Piscina do novo Anantara Tozeur Resort, na Tunísia

Luxo em cenário de Star Wars e outros novos hotéis de 2020

A versão 2019 da International Luxury Travel Market (ILTM Cannes), a maior e mais importante feira de viagens de luxo, realizada na primeira semana de dezembro na ensolarada Riviera Francesa, esteve como sempre repleta de novidades, entre tendências e produtos. Em estandes lindamente decorados de gigantes da hotelaria; em apresentações para a imprensa; em bate-papos individuais; ou em almoços, jantares, coquetéis e festas concorridas em hotéis, restaurantes e até na praia banhada pelo Mar Mediterrâneo, durante intensos quatro dias muito se conversou sobre o mercado de viagens de luxo em 2020. Big players da indústria estiveram por toda a parte e foram muitos os anúncios de aberturas hoteleiras em 2020.

Leia mais: Rosewood anuncia abertura em São Paulo para o final de 2020

Entre tantas novidades, selecionei para a revista Panrotas, semana passada, 20 novos hotéis em diferentes cidades pelo mundo (Paris, Londres e Nova York inclusive) para ficar de olho em 2020.

Você pode conferir a lista completa na edição digital clicando aqui (o texto começa na página 24).

A seguir, uma amostra do quem por aí: meia dúzia de hotéis novos e bacanas, todos fora de grandes centros.

Anantara Tozeur Tunisia. Em soft opening desde o final de 2019, este esperado resort no Deserto do Sahara (foto em destaque no topo) fica na região da Tunísia que aparece nos filmes da saga Star Wars como o planeta Tatooine. São 50 quartos e 43 villas a 1h15m de voo da capital, Túnis. Anantara tem hoje 41 hotéis. O 42º (e terceiro na Europa) será o The Marker Dublin, na Irlanda, que reabre no segundo semestre. O projeto do Anantara brasileiro, no antigo Kiaroa, na Península de Maraú, na Bahia, foi adiado.

Six Senses Bumthang, o quinto lodge da marca no Butão
Six Senses Bumthang, o quinto lodge da marca no Butão | Foto de divulgação

Six Senses Fort Barwara. A Six Senses, parte do IHG, continua em expansão. Fort Barwara fica a três horas de carro de Jaipur, na Índia. Em uma fortaleza do século 14, terá 48 quartos, dois restaurantes e duas piscinas. O hotel incorporou dois templos, e o spa seguirá a filosofia ayurveda. Em 2020, Six Senses conclui o projeto no Butão e abre em Bumthang. Este quinto lodge forma um itinerário em conjunto com os quatro inaugurados em 2019.

(Na torcida para que os roupões do Fort Barwara sigam o padrão de originalidade de outros hotéis indianos de luxo, como você pode ver nas fotos da inspector Mari Campos clicando aqui.)

Interior do restaurante grifado do primeiro O&O na Europa, em Portonovi, Montenegro
O restaurante grifado do primeiro O&O na Europa | Foto de divulgação

One&Only Portonovi. Com abertura prevista para junho, o O&O de Montenegro será o primeiro da marca na Europa. Banhado pelo Adriático, entre o mar e a montanha, o resort fica a 45 minutos de carro de Kotor, Patrimônio Mundial pela Unesco, e a uma hora de Dubrovik, na vizinha Croácia. Terá 113 acomodações, entre suítes e villas; dez residências, spa e restaurante do chef estrelado Giorgio Locatelli. Ainda para junho está marcada a inauguração do O&O Mandarina, na Riviera Nayarit, o segundo resort do grupo no México (um terceiro está a caminho, em Puerto Vallarta). Antes disso, em 23 de março, será aberto o O&O Desaru Coast, na Malásia. Nesta mesma região do Sudeste Asiático, a duas horas de carro do Aeroporto de Singapura, foi inaugurado recentemente um Anantara.

Piscina com vista para o Mar Tirreno no Villa Igiea, em Palermo
Piscina voltada para o Mar Tirreno no Villa Igiea, em Palermo | Foto de divulgação

Villa Igiea, a Rocco Forte Hotel. Rocco Forte em pessoa anunciou em Cannes a reabertura em 1º de junho do Villa Igiea, fora do centro de Palermo. Em um palácio do final do século 19 e com 68 quartos e suítes, a maioria com vista para o mar, será o 14º hotel de Sir Rocco (sétimo na Itália, segundo na Sicília). Hotel desde o início do século 20, Villa Igiea recebeu nobres europeus e celebridades de Hollywood ao longo das décadas, antes de fechar.

Café da manhã com vista para o Caribe no Le Carl Gustaf
Café da manhã com vista para o Caribe no Le Carl Gustaf | Foto de divulgação

Barrière Le Carl Gustaf. O grupo francês Barrière chega a Saint-Barth, no Caribe, e já aceita reservas para a partir de 1º de março. Serão 23 acomodações, todas com vista para o mar, entre quartos, suítes e bangalôs. O hotel boutique terá também uma filial da clássica brasserie Le Fouquet’s, de Paris, que faz parte do mesmo grupo e completa 150 anos em 2020.

Cayo Guillermo Resort Kempinski. A rede alemã baseada em Genebra cresce em Cuba, depois do sucesso do Gran Hotel Manzana La Habana, aberto em 2017. Previsto para abril, o novo resort à beira-mar, em Playa Pilar, terá 245 quartos. Com 76 hotéis em 31 países, Kempinski pretende chegar a uma centena de hotéis em todo o mundo no próximo ano.

Hotel Inspectors está também no Instagram @HotelInspectors, no facebook @HotelInspectorsBlog e no Twitter @InspectorsHotel

A estrutura hoteleira na República Dominicana

Passei a última semana toda na República Dominicana, o destino caribenho mais visitado por turistas de todo o mundo, de acordo com dados do relatório deste ano da Organização Mundial de Turismo.

Neste cenário, sabemos que há anos o Brasil é um mercado extremamente importante para o destino e um dos maiores emissores de turistas do mundo para a República Dominicana. Embora a grande maioria rume diretamente para os grandes resorts tudo incluído de Punta Cana, fiz uma viagem um pouquinho diferente. A convite do Ministério do Turismo da República Dominicana, visitei também outros cantos do país – a começar por sua capital, Santo Domingo – para conhecer um pouco mais da estrutura hoteleira do país e da própria diversidade de seus destinos turísticos.

Voei a Santo Domingo com a Copa Airlines (escala rápida no Panamá), mas o país conta com oito aeroportos internacionais e diversas possibilidades de rotas para chegar lá. A capital dominicana é repleta de belezas arquitetônicas (trata-se da cidade mais antiga das Américas) e realmente vale ao menos um pernoite (se possível, dois) – e a hotelaria local está finalmente sabendo tirar bom proveito disso.

Lá, fiquei hospedada no charmoso Hodelpa Nicolás de Ovando, que ocupa um imenso casarão colonial restaurado em pleno centro histórico. Os quartos e banheiros são espaçosos e confortáveis, há piscina, academia, dois bons restaurantes e os ambientes comuns souberam tirar ótimo proveito da história do edifício. Móveis coloniais com um toque de contemporaneidade, muito verde, belos pisos – e tudo com um serviço bem simpático e eficiente.

Além do charme do hotel em si, o Nicolás de Ovando soube criar um serviço premium dentro do próprio hotel: o Club Imperial, que funciona como um lounge executivo com café da manhã e happy hour gratuitos todos os dias, além de águas, refrigerantes, cafés e peticos à disposição no espaço o tempo todo. Devagarzinho, outras propriedades da cidade começam a investir também nesta vibe hotel-boutique-histórico, que tem tudo para seguir funcionando na cidade.

Para fugir do estereótipo dos imensos hotéis all-inclusive de categoria turística da ilha, algumas regiões da República Dominica, como Samaná e La Romana, se destacam pelas opções luxuosas de hospedagem e pelo fluxo imensamente inferior de turistas em suas areias. La Romana, que vem sendo apontado com um dos pedaços mais luxuosos do país, deve sua aura premium em grande parte ao excelente Casa de Campo, um hotel que faz parte dos seletos portfólios tanto da Leading Hotels of the World quanto da Preferred Hotels.

Trata-se de uma imensa propriedade que mistura hotel e villas privadas entre campos profissionais de golfe, paisagismo caprichado e, claro, a beira-mar. Conta com ótimos quartos, um caprichado beach club, marina, lojas, diferentes complexos de piscina, excelente serviço em geral e ainda uma incrível oferta de bares e restaurantes das mais diversas cozinhas. Ali cada quarto recebe um carrinho de golfe no check in (obrigatória a apresentação da carteira de identidade) para se locomover dia e noite entre os distintos espaços do hotel. A grande sacada do hotel é que ele funciona tanto no modelo tradicional da hotelaria de luxo, com apenas hospedagem, como também em sistema tudo incluído – à escolha do hóspede, inclusive na hora do check in.

A propriedade tem ainda a Altos de Chávon, uma cidadela antiga que reproduz uma vila italiana medieval com direito a igreja, praças, anfiteatro romano e edifícios antigos hoje ocupados por lojas, galerias de arte, cafés, bares e restaurantes – e ainda tem uma vista linda para o rio e as colinas cobertas de verde. A localização é excelente, belas praias quase desertas e ainda é um bom ponto de partida para tomar um dos passeios à Isla Saona.

E como não dava para deixar Punta Cana de lado, passei os últimos dias da viagem por lá. A cidade ganhou novos e charmosos beach clubs e investe cada vez mais pesado em hotelaria de luxo para fugir um pouco do estigma dos resorts all inclusive de qualidade duvidosa. O destaque da hotelaria ali fica por conta do premiado Tortuga Bay, com design de Oscar de la Renta, mas vale dizer que mesmo all inclusives mais tradicionais estão dando um jeitinho de tirar uma fatia deste mercado.

É o caso do hotel Dreams Punta Cana, com mais de 600 quartos, que acrescentou um serviço “Preferred” a alguns deles. O hotel é antigo e poderia passar por uma bem-vinda reforma nos edifícios onde os quartos estão localizados. Mas os quartos são extremamente espaçosos (a maioria com jacuzzis nas grandes varandas) e há mais de 10 opções diferentes para gastronomia. Quem paga pelo suplemento Preffered leva amenidades diferenciadas, bebidas premium, frigobar incluído nas diárias, consumo em sem restrições em todos os restaurantes da propriedade, serviço de concierge exclusivo para reservas e passeios, lounge dedicado dentro do hotel e também um beach lounge exclusivo, bem caprichado, em área específica e controlada da praia, com cabanas e serviço diferenciado.

Uma inciativa simples que faz profunda diferença no dia-a-dia dos hóspedes que optam por este suplemento – a começar pelo sossego do café da manhã. A estratégia vem dando tão certo que outros grandes resorts da região já estão planejando implantar medidas similares a partir do segundo semestre do ano que vem.

Dá para conferir mais informações sobre o país aqui e mais informações sobre a hotelaria testada e aprovada na minha viagem pela República Dominicana aqui.

Onde ficar em Cartagena, no Caribe colombiano

Siga também nossas redes sociais para ficar por dentro de todas elas: Instagram @ HotelInspectors,facebook @HotelInspectors e  Twitter @HotelInspectors.

Torre da Universidade de Cartagena

Onde ficar em Cartagena, no Caribe colombiano

Em cima do muro não é uma opção. Do lado de cá ou do lado de lá é a principal dúvida na hora de escolher o hotel na belíssima Cartagena das Índias, no noroeste da Colômbia. Dentro da muralha de dez quilômetros de extensão, a cidade tem um colorido Centro Histórico do século 16, Patrimônio da Humanidade pela Unesco, repleto de hotéis boutique, lojas, bares e restaurantes (estes até em cima do muro). Do lado de fora da muralha está o Mar do Caribe.

Leia mais: um roteiro por Cartagena, na revista Panrotas (a partir da p. 26)

As praias não são aquelas dos cartões-postais caribenhos, com água azul turquesa e areia branca e fofa. A hospedagem nos grandes hotéis à beira-mar é opção a ser levada em conta para quem viaja com crianças pequenas. Ou não dispensa a infraestrutura de um resort. Ou simplesmente quer combinar história e praia na mesma cidade.

Jacuzzi com vista para o Mar do Caribe no hotel Radisson Cartagena Ocean Pavillion | Foto de Carla Lencastre
Jacuzzi com vista para o Mar do Caribe no Radisson Cartagena | Foto de Carla Lencastre

Tive as duas experiências, dentro e fora do muro. A mais recente foi mês passado, quando voltei a Cartagena a convite do Radisson Ocean Pavillion. O hotel fica na praia de La Boquilla, entre 20 e 30 minutos de carro do Centro Histórico. Passa por reformas, principalmente na decoração das áreas comuns e dos 233 quartos. A parte principal da renovação deve estar concluída em dezembro. Conto mais sobre o Radisson Cartagena em reportagem na revista Panrotas. Ainda ao norte do Centro, entre 30 e 40 minutos de carro, na região de Manzanillo del Mar, há duas novas opções de grandes redes hoteleiras: o Meliá Karmairi, somente para adultos, aberto em meados deste ano, e o Conrad Cartagena, inaugurado no final de 2017.

Prédios modernos ponta da península de Bocagrande, em Cartagena | Foto de Carla Lencastre
Prédios modernos na ponta da península de Bocagrande | Foto de Carla Lencastre

A área hoteleira de praia mais perto do Centro é Bocagrande, península repleta de arranha-céus que, vista do mar, lembra Downtown Miami. Está a cerca de 15 minutos de carro da principal entrada da cidade murada, a Porta do Relógio. Um clássico na área é o Hilton, em El Laguito, no sul da península. Há outras opções de redes, em diferentes faixas de preço. Em Bocagrande, como em La Boquilla, geralmente a areia e o mar são acinzentados, com águas mornas. Há vendedores, o assédio é grande; as praias são seguras.

O conjuntos histórico que vai abrir o Four Seasons Cartagena | Foto de divulgação
Como vai ficar o conjunto histórico que abrigará o Four Seasons Cartagena| Divulgação

Também ao sul do Centro, fica Getsemaní, um dos bairros mais antigos de Cartagena. É lugar para aproveitar a vida noturna, com muitos bares de salsa. Há alguns meses, a rede Four Seasons anunciou que sua terceira propriedade na Colômbia (há dois hotéis em Bogotá) será justamente em Getsemaní, em um conjunto de prédios históricos a apenas cinco minutos de caminhada da Porta do Relógio. Passei por lá, as obras ainda não começaram. Será a 15ª propriedade da coleção Four Seasons Historic Hotels.

Em fase de gentrificação, o bairro tem hostels e hotéis como o Selina, inaugurado há menos de um ano, com quartos individuais e comunitários.

O novo Selina Vila Madalena, em São Paulo

Como é o Selina Rio, o primeiro hotel da rede no Brasil

Para quem vai a Cartagena em busca da vida do século 21 pelas ruas do século 16, o lugar para ficar é do lado de dentro do muro. Em uma vez passada, tive ótima experiência no Charleston Santa Teresa, o que contribuiu muito para o meu amor à primeira vista pela cidade. Com 87 quartos, instalado em um antigo convento do século 17 perto da Torre do Relógio, o hotel tem piscina no terraço, com vista para as torres da Catedral em primeiro plano, e o selo Traveller Made. Revisitei as áreas comuns, e a impressão continua boa. No belo claustro central estão as mesas do Harry’s, restaurante de Harry Sasson, um dos chefs colombianos mais famosos.

Outro convento, também do século 17, abriga o Sofitel Legend Santa Clara, com 123 quartos. Já conhecia o bar El Coro, que continua bom, e o restaurante 1621. El Coro é o endereço da cripta que inspirou Gabriel García Márquez no livro Do amor e outros demônios. A casa do escritor colombiano, ainda hoje com sua família, é vizinha ao Santa Clara. As áreas comuns do hotel são lindas, especialmente o pátio central repleto de plantas e com um poço de água. A piscina, razoavelmente grande para uma área histórica, está em um pátio ao lado. Este é o hotel do Centro Histórico com melhor estrutura para receber crianças pequenas.

Nesta viagem de agora, conheci a Casa San Agustín, membro da Leading Hotels of the World, a convite do próprio Radisson Cartagena. O restaurante Alma, especializado em frutos do mar com leitura contemporânea, é bem gostoso. Tem vista para a pequena piscina em formato de L, por sua vez emoldurada pela parede em pedra de um aqueduto do século 17. Os 30 quartos, com decorações únicas, oferecem mix charmoso de detalhes contemporâneos e históricos, alguns com afrescos originais nas paredes. O hotel tem spa e solário com vista para a torre da universidade do século 19, onde estudou García Márquez (foto na abertura deste texto).

E agora? Qual o seu lado do muro?

A estrutura hoteleira na República Dominicana

Hotel Inspectors está no Instagram @HotelInspectors, no facebook @HotelInspectorsBlog e no Twitter @InspectorsHotel

Hotel Esencia Tulum Playa del Carmen Riviera Maya

Alta costura e hotelaria de luxo se encontram na Riviera Maya

Grifes de moda já viraram hotel há algum tempo. Armani Hotels e Palazzo Versace são apenas dois bons exemplos de alta costura aplicada à hotelaria de luxo. Com o delicioso Esencia, escondido em uma pequena baía na Riviera Maya, aconteceu o contrário. O hotel boutique mexicano acaba de virar roupa grifada à venda em lojas de departamentos nos Estados Unidos.

Hotel Esencia Tulum Playa del Carmen Riviera Maya
A baía da Riviera Maya que abriga o Hotel Esencia e seus hóspedes famosos / Foto de Carla Lencastre

O estilista de Michele Obama inspirado pelo Hotel Esencia, na Riviera Maya

Encravado entre Playa del Carmen, balneário movimentado, e Tulum, praia com ruínas maias, o Esencia há uma década espalha suas espreguiçadeiras pela areia banhada pelo Mar do Caribe. Em 2014 foi comprado pelo dono atual, o empresário e colecionador de arte Kevin Wendle, que passou um ano e meio renovando o hotel. Desde então, Wendle coleciona também hóspedes famosos (principalmente artistas de Hollywood) e prêmios de revistas e sites especializados. Logo depois de concluída a reforma, o estilista Jason Wu costurou a sua parte para o Esencia entrar no radar de quem procura luxo fora da trilha mais batida.

Nascido em Taipé, criado em Vancouver e baseado em Nova York, Wu já era estilista famoso quando se tornou um favorito de Michelle Obama. Ficou ainda mais conhecido. Apaixonado pelo Esencia, escolheu o lugar para celebrar a união com Gustavo Rangel, parceiro de longa data. Com celebridades na lista de convidados e muitas fotos no Instagram, o hotel se destacou no mapa.

Mas o Esencia não foi apenas cenário de casamento para o estilista. Ele lançou agora uma coleção cápsula de roupas de primavera-verão com estampas e desenhos inspirados no lugar. São apenas 11 peças em algodão e seda, como vestidos, saias e camisas. A coleção Jason Wu x Hotel Esencia está à venda em lojas de departamento nos Estados Unidos como Saks Fifth Avenue, Nordstrom e Bergdorf Goodman e na boutique do hotel. O Instagram vai ajudando a espalhar a novidade, com fotos de atrizes e modelos vestindo as novas peças.

Hotel Esencia Tulum Playa del Carmen Riviera Maya
Um dos 40 quartos do Esencia: branco é sempre o tom predominante / Foto de Carla Lencastre

Quando o dia não é de festa, celebridades vão a este hotel low profile em busca da paz e da privacidade que só uma praia deserta como Xpu-Ha pode oferecer. Do conforto de passar alguns dias na casa rústica e chique construída por uma duquesa italiana e decorada com obras de arte. Da delícia de ter o melhor da cozinha mexicana a alguns passos da rede na varanda. Do azul-turquesa hipnotizante das águas do Caribe. E de inspiração.

Hotel Esencia Tulum Playa del Carmen Riviera Maya
Inspira, respira: vista para a floresta de um dos quartos do Esencia / Foto de Carla Lencastre

No final do ano passado, o Esencia chegou a 40 quartos e suítes. Não há dois iguais. Em comum, todos têm o branco como cor predominante e muitas janelas que emolduram os azuis do mar e os verdes da luxuriante selva da Península de Yucatán. Alguns oferecem varandas e chuveiros ao ar livre, outros dispõem de banheiras com vista para o Caribe e os jardins. Sempre com uma trilha sonora personalizada. As músicas do hotel foram escolhidas pelo DJ francês Michel Gaubert, especialista em trilhas para desfiles de moda de maisons de alta-costura como Chanel e Dior.

Hotel Esencia Tulum Playa del Carmen Riviera Maya
O verde invade também os banheiros / Foto de Carla Lencastre

Além de novas suítes, o Esencia inaugurou seu terceiro restaurante, Mistura. Instalado em uma palapa (construção com teto de palha) na praia, é comandado pelo chef Dimitris Katrivesis, grego que faz um mix de cozinha peruana e asiática com toques mexicanos. Em determinados meses do ano, o jantar pode até ser servido na areia. Mas não durante a alta temporada, no inverno, porque tartarugas marinhas fazem ninhos em Xpu-Ha.

Hotel Esencia Tulum Playa del Carmen Riviera Maya
Mistura, o mais novo restaurante do Esencia, de frente para o Caribe / Foto de divulgação

O adorável Esencia fica a apenas uma hora de carro ao sul do Aeroporto de Cancún e a um mundo de distância dos resorts all-inclusive da cidade. Não se deixe enganar pelas fotos do casamento de Jason Wu publicadas no Instagram com a hashtag #RangelWu. Rapazes sem camisa servindo shots de tequilla e modelos em vestidos de festa dentro das duas piscinas de frente para o mar estavam no Esencia apenas para a celebração. Até podem voltar, se você organizar uma fiesta por lá. Caso não, o dia a dia do lugar é dos mais tranquilos.

Para alguma agitação, a 20 minutos de carro ao norte fica Playa del Carmen, com barracas de praia sofisticadas, bons e movimentados restaurantes e animadas casas noturnas. Do século 13, as belas ruínas de Tulum estão ao sul, à beira-mar, a 30 minutos de carro. Mas lembre-se que de agora em diante o calor só aumenta, assim como a chuva. O risco de furacões na Riveira Maya é maior nos meses de setembro e outubro. Depois recomeça a alta temporada.

E como a região tem uma infraestrutura hoteleira impecável para todos os meses do ano, em breve vamos falar aqui sobre outros hotéis da Riviera Maya.

Leia aqui sobre resorts exclusivos para adultos no Caribe mexicano.

Leia aqui sobre hotéis de praia em Bora Bora, na Polinésia Francesa.

Leia aqui sobre novos hotéis de luxo para 2019 apresentados em feira realizada na Riviera Maya.

Para ficar por dentro destas e de outras histórias da hotelaria, acompanhe a gente no Instagram @ HotelInspectors, no facebook @HotelInspectors e no Twitter @HotelInspectors.