fotos @Léonard de Serres

Castelos do Vale do Loire – Le Clos Lucé

Quero dar boas-vindas à Patricia Mattos, assim como a todos os novos blogueiros e aproveitar do post da Patricia sobre o passeios de bicicleta através do Vale do Loire para finalmente escrever sobre algumas outras atrações da região.  Digo finalmente, pois há tempos penso em escrever sobre o assunto, porém há tanto para contar que hesitei em entrar na questão, sabendo que um só post não seria suficiente.

Para exemplificar quanto o destino La Loire tem a oferecer, além dos vinhedos e paisagens ideais para passeios de bicicleta às margens do Rio Loire e seus afluentes, o vale do Rio Loire abriga quase 3000 castelos. Número que explica a classificação do lugar pela Unesco como Patrimônio Histórico da Humanidade e minha indecisão sobre à quais monumentos dar destaque neste post.

De fato, este imenso patrimônio é constituído mais precisamente por 2450 castelos, os quais recebem diferentes classificações, tais como: Castelos Reais, Castelos Pertencentes a Nobres,  Castelos de Grande Importância Arquitetônica ou Castelos de Grande Importância Histórica e demais Castelos Menos Importantes.

Vamos começar o assunto com um castelinho aparentemente menos importante, visto que foi construído em 1471 como um “fief” ou “reduto” do então Castelo Senhorial de Amboise.

Localizado no coração do Vale do Loire, o Castelo de Amboise impera desde o século XV até os dias de hoje sobre a paisagem  ribeirinha da cidade do mesmo nome. Logo ao lado se encontra o Clos Lucé.

Castelo Real de Amboise , Vale do Loire
Castelo Real de Amboise , Vale do Loire

fief ou reduto era concebido como parte de um domínio a ser conferido a um vassalo capaz de prover renda ou serviços ao senhor durante a Idade Média. Algo entre a nossa casa de caseiro e casa secundária de aluguel . Este fief  construído em 1471 ao lado do importante Castelo de Amboise foi inicialmente chamado de Mansão des Cloux e mais tarde de Clos Lucé. A  propriedade passou por várias mãos antes de ser comprada pelo Rei Charles VIII em 1490 e tornar-se uma residência de verão dos reis da França.

 

Le Clos Lucé , casa de Leonardo da Vinci
Le Clos Lucé , casa de Leonardo da Vinci

Porém, o que fez do Clos Lucé um castelo de Grande Importância Histórica e um espaço extremamente especial não foi sua inusitada origem ou ainda sua charmosa arquitetura, mas sim o ilustre habitante que acolheu a partir do ano de 1516.

Durante uma estadia na Itália, o Rei François 1º se apaixonou pelo Renascimento e decidiu convidar um dos mais renomados artistas da época para viver na França. Assim, em 1516, com 64 anos de idade, Leonardo da Vinci deixou Roma, atravessou a Itália trazendo  seus cadernos de desenhos e três pinturas : a Mona Lisa, A Virgem, o menino Jesus e Santa Ana e João, para se instalar no CLos Lucé. François 1º, encantado pelo o talento de Leonardo da Vinci nomeou-o primeiro pintor, engenheiro e arquiteto do rei, cargos que exerceu até sua morte em maio de 1519.

Leonardo gozou do mecenato de François 1º e viveu durante seus últimos anos de vida como vizinho, servidor e fiel amigo  do rei , então residente do Castelo Real de Amboise.  Um subterrâneo ligando o Castelo do Clos Lucé e o Castelo Real de Amboise permitia que François 1º e Leonardo se encontrarem diariamente.

Hoje, o Castelo do Clos Lucé tem como missão oferecer ao público um resumo da obra de mestre renascentista. Através da reconstituição de sua morada, seus desenhos, apresentação de frases famosas, animações 3D, amostras e maquetes de suas invenções, é possível descobrir Leonardo da Vinci e seu universo de maneira intimista e poética.

Salão de Da Vinci no Clos Lucé em dia comum
Salão de Da Vinci no Clos Lucé em dia comum
Salão de Da Vinci no CLos Lucé época natalina
Salão de Da Vinci no CLos Lucé época natalina

Dois anos de pesquisa e trabalho, trinta pessoas e mais de quinze profissões  foram envolvidos no recente processo de restauração do ateliê, da biblioteca e do escritório de Leonardo da Vinci.

 

No Clos Lucé, Leonardo da Vinci, o espírito do homem que sonhava em voar, que imaginava o futuro, o pintor, inventor, engenheiro, cientista, filósofo e humanista permanece vivo.
No Clos Lucé o espírito do homem que sonhava em voar, que imaginava o futuro, do pintor, do inventor, engenheiro, cientista, filósofo e humanista permanece vivo.

 

Projeto de Segurança Nacional - Tanque de Guerra, maquete realizada a partir de esboço
Projeto de Segurança Nacional – Tanque de Guerra, maquete realizada a partir de esboço
Durante toda sua vida Leonardo de Vinci tentou desvendar os segredos da natureza e da física em seus trabalhos. Quinhentos anos depois, Leonardo da Vinci está presente em nossas vidas e cotidiano através de sua herança.

Os restos mortais de Leonardo reposam no castelo vizinho, a antiga casa de François 1º, o Castelo  de Amboise, mas isso é assunto para outro post.

 

Published by

Silvia Helena

Após breves passagens pela Faculdade Metodista de São Bernardo e Belas Artes de São Paulo, aos 18 anos fui estudar no Canadá, onde vivi durante 23 anos. Lá me formei em História da Arte pela Universidade de Montréal, estudei turismo no Collège Lasalle de Montréal e no Institut de Tourisme et Hôtellerie du Québec. Comecei minha carreira na área trabalhando em Cuba. Durante os anos vividos no Canadá, entre outras coisas, fui guia de circuitos pela costa leste e abri minha primeira agência de receptivo para brasileiros. Há dez anos um vento forte bateu nas velas da minha vida me conduzindo até França. Atualmente escrevo de Paris, onde vivo e trabalho dirigindo a empresa de receptivo, a Holatour.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *