A REAL SITUAÇÃO da Inteligência artificial na Hotelaria

O Instituto Global da McKinsey prevê que aproximadamente 70% das empresas adotarão alguma forma de IA até 2030, e que os países capazes de se estabelecerem como líderes da IA ​​poderão obter de 20 a 25% mais benefícios econômicos do que os níveis atuais.

Isso significa que, talvez mais cedo que você imagina, verá seu currículo sendo analisado ou até fazer uma entrevista em vídeo, onde sua linguagem e expressões faciais estarão sendo analisadas por um software de inteligência artificial.

Mas a verdade é que a maioria dos profissionais da indústria do turismo afirma não conhecer muito o conceito. Em pesquisa da BTN (Business Travel News) mais recente, somente 16% dos entrevistados disseram ter ‘bom’ ou ‘excelente’ conhecimento sobre o assunto.

Mesmo assim, estamos nos acostumando rápido com reconhecimento facial, chatbots, recomendações de produtos e serviços com base nas nossas preferências, análise de enorme quantidade de dados para maior produtividade e satisfação do cliente, identificação de padrões de consumo, etc.

Recentemente, o site Hotel News Now lançou uma pesquisa recente com seus leitores sobre Inteligência Artificial da Hotelaria, e deixo os resultados abaixo juntamente com alguns comentários sobre o assunto.

Pergunta 1: Como você elenca a Indústria Hoteleira em relação à IA comparando com outras indústrias:

  • 0% – Top 10%
  • 5,5% – Top 50%
  • 32,7% – No meio
  • 49,1% – Últimas 50%
  • 12,7% – Últimas 10%

Pergunta 2: Melhor uso da Inteligência Artificial na Hotelaria

  • 60% – Revenue Management
  • 21,8% – Operações / Personalização do Atendimento
  • 11% – Vendas e Marketing
  • 5,4% – Distribuição
  • 1,8% – Desenvolvimento

Pergunta 3: Onde a Hotelaria pode mais evoluir com a IA?

  • 48,2% – Operações / Personalização do Atendimento
  • 22, 2% – Revenue Management
  • 14,8% – Vendas e Marketing
  • 9,2% – Distribuição
  • 5,6% – Desenvolvimento

Pergunta 4: Planejamento para investir em IA em 2020?

  • 31% – Sim
  • 69% – Não

Se essa pesquisa fosse no Brasil, como você acha que seriam as respostas?

Sabemos que os hoteleiros precisam se conectar com os avanços tecnológicos, afinal, os clientes são adeptos à diversas tecnologias, e esperam encontrar nos hotéis o que têm nas suas casas. Mas pelas respostas acima, ainda temos um bom caminho pela frente.

Atualmente, a maior parte da IA ​​é muito observacional, pois analisa padrões e tenta ver esses padrões em dados que não havia visto antes ou tenta extrapolar do que viu em dados no passado. No entanto, a aplicação mais ampla da IA vai mudar rapidamente, pois a velocidade do mercado está cada vez maior, o custo da tecnologia está caindo, e a quantidade dos dados disponíveis vem crescendo exponencialmente.

Os hotéis tem acesso a um número enorme de informações, mas devem entender a importância fundamental da integração dos seus sistemas para adquirir o conhecimento necessário sobre seus clientes.

Cada vez mais será vital compreender e analisar todos os pontos da experiência do cliente, e tomar decisões mais inovadoras. Em resumo, a hotelaria precisa tirar partido da tecnologia para maximizar tanto o desempenho quanto a experiência do cliente.

O futuro da hotelaria combinará tecnologia com o toque humano para criar uma experiência aprazível mas autêntica.

 Seu hotel está conectado com os avanços da inteligência Artificial?

======

Leia também:

Emoção Monitorada, Venda Realizada

Personalização x Privacidade, o novo desafio da indústria de viagens

Blockchain na Hotelaria e Turismo

Published by

Gabriela Otto

Gabriela é formada em Comunicação Social pela PUC/RS, Pós em Marketing pela ESPM, MBA Executivo pela FAAP/SP, Leader Coach (Personal e Professional) pela Sociedade Bras. de Coaching, além de inúmeros cursos de qualificação profissional, incluindo 2 certificações internacionais como Leadership Development Trainer e Business Impact Leadership Facilitator.

3 thoughts on “A REAL SITUAÇÃO da Inteligência artificial na Hotelaria

  1. Adorei a pergunta 4. Querem a tecnologia a favor, porém não pretendem investir? O que pode mapear um cliente (com tudo, se é bom ou não, se consome ou não, se é o famoso “encrenca” ou não), mas não querem gastar com ia tecnologia. Google já mapeia seu cliente, e praticamente já conhece o gosto, sabe até mesmo antes de entrar em um local, se é ou não o perfil do mesmo. Acredito que ainda a muito que se progredir na hotelaria 🙂

  2. Boas informações Gabriela!

    Para mim o dado mais importante é sobre o conhecimento da tecnologia (16% entendem bem do que se trata).

    A tecnologia já está pronta e cada vez mais acessível, o que ainda falta é o entendimento humano para aplicação de forma criativa e empática (questão amplamente discutida nos maiores fóruns de inovação, como SXSW).

    Como disse o Flávio Tavares (organizador do Welcome Tomorrow) no seu último evento, “em terra de robôs, quem tem coração é rei”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *