Tendências do Turismo

Imaginar quais serão os próximos passos dos players de um mercado tão dinâmico quanto nervoso, como o nosso mercado de turismo, é uma tarefa bastante motivadora.

Exercitar esta análise, do ponto de vista do consumidor de viagens corporativas, torna-se um enorme desafio, se considerarmos as variáveis que influenciam e as que verdadeiramente impactam esta atividade em nosso país atualmente: crescimento econômico acima da média mundial, excesso ou falta de regulamentação, problemas de infraestrutura aérea e aeroportuária, legítimos interesses comerciais, evolução das tecnologias facilitadoras, surgimento de tecnologias substitutas, pressão pela desintermediação, etc. etc.

Entre essas variáveis, pode-se afirmar que a economia brasileira permanecerá em crescimento, independentemente de quem será o próximo mandatário da nação, mas o resultado da próxima eleição poderá influenciar significativamente uma maior ou menor regulamentação do setor, bem como induzirá a mais ou menos atenção à infraestrutura aeroportuária ou mesmo a um ambiente mais ou menos propício a investimentos na aviação.

Já os interesses comerciais, a evolução das tecnologias que facilitam o negócio viagens e turismo, bem como o surgimento de tecnologias que substituem as viagens (mas não o turismo), poderão influenciar mais diretamente no que será este negócio no futuro. Da mesma forma, há a tendência inexorável da desintermediação, que visa uma maior rentabilidade do negócio do prestador do serviço.

Por estas e outras, e para que eu seja cobrado por este exercício de futurologia, vejo as tendências do turismo no Brasil apontando na seguinte direção:

– A quantidade de passageiros continuará crescendo acima da capacidade de atendimento de nossos aviões e aeroportos.

– A hotelaria responderá à altura do proporcional crescimento da demanda por hospedagem.

– A desintermediação continuará, pressionada pelos interesses comerciais dos prestadores de serviços turísticos e também pelo desejo do consumidor.

– As agências de viagens se reinventarão e agregarão valor ao seu serviço, mantendo sua importância no negócio.

– A distribuição das cias. aéreas incluirá todos os meios, de todos os tipos, diretos e indiretos, portais próprios, webservices, GDS, sistemas integradores, consolidadores, operadores e agentes de viagens, entre outros.

– A internet continuará sendo um catalisador de mudanças e um agente revolucionário para os negócios.

Algumas dessas previsões podem ser conferidas em 2011, enquanto outras farão mais sentido se forem verificadas a partir de 2015.

Published by

Luís Vabo

Entusiasta da inovação, do empreendedorismo e da alta performance, adepto da vida saudável, dos amigos e da família, obstinado, voluntário, esportista, apaixonado e exagerado.💲Presidente do Reserve ✈️ Sócio da Solid 🚁 Sócio da MyView 🔌 Sócio do Ligaí VP da Abracorp e da ABAV Nacional.

6 thoughts on “Tendências do Turismo

  1. Luís,

    Parabéns pelo desafio.

    Viagens Corporativas tem influência fundamental no Turismo Brasileiro e Mundial.

    Também compartilho de suas previsões.

    Agências de Viagens e Turismo, emissiva ou receptiva, continuarão sendo fundamentais na cadeia produtiva. Serão sempre a mola mestre desta Indústria. São as empresas especialistas em distribuição.

    Conte comigo,

    Julio Verna

    1. Julio,
      Enquanto a capilaridade das agências de viagens for economicamente vantajosa à distribuição das cias. aéreas e redes hoteleiras, as agências de viagens permanecerão como “hub” importante no processo. Como, a cada dia, mais agentes de viagens abraçam a internet como oportunidade, rechaçando a ameaça que a web inicialmente parecia impor, esta capilaridade tende a se manter e até crescer. É questão de tempo.
      Conto com o prestígio de sua leitura e de seus comentários.
      Abraço,
      Luís Vabo

  2. Estimado Luis
    Desde que li a materia estou ensaiando o comentário, voce está certissimo, quando enumera os “entraves” em que nos deparamos quando agregamos uma nova ferramenta de trabalho, a resistencia encontrada interna e externamente é muito feroz, e que em alguns momentos nos faz refletir no “bom aproveitamento” do investimento. Eu, por principios sempre levantei a bandeira de que o avanço da tecnologia, em qualquer segmento, deve ser aceita e até se for o caso exigir que todos vejam os reais motivos praticos do investimento.
    Voce bem sabe, que em muitos casos essa barreira leva algum tempo, mas acaba sendo sendo ingerida….e voce tem na minha empresa, pode estar certo disso um grande parceiro.
    Sucesso sempre na evolução do Reserve, por enquanto voce não tem concorrentes à altura mas eles podem surgir a qualquer momento.

    Abraço

    1. Prezado Rocco,
      A implantação da nova tecnologia é o grande desafio. Por isso, inovadores são os que percebem seus benefícios, mesmo que leve algum tempo, e seguem obstinados na missão de multiplicar estas vantagens, para seus clientes e para sua própria equipe. Você é um deles.
      Agradeço o elogio, que se reveste de imensa responsabilidade.
      Agradeço o alerta, que nos faz trabalhar para continuar merecedor de seu elogio.
      Conto com seus comentários e dicas aqui no blog Distribuindo Viagens.
      Luís Vabo

  3. sr. gostaria de receber um comentário sobre tendências para o turismo2012, trabalho escolar. (curso de agenciamento de viagem).preciso com urgência. obrigada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *