CORAGEM PARA SE JOGAR EM 2021…

Cenário nebuloso, informações desencontradas, cidadão inseguro, consumidor impactado, economia travada, governo batendo cabeça, população no limite…

Este é o cenário econômico em que atuam os empreendedores brasileiros neste início de 2021.

Não há planejamento estratégico que consiga minimamente antever cenários possíveis em um momento em que a pandemia mundial está quase completando 1 ano.

Uma pergunta (incômoda, desconfortável, desagradável até) é fundamental para estabelecermos condições mínimas para um planejamento estratégico que seja assertivo e direto ao ponto:

  • A vacinação em massa trará o resultado que todos esperamos?

Após esta pergunta respondida, as atenções voltam-se para outras 5 dúvidas, todas especificamente sobre prazos:

  1. Quando a sociedade estará imunizada?
  2. Quando as restrições ao convívio social serão flexibilizadas?
  3. Quando a população voltará a se sentir segura?
  4. Quanto tempo a economia brasileira suporta?
  5. Quanto tempo o mercado de viagens e turismo ainda resiste?

Enquanto essas perguntas não são respondidas (e somente o tempo poderá incumbir-se de respondê-las), seguimos literalmente tateando no escuro, buscando referências naquilo que acreditamos e desejamos, mesmo que distantes da realidade ácida do nosso dia-a-dia atual.

Isso tudo me lembra aquela máxima de Reid Hoffman que afirma que “empreender é se jogar de um precipício e construir um avião durante a queda”.

O mercado mundial de viagens e turismo está hoje, literalmente, construindo aviões durante a queda.

Embora ninguém duvide de que vai sobreviver…

.

A MÃE DE TODAS AS CRISES

Entre tantas lives, webinars, web conferences, Zooms, Google Meets, Microsoft Teams, Skypes, Facetimes, WhatsApp Conferences, eventos remotos, híbridos e experimentais de todos os tipos, tenho conseguido tempo para debater e aprender com Vabo JR sobre um tema que me encanta e que é o propósito que ele escolheu para a vida: educação.

Alinhados na certeza de que a educação é o melhor (senão o único) caminho para o desenvolvimento do Brasil, após convite de Alvaro Schocair e Vabo JR, Solange e eu decidimos participar deste incrível empreendimento: a LINK SCHOOL OF BUSINESS, primeira faculdade brasileira dedicada a formar empreendedores.

Para explicar melhor sobre este novo desafio, Vabo JR escreveu o texto abaixo, originalmente publicado em 22/07/2020, no Blog do Vabo:

“A maior crise que vivemos hoje no Brasil não é a crise econômica, nem a sanitária, nem a social. Todas essas são derivadas da mãe de todas as crises em nossa sociedade: a crise da Educação!

Eu me considero um inconformado com o sistema educacional brasileiro e encontro diversos problemas e desafios da Educação brasileira no século XXI:

– Não acompanha a velocidade do mundo VUCA e digital

– Distante do mundo empresarial, ou seja, da realidade da carreira da maioria dos alunos

– Maior transmissão de conteúdo teórico do que aplicação de conteúdo prático

– Desconexão entre os conteúdos, compartimentalizados em disciplinas

– Pouco foco em desenvolver habilidades comportamentais e socioemocionais (people skills)

– Lógica conteudista decoreba do Vestibular

– Aulas chatas que não engajam os alunos

– Necessidade de transformação digital das salas de aula e da profissão de Educador(a)

Com o objetivo de dar a nossa contribuição para tentar transformar essa realidade, criamos a Link School of Business que é a primeira faculdade de administração de empresas, presencial, focada 100% em formar empreendedores no Brasil.

A LINK SCHOOL OF BUSINESS iniciará as aulas em 03/08/2020 em seu moderno campus na Av. Brigadeiro Luiz Antonio, no Jardim Paulista

Focamos em desenvolver empreendedores, donos de empresas, os próximos líderes do nosso país. Acreditamos no desenvolvimento dos nossos alunos por completo (corpo, mente e espírito). Por isso, desenvolvemos um método de aprendizagem baseado na prática, envolvendo o mundo acadêmico e as empresas durante toda a jornada do aluno, desde o processo seletivo até a sala de aula.

Na Link SB, as aulas de Business Tools (estratégia, marketing, vendas, finanças, operações, tecnologia, legal e gente & gestão) terão a mesma importância das aulas de People Skills (oratória, criatividade, negociação, liderança, disciplina, autoconhecimento, trabalho em equipe, entre outras). E serão aulas práticas, baseadas em estudos de casos, jogos, dinâmicas e simulações.

As Business Tools são as ferramentas que todos os empreendedores e gestores de empresa devem possuir completo domínio

Os alunos se tornarão empreendedores desde o primeiro dia e terão à disposição um programa de aceleração, chamado de Venture Lab, baseado em mentorias e visitas a empresas. A faculdade ficará sócia das empresas dos alunos, que por sua vez, ficarão sócios da faculdade, consequentemente ficando sócios de todos os colegas e diluindo assim o risco de empreender, além de garantir uma previdência futura para si. Faremos a ponte com potenciais investidores interessados nas empresas dos alunos e para organizar as rodadas de investimento-anjo, teremos o Link Angels.

Todos os alunos quando entrarem na faculdade, receberão o apoio de um personal trainer, um nutricionista e um mind mentor, pois ao empreender não podemos descuidar da nossa saúde física e mental! Tudo isso incluído na mensalidade!

Assim como o programa internacional, que levará os alunos para viajar e estudar na Academia de Encantamento de Clientes da Disney, na Tel Aviv University e na Shangai University, além de trazer professores de Stanford, Harvard e London Business School para darem as aulas aqui.

Preparamos com muito carinho o Link Campus, composto por um prédio em São Paulo, com 3 andares para atividades acadêmicas e 3 andares para um coworking, onde os alunos poderão interagir com as empresas residentes, a partir de um marketplace de serviços. Sabemos que o networking é uma ferramenta muito poderosa nos dias atuais, por isso criamos o Link Connect, uma plataforma própria que irá organizar o meio de campo entre os alunos e os participantes de nosso ecossistema.

Acreditamos que diversidade é fundamental! Somos a faculdade com a maior diversidade geográfica no processo seletivo (56% dos candidatos são de fora de São Paulo, quase o triplo da faculdade tradicional com segunda maior diversidade) e destinamos 30% da nossa receita para bolsas dos alunos que não puderem pagar. Acreditamos no poder do giveback!

As Soft Skills visam preparar nossos alunos a se tornarem melhores profissionais, líderes e empreendedores, capacitando-os para as situações recorrentes do dia a dia de um empresário

O Vestibular não poderia ser igual… Para estudar aqui, os candidatos devem participar da Jornada Link. O nome é jornada exatamente porque é necessário autoconhecimento, criatividade, trabalho em equipe, disciplina e resiliência para resolver os casos reais de empresas parceiras, como Ambev, Google, Stone, XP, Reserva, Paypal e Minerva.

O Link Campus está pronto, os alunos selecionados e os professores contratados. A primeira turma começa em 03/08/2020. E eu estou muito animado para ajudar a escrever uma nova história na Educação brasileira junto com esse time incrível de empreendedores e professores ao meu lado!”

.

ESCOLHA DE SOFIA: VENDER VIAGENS OU ATENDER O CLIENTE?

Henry Ford é autor, entre outras, da famosa frase que inspira empreendedores até hoje, 120 anos depois: “Se eu tivesse perguntado aos consumidores o que eles queriam, teriam dito um cavalo mais rápido.”

Esta frase foi reeditada por outro especialista em marketing e criador de produtos inovadores focados na real necessidade do consumidor: ”As pessoas não sabem o que querem até você mostrar a elas” (Steve Jobs)

A partir desta premissa, insistimos todos em oferecer o que nós, agentes de viagens, acreditamos que as empresas precisam: viagens corporativas.

A pandemia do coronavírus nos mostrou que, se fôssemos seguir o que os clientes querem agora, estaríamos investindo em:

Treinamento à distância

Devido ao distanciamento social, o EAD virou febre. A febre vai passar, mas seus efeitos vieram para ficar.

Eventos remotos

O olho no olho via Zoom (e outras plataformas) não é a mesma coisa, mas funciona, seja para uma reunião ou para mega-eventos. Parece ser outra tendência que já virou realidade.

Teletrabalho

Empresas que não admitiam sua adoção, agora o defendem com fortes argumentos: redução de gastos com escritório, alimentação, transporte, ações motivacionais presenciais etc. Quem tinha dificuldade em avaliar o desempenho de cada colaborador a partir de métricas subjetivas, passou a fazê-lo baseado no único indicador que restou: a entrega de resultados.

Gestão de despesas

Com a pandemia, o mundo inteiro freou a lógica econômica, vigente desde a segunda guerra mundial, que preconizava investimentos permanentes no crescimento dos negócios como única solução para sua perpetuidade, estimulando gastos crescentes como estratégia para seguir adiante. Esta lógica foi posta em cheque e, agora e daqui pra diante, controlar todas as despesas passou a ser tão importante quanto foi reduzi-las durante a pandemia. 

Após analisar esses fatos, vejo que os agentes de viagens corporativas estão diante do desafio de escolher entre:

1) Seguir oferecendo o que sabem fazer, mas o cliente não quer e não pode comprar neste momento: viagens corporativas

ou

2) Direcionar seu time para oferecer o que as empresas precisam e mais querem neste momento: controle e redução de todas as despesas corporativas.

Como iniciei, concluirei este texto com outra frase famosa de Henry Ford, que também merece a nossa reflexão sobre qual caminho devemos seguir:

“Não nos tornamos ricos graças ao que ganhamos, mas com o que não gastamos”.

E é justamente nisso que todas as empresas do mundo estão dispostas a investir, agora e sempre: gastar menos e gastar melhor.

.