Dicas Primaveris


Meu último post terminou com a questão: E agora?

E agora vamos continuar falando de Paris e eu espero que vocês aproveitem mais do que nunca das dicas deste post para mostrar aos seus clientes o porquê vocês agentes de viagens são os mais indicados para vender Paris e suas atrações.

E nesta primavera as opções de diversão e cultura são muitas.

No entanto, não é possível vender tudo em agência e na realidade você nem quer vender tudo. Não se sinta um idiota por não ter tudo que seu passageiro viu em um blog. Às vezes é preciso saber dizer não.

Lembrando que compartilhar com o cliente o que você sabe sobre um evento, ainda que não venda o mesmo, te dá uma grande credibilidade e prepara seu terreno para vender produtos sobre os quais você tem realmente controle da qualidade.

Quando você vende algo em sua agência você está diante de um cliente que te buscou porque deseja O MELHOR para sua viagem. E se você não vender O MELHOR, você será cobrado por isso.  Coisa que não ocorre quando um bilhete é comprado on-line.

Comprou na internet?  Gostou, Gostou! Não gostou? Ninguém vai ouvir falar sobre isso. Por essa razão, para determinadas solicitações prefiro manter minha credibilidade intacta e indicar a compra na bilheteria do site. Tendo dado essa primeira dica, falemos então de algumas atrações primaveris de Paris.

Atelier de lumières – La nuit étoilée

Uma verdadeira moda na cidade: o Atelier des Lumières, que agora expõe projeções ligadas ao pintor Van Gogh.

Fui e achei lindo, como você vai ver nas imagens abaixo. Que idéia genial a criação de animações tendo como tema obras de pintores consagrados.

O galpão onde acontece o espetáculo oferece 10 300 m2 de superfície de projeção. Mais de 5000 imagens foram utilizadas. Os 3 filmes apresentados são igualmente obras de arte, a beleza é exponencial!

Porém, não poderia deixar de mencionar a despeito da beleza dos filmes, algumas pequenas imperfeições: as paredes têm relevos que cortam as cenas; uma porta (de escritório) se abre o tempo todo em pleno centro de uma imagem projetada; parte de um muro branco é coberto por uma escada metálica negra que parece não ir a lugar algum; nenhuma indicação é dada aos visitantes para que evitem impedir a visibilidade dos que estão sentados, são algumas delas.

Felizmente a beleza das pinturas de Van Gogh animadas pela alta tecnologia é tanta que fica fácil se encantar e fazer abstração das imperfeições da sala.

Entradas 14,50€ adultos e 9,50€ pessoas de 5 até 25 anos. Compras on-line, atração com hora marcada- Tempo de projeção 1h.

https://www.atelier-lumieres.com/fr/votre-visite/horaires-et-acces

A PRIMAVERA EM GIVERNY

Outra dica primaveril imperdível é a visita a Giverny. Como a casa do pintor Monet fecha entre outubro e final de março, sempre vale a pena lembrar aos leitores sua reabertura anual.  

Este ano a atração abre a partir do dia 22 de março.

A casa do pintor impressionista Claude Monet oferece a ocasião de uma volta ao passado em um momento único da história francesa.

Sua decoração emana o talento do pintor e encanta admiradores de bom gosto e beleza. Os jardins criados por Monet, muitas vezes retratados em suas pinturas, são lindos, chegam a ser poéticos.

Giverny é uma explosão de cores, uma hino a primavera.

Disponível para venda em sua agência ou operadoras.

E para terminar,  a última dica primaveril deste post:

Igreja SAINT-GERMAIN-DES-PRés

A Abadia Saint-Germain-de-Prés, antiga Abadia de São Vicente e importante congregação religiosa da margem esquerda do Rio Sena, acaba de ser restaurada.

A visita permite descobrir o que restou da grande Abadia medieval, o edifício da maravilhosa igreja Saint-Germain-des-Prés.

O monumento religioso foi tudo que sobrou da importante congregação fundada no século VI. A igreja data dos séculos XII e XII, em raro estilo gótico primitivo, agora com o colorido original ficou ainda mais bonita e impressionante.  

Entrada gratuita. Situada na Praça Saint-Germain-des-Prés, metrô do mesmo nome.

A semana que vem tem mais…

Published by

Silvia Helena

Após breves passagens pela Faculdade Metodista de São Bernardo e Belas Artes de São Paulo, aos 18 anos fui estudar no Canadá, onde vivi durante 23 anos. Lá me formei em História da Arte pela Universidade de Montréal, estudei turismo no Collège Lasalle de Montréal e no Institut de Tourisme et Hôtellerie du Québec. Comecei minha carreira na área trabalhando em Cuba. Durante os anos vividos no Canadá, entre outras coisas, fui guia de circuitos pela costa leste e abri minha primeira agência de receptivo para brasileiros. Há dez anos um vento forte bateu nas velas da minha vida me conduzindo até França. Atualmente escrevo de Paris, onde vivo e trabalho dirigindo a empresa de receptivo, a Holatour.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *