Novas restrições, a reação dos franceses e a comunicação

Novas restrições – A essa altura todos já sabem que a França entrará neste sábado, dia 17 de outubro, em uma nova fase de restrições sanitárias.  O toque de recolher entre 21h e 6h nas grandes cidades* durante um mês foi a medida escolhida para a nova tentativa de contenção do coronavírus.

Acabou a festa! Regra dos seis

O governo pede inclusive à população que restrinja sua “bolha social” a seis pessoas e usem máscaras durante todo o tempo de convívio, seja lá onde for.

O governo promete igualmente ações dissuasivas para organizadores de festas e reuniões com multas que podem ir até 10 000 euros.

Reações

Diante destas novas restrições alguns reclamam do atentado a liberdade individual. Proprietários de restaurantes e bares clamam uma catástrofe anunciada. Jovens afirmam que se não vão aos bares, farão encontros em seus pequenos apartamentos. O corpo médico reclama da falta de recursos e investimentos para resolução do problema hospitalar e os sindicados fazem apelo de greve.

Para dificultar ainda mais a vida do governo, os policiais que deverão manter a ordem neste momento complicado, manifestam contra a falta de apoio e segurança no desempenho de suas funções.

Os trabalhadores perguntam por que devem se espremer nos meios de transporte, nos escritórios e salas de reunião, mas não podem ir ao restaurante ou ao teatro.

Concomitantemente, dia 17 de outubro é também dia de início de novas férias escolares. E surpreendentemente, os franceses poderão se deslocar sem restrições pelo território nacional.

Para muitos é difícil entender a coerência destas medidas que parecem até contraditórias. Mas, basta analisar um pouco para perceber que o governo está tentando frear o contágio da população pelo Covid-19, sem frear a economia nacional. Eu pessoalmente entendo a decisão.   

Então, porque muitos estão descontentes? A cólera dos proprietários dos restaurantes e atuantes do meio cultural é compreensível, mas quanto ao resto da população…

credibilidade é tudo

É sabido que a comunicação publicitária sempre ajudou muito a classe politica. Até ai tudo bem! Mas e quando ele trabalha contra a classe política?

Apoiar-se em um Conselho Cientifico para tomadas de decisões durante uma crise sanitária me parece a coisa mais sensata do mundo! Contanto que o mesmo tenha credibilidade, é claro.

O problema e que no momento em que a França, seus hospitais e população sofriam da falta de máscaras o Conselho Cientifico afirmou que o uso deste aparato ( hoje obrigatório) não era necessário e poderia ser até mesmo perigoso.  E agora, para explicar as novas restrições esse mesmo Conselho Cientifico estatal afirma que a maioria do contágio acontece em reuniões familiares e aparentemente entre 21h e 6h da manhã?  

Questões complexas, sobre as quais prefiro me abster. Eu não entendo nada de saúde e não vou pagar 135€ de multa para andar por ai depois das 21h, então me submeto e apóio as medidas sem contestar, como fará a maioria da população certamente.

Todavia, termino meu texto com uma pequena história, que talvez exemplifique meu ponto de vista sobre o que chamo de boa comunicação.

Vendendo seu peixe

Um dia desses, meu restaurante preferido me serviu um peixe inabitual. Confrontada pela minha reação a garçonete foi sincera:

“- Segunda feira não há entrega de peixe fresco, o mercadão (de Rungis), fecha nas segundas, perdão. Agora você já sabe que este não é o dia ideal para comer peixe aqui.”

Sua resposta franca e direta me deixou feliz, o sabor do peixe que eu comia não melhorou, mas eu aprendi algo e fiquei mais esperta. Segui freqüentando o estabelecimento. Credibilidade é tudo! Isso sim é o que chamo de boa comunicação!

Nota* Estão sob toque de recolher : Paris e região, Lille, Grenoble, Lyon, Aix-Marseille, Montpellier, Rouen, Toulouse et Saint-Etienne.

Fronteiras abertas?

Ligações de amigos anunciando a fronteiras abertas com o Brasil, as manchetes de inúmeros jornais e as explicações suscintas nos sites governamentais me levaram a confusão e eu cheguei a publicar a abertura das fronteiras alguns minutos atrás. Mas não! Perdão.

No dia 24 de julho, o primeiro-ministro francês anunciou que viajantes oriundos de 16 países onde o vírus está circulando fortemente poderão entrar no território francês sob apresentação de testes negativos para o Covid-19. O que ele quis dizer? Que viajantes oriundos de 16 países onde o vírus está circulando fortemente poderão entrar no território francês SOMENTE sob apresentação de testes negativos para o Covid-19.

“As fronteiras com essas nações continuam fechadas!” Afirmou Jean-Castex (o novo primeiro ministro) em discurso realizado durante sua visita ao aeroporto de Orly.

Os 16 países interessados dessa lista no momento são: África do Sul, Argélia, Bahrein, Brasil, Emirados Árabes Unidos, Estados Unidos, Índia, Israel, Kuwait, Madagascar, Omã, Panamá, Peru, Catar, Sérvia, Turquia. 

Diante da possível dificuldade de realizar um teste em alguns desses países, um sistema de generalização de testes na chegada está gradualmente sendo colocado em prática nos aeroportos e portos franceses, e estará totalmente operacional até 1 º de agosto.   Isso consistirá em testar sistematicamente os viajantes desses países em risco: aqueles testados negativamente no Covid-19 poderão se mover livremente pelo país. As pessoas que testarem positivamente serão colocadas em isolamento durante quatorze dias.

Quem pode entrar na França vindo do Brasil? Brasileiros com residência legal na França, franceses e estudantes que tiveram seus cursos confirmados.

Fronteiras seguem fechadas para turistas brasileiros

Fronteiras Abertas:  Atualmente são admitidos como turistas na França pessoas vindas dos seguintes países:

Argélia

Austrália

Canada

Georgia

Japão

Montenegro

Marrocos

Nova Zelândia

Ruanda

Sérvia

Coreia do Sul

Tailândia

Tunísia e Uruguai

Veja quais atividades estão funcionando Na França:

Restaurantes, bares et cafés Abertos com respeito das medidas de distanciamento social en zone verte
Praias, lagos, corpos d’água, centros de atividade náutica Abertos
Piscinas Abertas
Museus e monumentos, zoológicos Abertos com respeito das medidas de distanciamento social. Muitos museus exigem reserva com data e hora marcada.
Parques de lazer Abertos

Shopping
Todas as lojas e shoppings estão abertas, a menos que seja aconselhado de outra forma pelo prefeito. O uso da máscara é obrigatório
Cinemas Abertos com respeito das medidas de distanciamento social
Teatros Abertos com respeito das medidas de distanciamento social
Estádios, pistas de corrida Autorizados com respeito das medidas de distanciamento social e respeito de menos de 5.000 pessoas até o final de agosto
Esportes individuais Autorizados
Esportes em grupo Autorizados 
Esportes de contato (boxe, artes marciais, etc.) permanecem proibidos
Casinos Abertos com medidas sanitárias
Discotecas Fechadas até 31 de agosto

Manchetes e artigos anunciam igualmente a volta das feiras e salões internacionais a partir de setembro. Seria esse um bom presságio?

Nota: atualmente em torno de 6000 pessoas estão hospitalizadas devido ao Covid-19 na França e a media de óbitos se situa em 15 pessoas por dia.

Acesse o link para ver mais dados e o mapa indicando as zonas em alerta.