão, parabéns pelo post. E pela forma leve e ao mesmo tempo provocativa que lança questionamentos…
    Também não me sinto segura em utilizar o Airbnb para o Corporativo. Sempre penso no “pós-venda” e essa falta de suporte mais efetivo, de fato assusta.
    Por isso, tenho trabalhado bastante com o pessoal da Skyline. Eles não trabalham com flats e residenciais com serviços no Brasil e no mundo. Cuidam de toda a parte de contrato, intermediação e prestam suporte em caso de problemas durante a estadia.

    1. Fernanda, obrigado pela visita frequente e por comentar 🙂
      A Skyline realmente é uma empresa diferenciada, muito mais preparada para o Corporativo que empresas da sharing economy que atuam em hospitalidade e não têm um background de Hotelaria.

  2. Fernão, parabéns pelo post. E pela forma leve e ao mesmo tempo provocativa que lança questionamentos…
    Também não me sinto segura em utilizar o Airbnb para o Corporativo. Sempre penso no “pós-venda” e essa falta de suporte mais efetivo, de fato assusta.
    Por isso, tenho trabalhado bastante com o pessoal da Skyline. Eles trabalham com flats e residenciais com serviços no Brasil e no mundo. Cuidam de toda a parte de contrato, intermediação e prestam suporte em caso de problemas durante a estadia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *