Os países que mais influenciam positivamente

O World Economic Forum (WEF) divulgou em sua conta do Twitter, a lista mais recente dos 12 países com maior influência positiva no mundo. O estudo de 2017, elaborado pela Ipsos Mori (especialista em pesquisas de opinião e marketing), entrevistou 18 mil pessoas em 25 nações.

O Canadá é visto como o melhor exemplo, com 81% dos entrevistados afirmando que o país tem uma influência positiva nos assuntos mundiais. Austrália e Alemanha completam os três primeiros.

A classificação de “aprovação” dos EUA caiu 24 pontos percentuais desde a pesquisa do ano passado, indo para a 9ª posição, tendo a afirmação de 40% dos entrevistados de que a influência exercida pelo país é positiva.

Na Europa, UE e o Reino Unido são vistos como tendo uma influência positiva para 57% dos entrevistados. Israel e Irã estão na parte inferior do ranking, com apenas 32% e 21% das pessoas, respectivamente, observando sua influência global de forma positiva.

 

O Brasil não aparece na lista divulgada pelo WEF, porém uma pesquisa deste ano da GlobeScan, da BBC, com objetivo de analisar a percepção global a respeito de países, constatou que 38% dos entrevistados considera o nosso País como uma influência positiva, 6 pontos percentuais a menos do que a última versão do mesmo estudo, em 2014.

Muito provavelmente a queda no percentual está associada ao momento de fragilidade política que o Brasil tem atravessado.

Nessa pesquisa, o Canadá também puxa a fila, com 61% dos entrevistados considerando o país como influência positiva no planeta. No ranking geral da GlobeScan, o Brasil ficou em oitavo lugar em termos de percepções positivas, perdendo uma posição em relação a 2014.

Seguimos acompanhando.

Postagens relacionadas

Published by

Jeanine Pires

Professora e empresária, tem 19 anos de experiência em turismo e eventos. Diretora da Pires & Associados e Presidente do Conselho Consultivo da WTM Latinamerica. Suas principais atividades são a realização de Planos de Marketing de Destinos Turísticos e palestras no Brasil e no exterior. Presidiu a EMBRATUR de 2006 a 2010, onde também foi Diretora de Turismo de Negócios e Eventos. Liderou o trabalho de promoção do Brasil como destino turístico no exterior, os programas de captação de eventos internacionais e a agenda de promoção do Brasil de 2003 a 2010. Participou da elaboração do Plano Aquarela - Marketing Turístico Internacional do Brasil em 2005 e também coordenou sua versão para 2020. Nos Convention & Visitors Bureaux de Maceió e Recife como diretora executiva, desenvolveu os programas de marketing de lazer e eventos para aquelas cidades entre 1997 a 2002. Esse blog reflete opiniões pessoais e não tem qualquer vínculo institucional

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *