Direto de Paris distrações e esperanças

A França continua seu processo de « desconfinamento » progressivo. Parisienses e franceses redescobrem felizes esse semblante de retomada à vida, deixando lentamente para trás os piores capítulos dessa tragédia infinda.

Apesar da inconveniente restrição de locomoção há mais de 100 quilômetros de suas residências, dos bares e restaurantes ainda fechados, das medidas de distanciamento social, do triste luto, das desastrosas perdas financeiras, os pesares causados pelo Codiv-19 parecem se dissipar um pouco enquanto as pessoas buscam retornar a uma pseudo normalidade.

As notícias apresentam mudanças a cada dia. Enquanto escrevo o governo prepara a segunda fase desse processo de “desconfinamento” em função dos resultados numéricos.

Alguns franceses aguardam para saber quando abrirão seus estabelecimentos, outros quando cessará o sistema home office de trabalho, outros querem saber se poderão viajar fora do território francês durante as férias de julho e agosto ou ainda se seus filhos terão aulas em junho.

Neste mar de incertezas vamos flutuando como podemos. Cada um se apega aonde dá .

Justamente! Cada um busca consolo moral onde pode. E como minha bóia durante esse processo foi a própria cidade de Paris compartilho com vocês imagens desse percurso de 2 meses entre confinamento e redescoberta da “liberdade”, ainda que uma semiliberdade condicional.      

Projeto 1 hora e 1 km

Como mencionado em postagem anterior, o Francês teve durante o confinamento o direito a uma saída diária e o deslocamento num raio de um quilômetro de sua residência. A burocracia exigida para esse deslocamento através da obrigatoriedade de apresentação de atestado justificativo e a presença massiva de imponentes policiais controlando e multando nas ruas serviam como agentes dissuasivos para as escapadas. Assim, em dois meses, eu sai aproximadamente 8 vezes.

As notícias dos óbitos, a insegurança continua, a tristeza rebentando pediam alívio.

E foi nestes momentos de desespero que encontrei distração descobrindo que 1 hora e 1 km são suficientes para qualquer pessoa se apaixonar por Paris.  

Vejam algumas imagens do meu projeto 1 hora, 1 km:

Portas e Portais

Perspectivas

redescobertas

Passagens

Encontros

A Arte

O Rio Sena

O Louvre

E assim, a beleza da cidade me ajudou a passar pela tristeza dos acontecimentos. Como Paris é linda!

No entanto, acho mesmo que serão as imagens à seguir que trarão à você uma luz de esperança.

Neste retorno parcial à normalidade, as lojas com menos de 40 000 mil metros quadrados estão abertas, pequenos museus igualmente, alguns castelos também começaram a receber visitantes, restaurantes fazem pronta entrega.

As fronteiras da França com a Europa devem abrir completamente em julho, assim como os grandes museus e atrações.

Para você que está em meio ao confinamento, espero que as imagens tenham lhe distraído um pouco também. E peço: querido leitor, tenha paciência e não perca as esperanças. Como dizem os italianos: Chi va piano, va sano e se va lontano.

Muito O que fazer durante a greve em Paris

Enquanto todos parecem estar preocupados com a greve em Paris, acho importante enfatizar as coisas boas acontecendo por aqui. E acreditem: há muito o que fazer.

Como já é sabido, a época natalina é linda em Paris. Atividades específicas e iluminações festivas invadem a cidade encantando parisienses e turistas.

Dentre estas atividades, dois programas imperdíveis: Descoberta de Mercados de Natal e Pistas de patinação.   

Hora de esquecer da greve em Paris!

pistas de Patinação em paris

Você encontra até o inicio de janeiro em Paris uma pista de patinação para cada gosto! E o que é ainda melhor durante esse tempo de greve em Paris, você encontra essas pistas de patinação nos mais variados lugares.

Algumas oferecem opções de lazer e mercados de Natal logo ao lado, outras oferecem vistas incríveis: Rooftop, proximidade da Torre Eiffel, espaço Art-Nouveau impressionante. Pegue suas luvas e faça sua escolha!

Le Grand Palais des Glaces au Grand Palais.

Uma pista de patinação de 2700 metros quadrados sob uma estrutura de vidro e ferro trabalhado em magnífico estilo Art-Nouveau. A maior pista de patinação do mundo, ao lado do Champs Elysées, de fácil acesso. A noite a patinação vira balada.

3, avenue du Général Eisenhower (8°) De 13 dezembro até 8 janeiro Todos os dias de 10h a 13h, de 14h a 19h et de 20h a 2h. Tarifas: de 12€ a 25€. Noturna: 29€.

Rooftop Arco da Défense.

Situado a 110 metros de altura, na parte moderna de Paris, esta pista de patinação pode ser uma boa opção se seu hotel está nesta área ou se você vai fazer um rolê no mercadinho de Natal de lá. Aproveite que a linha 1 não está muito afetada com a greve em Paris.

1, parvis de la Défense, Puteaux (92). De 21 dezembro a 5 janeiro, todos os dias das 10h30 à 18h30. Tarifas de 7€ à 15€. Gratuito para menores de 3 anos. Aluguel Patins: 3€. Luvas obrigatórias. La Défense não é Paris, mas quase!

No Champs de Mars

Pista de Patinação situada nesse imenso parque atrás da Grande Dama. Patinar aos pés da Torre Eiffel não precisa maiores descrições, não é mesmo? Dentro do mercado de Natal Village de Noël du Champs de Mars.

Gratuito, locação patins 6€ Do 20 dezembro 2019 ao 5 janvier 2020.

Pista de Patinação Galeries Lafayette

Terraço da Galeries Lafayette, uma pista de patinação efêmera, com 170 metros quadrados, oferece uma vista magnífica para a cidade. As decorações no interior e vitrines são mais um bom motivo para dar uma passadinha.

Gratuita Das 9h30 as 20h30 Todos os dias até 1° de janeiro Boulevard Haussman

Patinoire Rooftop Torre Montparnasse

Pela terceira vez consecutiva, a Torre Observatório de Paris oferece essa oportunidade única de patinar em sua pista de 270m2 tendo Paris a seus pés.

Do 16 fevereiro ao 10 março até 20h durante a semana e 21h aos sábados. Acesso à pista de patinação gratuito, aluguel de patins 2€. Luvas obrigatórias.

Valor entrada Torre Montparnasse: Adulto : 18€ Jovens (12-18 anos) : 15€  Crianças 4 à 11 anos : 9.50€

NO Jardin des Tuileries

No interior do animado Mercado de Natal esta pista de patinação de 1200 m2 oferece logo ao lado gastronomia, bebidas, artesanato e um parque de diversões. Antes esse mesmo mercado ficava no próprio Champs Elysées, agora, confinado no Jardim de Tuileries oferece finalmente mais conforto e convivialidade. Em frente ao Louvre.

Rue de Rivoli (I°). De 24 novembro 2018 até 5 janeiro.

MERCADINHOS DE NATAL EM PARIS Saiba onde encontrá-los

Grande evento de compras e diversão de fim de ano, os tradicionais mercados de Natal estão de volta até inicio de janeiro igualmente.

Para facilitar a vida do turista, as lindas feirinhas de Natal são encontradas nos quatro cantos da capital.

Estes mercadinhos são eventos festivos imperdíveis durante as celebrações de fim de ano em Paris.

Guloseimas, artesanato, produtos importados são apresentados em pequenos chalés de madeira aos passantes que se deixam seduzir pelas decorações, animação ou ainda pela deliciosa gastronomia francesa. Solidários, veganos, temáticos… Veja onde encontrá-los

LA MAGIE DE NOËL NO TUILERIES

Organizado pelo rei dos parques de diversão parisiense Marcel Campion. Como mencionado acima, este é mercado que se encontrava na avenida Champs Elysées. Veja mais no vídeo que eu fiz com muito carinho para você.

De 15 novembro 2019 até 5 janeiro 2020 Jardin des Tuileries – place de la Concorde, Paris 1°

MERCADO DE NATAL FORUM DES HALLES

Esse mercadinho simples apresenta uns vinte quiosques de artesanato e comida. Porém, está localizado em frente a um shopping imenso de três andares, onde você encontra as melhores marcas francesas e internacionais.

De 14 novembro até  29 dezembro 2019
Forum des Halles – 101 Porte Berger, Paris 1°

 Mais informações MERCADINHO DE NATAL sous la Canopée

VILLAGE DE NOËL SUR LE PARVIS DE LA DÉFENSE

O pátio da Défense é ideal para um mercadinho de Natal. Amplo e animado durante a semana pela população passante. A pista de patinação à proximidade também completa o passeio.

De 21 novembro a 29 dezembro 2019
Parvis de la Défense, 92

MERCADINHO DE NATAL DE SAINT-GERMAIN-DES-PRÉS

A feira de Saint-Germain- de- Prés é um dos mais tradicionais mercadinhos de artesanato e guloseimas. Não somente a oferta é de qualidade, mas a própria região é histórica é propicia à visita.

De 30 novembro 2019 a 5 janeiro 2020
Quartier Saint-Germain-des-Prés, Paris 6°

 Mais informações MERCADINHO DE NATAL de Saint-Germain-des-Prés

MERCADINHO DE NATAL DE PARIS NOTRE-DAME

Na margem esquerda do Rio Sena, bem ao lado da famosa livraria Shakespeare & Cie, com linda vista para a Notre-Dame, oferece comércio “igualitário” e artesanato tradicional francês.

De 13 a 29 dezembro 2019
Praça René Viviani – 2 rue De Fouarre, Paris 4e

Mais informações MERCADINHO DE NATALde Paris Notre-Dame

MERCADINHO DE NATAL DA TORRE  EIFFEL

A situação geográfica deste mercado de Natal dispensa toda apresentação. No Champs de Mars, aos pés da Torre Eiffel.

De 20 dezembro 2019 ao 5 janeiro 2020
Quai Branly, Paris 7e

Outros

MERCADINHO DE NATAL DO 15°

De 13 a 24 dezembro 2019
Pátio da prefeitura do bairro 75015 – 31 rue Péclet, Paris 15e

LE CHALET DE NOËL DE RITZ PARIS

Com criações de Chef Pâtissier François Perret De 7 dezembro a 5 janeiro 2020
Place Vendôme, Paris 1°

Como pode ver, com greve ou não em Paris, agora é hora de “turistar”!

Os preços são à titulo informativo e podem variar.

Greve geral. E agora?

Dia cinco de dezembro é dia de greve geral na França.

A lista de reinvindicações é longa, tendo a insatisfação com reforma da previdência em seu topo.

A lista dos grevistas é tão longa quanto é extensa a de reinvindicações: inúmeros sindicatos, diversas categorias, sobretudo servidores públicos.

Jovens, aposentados, bombeiros, profissionais da área da saúde, dos transportes, professores, agricultores, todo mundo parece insatisfeito com algo, seja desemprego, falta de recursos, cortes de subsídios, repressão social e outras reformas governamentais de todos os gêneros. 

Porém, dentre os aderentes à onda de movimentos sociais que se revezam em pontos estratégicos da cidade quotidianamente, faltavam os pesos pesados desta luta.

Quando o transporte público resolve PARAR

Os transportes param dia 5 e ameaçam seguir com serviços afetados nos dias a seguir, isso tanto a RATP , quanto o RER e a SNCF, Thalis e TER. Isso significa serviços municipais de metrô, trens intermunicipais de proximidade e longas distâncias nacionais e internacionais estarão fora de serviço entre os dias 5 e 9 de dezembro. De fato, em torno de 10% do serviço será mantido.  Quanto ao EuroStar, cessou a venda de bilhetes Paris-Londres-Paris do dia 5 de dezembro ao dia 9. Ônibus farão o trajeto Paris-Londres assegurando 23% do serviço.

Os sites dessas empresas propõe busca para verificação da existência ou não do transporte desejado e soluções de transporte opcionais.

Paliativos

A RATP propõe em seu site links para parceiros do ramo do transporte.

Para o tráfego intermunicipal nos arredores de Paris basta consultar Transilien 

Quanto ao site da região Île de France, aproveitou para promover locomoções alternativas com links para:

Penúria de gasolina

Já os profissionais relacionados à construção e trabalhos públicos, os profissionais do BTP *como são chamados, iniciaram desde o dia 29 de novembro o bloqueio a refinarias para protestar contra mudanças fiscais e cortes de subsídios  (*BTP –Bâtiments et Travaux Publiques) . Alguns postos de gasolina começam a sofrer penúria da matéria.

E agora?

Quem lê pode imaginar que isso aqui vai virar um caos!

Porém não, as empresas já contam com o “tele trabalho” (trabalha à distância) e os dispositivos para paliar os problemas dos usuários dos transportes em comum francês parecem estar à altura do desafio. O parisiense vai dar um jeitinho. Eu emprestei a bicicleta do meu filho para o garçom do restaurante que freqüento para que ele possa ir trabalhar, por exemplo.

Em face desses fatos fica até difícil explicar, porém para aqueles que não estão implicados no movimento social quase nada vai mudar.  Basta evitar a região do percurso da manifestação que parte da Gare du Nord, percorre os Boulevards Magenta, Republique, Voltaire e termina na Praça da Nation neste dia 5.

Quem mais para?

A Torre Eiffel pede em seu site que turistas mudem seus planos de visita para o dia 5, alegando perturbações no serviço.

O Museu do Louvre prevê atrasos e algumas salas fechadas no dia 5.

O Castelo de Versalhes, sempre combativo, fecha dias 5 e 6 de dezembro.

E para o turista? e agora?

Se fizer uma venda de última hora para essa semana subseqüente a greve sugira hotéis centrais para facilitar a vida do seu cliente.

Lembrando que Paris tem 105km2, a locomoção a pé é muito fácil. Isso sem falar nas bicicletas e patinetes accessíveis. Uberistas , taxis e receptivos continuarão prestando serviços igualmente.

Para o turista agora é hora de aproveitar e descobrir como as ruas, as praças e avenidas de Paris estão maravilhosas. Alternativas não faltarão.