Fashion Freak Show - Jean-Paul Gaultier a Paris

Fashion Freak Show-o novo espetáculo de Jean-Paul Gaultier

Este ano para a Fashion Week o costureiro e criador Jean-Paul Gaultier não se contentou com um simples desfile e lançou um novo espetáculo na cidade.

Fashion Freak Show - Jean-Paul Gaultier a Paris
Fashion Freak Show – Jean-Paul Gaultier a Paris

Na primeira página do programa Jean-Paul Gaultier assina as seguintes palavras:

Eu espero que esse espetáculo lhe trará tanto prazer como o que eu tive a imaginá-lo.O Fashion Freak Show é um convite ao sonho, a realizar seus sonhos.Por que eu tive essa sorte, eu quis compartilhá-la e mostrar que, quem quer que sejamos, as portas estão abertas. Ser você mesmo é a melhor coisa do mundo. E para todo mundo.

Bom show.

Jean-Paul Gaultier

Fashion Freak Show - Jean-Paul Gaultier a Paris
O show começa na rua
Fashion Freak Show - Jean-Paul Gaultier a Paris
Entrada do Folies Bergère- detalhe
Fashion Freak Show - Jean-Paul Gaultier a Paris
Folies Bergères, inaugurado em 1869

Convite aceito e deleite garantido para quem se habilita a fazer essa viagem na cabeça de Jean-Paul Gaultier, também conhecido como a “criança terrível” do mundo da moda.

Eu diria que o “menino maluquinho” da moda se superou mais uma vez criando essa “revista de cabaré” autobiográfica.

Seus sonhos de menino realizados através dos anos, seus desfiles, suas idéias revolucionárias, referências fortes à cultura francesa, à cultura pop, ao superficialismo ligado a padrões de belezas, questões ligadas às vítimas de AIDS, seu amor por Francis, entre outros temas são expostos de maneira criativa e, sobretudo altamente artística.

Trajes magníficos e extravagantes, dançarinos excelentes, coreografias bonitas, canto e músicas que nos levam alegremente ao passado, contestações e questionamentos intelectuais preenchem  duas horas leves e alegres do espetáculo que acontece no mítico Folies Bergère.

Excelente elenco de dançarinos, artistas e cantora. O telão apoia os efeitos teatrais.

Ao contrário de outros grandes nomes franceses, como é o caso do cozinheiro Alain Ducasse, Jean-Paul Gaultier não ignorou nosso mercado na constituição de seu projeto. Para comercializar seu espetáculo junto as agências de viagens, Jean-Paul optou por uma parceria com o Bateaux Mouches. Empacotado com um almoço no tradicional cruzeiro pelo Rio Sena o espetáculo dá sequência ao programa nas matinês dos fins de semana.  Embarque no Pont Alma ao meio dia, show no Folie Bergère as três da tarde. Programa mais parisiense impossível!

Fashion Freak Show - Jean-Paul Gaultier a Paris

Diversão garantida com 100 % transformismo e 0% vulgaridade

Não consigo definir se o sucesso do polêmico Pablo Vittar e seu personagem feminino pode ajudar ou interferir negativamente na apresentação do cabaré Artishow. Acredito ser positivo que a prática do transformismo tenha transcendido o mundo gay para chegar as grandes telas brasileiras, no entanto acho uma pena que esse transformismo tenha se tornado uma caricatura mega sexualizada da Mulher na pele de Vittar. Acho uma pobreza e uma ofensa a Mulher. Porém, isso é uma questão de gosto e há quem diga gosto não se discute.

No entanto, é importante esclarecer que mesmo se o transformismo de Vittar está em alta neste momento ele tem uma proposta completamente antagônica à incrível promessa de diversão do cabaré Artishow.

A vontade de se transformar em personagens femininos levou o pequeno grupo de artistas a buscar as maiores referências musicais da França e do mundo e ressuscitá-las com mestria e perfeição para grande alegria da platéia do cabaré Artishow.

Em uma pequena sala, onde o convivialidade e ambiente familiar imperam, pessoas das mais diferentes idades e origens se reúnem, riem e recordam momentos marcantes de suas vidas apreciando personalidades famosas de outrora como Edith Piaf, Stephanie de Mônaco, Charles Aznavour ou ainda Lisa Minelli e Amy Whitehouse. Outros personagens transvestidos, criações originais dos artistas como a bela Lulubell ou a engraçada Petúnia usam de irreverência e bom humor para animar a platéia entre os quadros musicais com piadas e uma linguagem bastante visual, porém respeitosa.  100% transformismo, 0% vulgaridade!

Fica a dica!

A noite nos “Invalides”

A CIDADE DOS INVÁLIDOS

Dizem que Louis XIV sofria muito vendo o grande número de inválidos espalhados pelas ruas de Paris. Esta teria sido a razão que o levou a criar em 1670, o Hôtel des Invalides, um edifício monumental dedicado aos veteranos de guerras reais.
Os primeiros moradores se estabeleceram em 1674. Pensão, quartéis, convento, hospital e manufatura constituíam uma verdadeira cidade, regulada de acordo com um sistema militar e religioso. No final do século XVII, os Invalides abrigavam cerca 4.000 residentes.
Durante o séc. XIX, o imperador Napoleão Bonaparte reorganizou a instituição e reformou a Igreja de St. Louis, no Panteão Nacional Militar, para abrigar sua última morada, seu túmulo.

MECA DA MEMÓRIA FRANCESA

Atualmente, o Hôtel National des Invalides é uma Meca da memória nacional. O conjunto de edifícios abriga mais de 50 organizações ativas. Entre elas a Instituição Nacional dos Invalidos, hospital militar, localizado na ala sul, que dá continuidade a vocação de origem do lugar. Enquanto ao norte, as coleções do Museu do Exército substituíram os veteranos do rei e conjuntamente com o central mausoléu de Napoleão, atraem mais de 1,5 milhões de visitantes ao ano.

ESPETÁCULO DA TEMPORADA

Além das atrações e atividades habituais, durante o verão, o Pátio de Honra dos Inválidos se torna palco para um espetáculo de som e luzes excepcional. Para esta 4ª edição do La Nuit aux Invalides luzes fantásticas projetadas sobre as paredes do Hotel des Invalides nos permitem viajar por Paris através dos tempos, desde Lutécia Romana até a moderna Cidade Luz. As mais recentes tecnologias de som e vídeo-mapeamento são colocadas a serviço do público enquanto projetadas nas paredes deste monumento fora do comum. Segundo o que li, o show oferece uma experiência sensorial de tirar o fôlego, 180 graus e mais de 250 metros das fachadas desvendam 4000 metros quadrados de projeção.

Para alegria dos turistas estrangeiros o show é apresentado em inglês as segundas e quintas-feiras. Parece-me a ocasião ideal para descobrir um dos edifícios mais fabulosos de Paris como nunca antes visto. Assim que meu filho voltar de férias com os tios, iremos sem falta. Felizmente o espetáculo vai até 27 de agosto, não poderia ir sem Gabriel, é claro.

Não perca o vídeo-promocional para ter uma idéia da grandiosidade do evento

 

As 22 h 30, 129, Rua de Grenelle (VIIe), Metro Solférino. Preços de 17 a 20 €,

Post Scriptum- The last but not the least

Completando a dica: antes do espetáculo ou depois da visita ao Museu dos Inválidos aproveite a proximidade para provar a excelente comida do Au Petit Tonneau. Um verdadeiro bistrô parisiense, ideal para conhecer o melhor da culinária francesa sem medo de ficar perdido com a língua francesa. Os proprietários são mexicanos, os garçons falam espanhol e o chefe francês cozinha como ninguém! Pratos a partir de  16€. Mas não há quem resista as entradas e ou sobremesas €€€.  Vale a pena!

No site você encontra fotos e mais detalhes sobre preços

Au Petit Tonneau- Autêntico Bistro Parisiense

foto Eric Gaba
foto autor Eric Gaba