Sustentabilidade na hotelaria no sul da Bahia

Há algum tempo, escrevi neste texto aqui sobre a necessidade da hotelaria encontrar seu equilíbrio com a sustentabilidade, mencionando diversas iniciativas em hotéis no exterior. Agora está na hora de falar um pouco de Brasil.

Afinal, há cada vez mais viajantes levando estas iniciativas seriamente em consideração antes de decidir-se ou não pela reserva em um determinado hotel e já entenderam que é preciso muito mais do que colocar nos banheiros aquele aviso para evitar a troca constante de toalhas. Da água servida em garrafas de vidro nos quartos a sistemas de auto-suficiência energética, felizmente há hotéis levando isso a sério no Brasil também. Mas, infelizmente, eles ainda são pouquíssimos; muitos proprietários ainda preferem, por exemplo, os lucros oriundos da venda de água no frigobar que a iniciativa de oferecer gratuitamente água em garrafas de vidro, como tantas propriedades no exterior já fazem.

Na semana passada, estive em férias pela região sul da Bahia e escolhi me hospedar em duas propriedades hoteleiras com filosofias muito parecidas, e ambas extremamente focadas na sustentabilidade. Entretanto, vale ressaltar desde já que, apesar de muitos avanços e excelentes iniciativas, estas propriedades ainda têm diversas mudanças que poderiam e deveriam implementar diariamente para favorecer a sustentabilidade de seus negócios.

Em Trancoso, a escolhida foi a Pousada Mata N’ativa, uma pousada de charme a 500 metros do Quadrado e iguais 500 metros da Praia do Nativo. Além da localização acertadíssima, que permite ao hóspede fazer muita coisa sem nem tirar o carro do estacionamento, a pousada é pioneira na região em iniciativas sustentáveis, tendo inclusive selos internacionais de certificação. Ali as fossas são 100% ecológicas, os quartos ficam dispostos em diferentes predinhos ao redor de um estupendo jardim e o restaurante utiliza somente produtos locais para o preparo das refeições. Mesmo no décor, a escolha foi por móveis, artistas e artesãos locais. colabora com iniciativas de preservação da região.

Os quartos são bastante confortáveis e contam todos com ar condicionado e varanda e amenidades Trosseau (alguns têm também hidromassagem). As diárias incluem um delicioso café da manhã em estilo buffer (com pratos quentes feitos individualmente na hora) e a infra-estrutura inclui ainda piscina, playground para os pequenos e uma sala para massagens – tudo sempre respeitando o ambiente. Ali até o sistema de wifi é diferenciado para não interferir no jardim de maneira nenhuma.

Também em Trancoso, a Etnia Casa Hotel (que, aliás, é agora composta por 7 Villas completíssimas, mas sem abrir mão dos serviços de primeira em hotelaria) prioriza os ingredientes 100% locais, valoriza os ítens locais na decoração e apoia diferentes projetos de sustentabilidade no turismo, como a Associação Despertar Trancoso e a Ilha de Alcatrazes.

Em Arraial D’Ajuda, é o Maitei Hotel quem sai na frente. Localizado a cinco minutos de caminhada da praia do Mucugê, o Maitei é inteiramente focado em sustentabilidade e utiliza 100% energia solar. São apenas 17 quartos, sendo 9 deles com vista para o mar, todos muito espaçosos, incluindo belíssimas varandas. Amenidades L’Occitane, hidromassagem, diferentes espaços de living, sala de massagens, academia e duas piscinas com vista panorâmica para o mar estão entre os atrativos. Artesãos locais são os responsáveis pelas peças que decoram áreas comuns e quartos e ingredientes da região são a base para a gastronomia caprichada de seu restaurante, do café da manhã ao jantar.

O que se faz absolutamente urgente ali é eliminar por completo o uso de plástico na propriedade. Porque não adianta investir nos canudos sustentáveis se água e amenidades ainda são entregues aos hóspedes em embalagens plásticas, certo?

Mas de pouquinho em pouquinho, a hotelaria brasileira vai felizmente entendendo que é possível (e também parte do seu dever) investir pesado no turismo sustentável sem abrir mão dos altos padrões de serviço, deixando o hóspede duplamente satisfeito.

Dá pra ler mais sobre esta minha viagem e as hospedagens no sul da Bahia aqui e também aqui.

Siga também nossas redes sociais para ficar por dentro de todas elas: Instagram @ HotelInspectors,facebook @HotelInspectors e  Twitter @HotelInspectors.

Piscina do novo Anantara Tozeur Resort, na Tunísia

Luxo em cenário de Star Wars e outros novos hotéis de 2020

A versão 2019 da International Luxury Travel Market (ILTM Cannes), a maior e mais importante feira de viagens de luxo, realizada na primeira semana de dezembro na ensolarada Riviera Francesa, esteve como sempre repleta de novidades, entre tendências e produtos. Em estandes lindamente decorados de gigantes da hotelaria; em apresentações para a imprensa; em bate-papos individuais; ou em almoços, jantares, coquetéis e festas concorridas em hotéis, restaurantes e até na praia banhada pelo Mar Mediterrâneo, durante intensos quatro dias muito se conversou sobre o mercado de viagens de luxo em 2020. Big players da indústria estiveram por toda a parte e foram muitos os anúncios de aberturas hoteleiras em 2020.

Leia mais: Rosewood anuncia abertura em São Paulo para o final de 2020

Entre tantas novidades, selecionei para a revista Panrotas, semana passada, 20 novos hotéis em diferentes cidades pelo mundo (Paris, Londres e Nova York inclusive) para ficar de olho em 2020.

Você pode conferir a lista completa na edição digital clicando aqui (o texto começa na página 24).

A seguir, uma amostra do quem por aí: meia dúzia de hotéis novos e bacanas, todos fora de grandes centros.

Anantara Tozeur Tunisia. Em soft opening desde o final de 2019, este esperado resort no Deserto do Sahara (foto em destaque no topo) fica na região da Tunísia que aparece nos filmes da saga Star Wars como o planeta Tatooine. São 50 quartos e 43 villas a 1h15m de voo da capital, Túnis. Anantara tem hoje 41 hotéis. O 42º (e terceiro na Europa) será o The Marker Dublin, na Irlanda, que reabre no segundo semestre. O projeto do Anantara brasileiro, no antigo Kiaroa, na Península de Maraú, na Bahia, foi adiado.

Six Senses Bumthang, o quinto lodge da marca no Butão
Six Senses Bumthang, o quinto lodge da marca no Butão | Foto de divulgação

Six Senses Fort Barwara. A Six Senses, parte do IHG, continua em expansão. Fort Barwara fica a três horas de carro de Jaipur, na Índia. Em uma fortaleza do século 14, terá 48 quartos, dois restaurantes e duas piscinas. O hotel incorporou dois templos, e o spa seguirá a filosofia ayurveda. Em 2020, Six Senses conclui o projeto no Butão e abre em Bumthang. Este quinto lodge forma um itinerário em conjunto com os quatro inaugurados em 2019.

(Na torcida para que os roupões do Fort Barwara sigam o padrão de originalidade de outros hotéis indianos de luxo, como você pode ver nas fotos da inspector Mari Campos clicando aqui.)

Interior do restaurante grifado do primeiro O&O na Europa, em Portonovi, Montenegro
O restaurante grifado do primeiro O&O na Europa | Foto de divulgação

One&Only Portonovi. Com abertura prevista para junho, o O&O de Montenegro será o primeiro da marca na Europa. Banhado pelo Adriático, entre o mar e a montanha, o resort fica a 45 minutos de carro de Kotor, Patrimônio Mundial pela Unesco, e a uma hora de Dubrovik, na vizinha Croácia. Terá 113 acomodações, entre suítes e villas; dez residências, spa e restaurante do chef estrelado Giorgio Locatelli. Ainda para junho está marcada a inauguração do O&O Mandarina, na Riviera Nayarit, o segundo resort do grupo no México (um terceiro está a caminho, em Puerto Vallarta). Antes disso, em 23 de março, será aberto o O&O Desaru Coast, na Malásia. Nesta mesma região do Sudeste Asiático, a duas horas de carro do Aeroporto de Singapura, foi inaugurado recentemente um Anantara.

Piscina com vista para o Mar Tirreno no Villa Igiea, em Palermo
Piscina voltada para o Mar Tirreno no Villa Igiea, em Palermo | Foto de divulgação

Villa Igiea, a Rocco Forte Hotel. Rocco Forte em pessoa anunciou em Cannes a reabertura em 1º de junho do Villa Igiea, fora do centro de Palermo. Em um palácio do final do século 19 e com 68 quartos e suítes, a maioria com vista para o mar, será o 14º hotel de Sir Rocco (sétimo na Itália, segundo na Sicília). Hotel desde o início do século 20, Villa Igiea recebeu nobres europeus e celebridades de Hollywood ao longo das décadas, antes de fechar.

Café da manhã com vista para o Caribe no Le Carl Gustaf
Café da manhã com vista para o Caribe no Le Carl Gustaf | Foto de divulgação

Barrière Le Carl Gustaf. O grupo francês Barrière chega a Saint-Barth, no Caribe, e já aceita reservas para a partir de 1º de março. Serão 23 acomodações, todas com vista para o mar, entre quartos, suítes e bangalôs. O hotel boutique terá também uma filial da clássica brasserie Le Fouquet’s, de Paris, que faz parte do mesmo grupo e completa 150 anos em 2020.

Cayo Guillermo Resort Kempinski. A rede alemã baseada em Genebra cresce em Cuba, depois do sucesso do Gran Hotel Manzana La Habana, aberto em 2017. Previsto para abril, o novo resort à beira-mar, em Playa Pilar, terá 245 quartos. Com 76 hotéis em 31 países, Kempinski pretende chegar a uma centena de hotéis em todo o mundo no próximo ano.

Hotel Inspectors está também no Instagram @HotelInspectors, no facebook @HotelInspectorsBlog e no Twitter @InspectorsHotel

Como é o novo safári camp Nimali Mara, na Tanzânia

A rede de camps de safári sustentáveis e focados em conservação e preservação da vida selvagem Nimali Africa tem um novo camp na Tanzânia. A rede, que possui também outros dois safári camps na Tanzânia (o Nimali Tarangire, no Parque Nacional Tarangire, a 4h de carro do aeroporto internacional Kilimanjaro, e o Nimali Central, na região central do Serengeti, e que passará por um super upgrade neste 2020), abriu na porção norte do Serengeti o Nimali Mara.

O novo camp, localizado no parque nacional classificado pela Unesco como Patrimônio da Humanidade, quase na divisa com Maasai Mara (no Quênia), é o primeiro camp de luxo do grupo, com tendas, áreas comuns e serviço impecáveis. Tudo ali foi instalado de maneira 100% sustentável (da “construção” do camp ao dia-a-dia sem plásticos, sem desperdícios, energia solar, tratamento de água etc), respeitando a paisagem espetacular e tão pecuiiar da região. Ali as savanas são repletas de rochas e, das áreas comuns às tendas, tudo no camp levou a geografia local em consideração.

A proximidade com Maasai Mara garante muitos animais à vista e garante ter avistamentos ainda mais espetaculares durante a grande migração, que acontece de julho a setembro com literalmente milhões de animais passando por ali. Outra vantagem da localização é que a parte norte do Serengeti conta com pouquíssimos lodges e camps. Passei dias ali sem praticamente ver outros carros com turistas.

A equipe também merece destaque: das mais afinadas (em todos os sentidos) que já vi em lodges e camps africanos. Chama a atenção que a jovem gerente é a única mulher do grupo – mas lidera com muito carinho e doçura e dá pra ver que todos ali se tornaram uma grande família. E sabem manter os hóspedes satisfeitos e entretidos mesmo nos dias mais chuvosos (peguei muita chuva durante parte da minha estadia ali).

A deliciosa área externa das tendas. Foto: Mari Campos.

A beleza do camp chama mesmo a atenção. A arquitetura caprichosa criou dez tendas muito espaçosas, todas elas com uma das faces feita inteiramente de vidro, garantindo vista panorâmica para o Serengeti de absolutamente todos os cômodos. Cada tenda conta com saleta, closet, quarto, imensos banheiros (chuveiro duplo, pia duplo, banheiras de cobre abertas) e uma deliciosa varanda externa com lounge, mesa e cadeiras e uma deliciosa swing bed perfeita para descansar, namorar, ler, meditar.

Além da área de trabalho e das muitas tomadas e entradas USB, todas as tendas contam com wifi de ótima qualidade e – raridade nos camps de luxo similares – telefone e serviço de quarto. A cada manhã os hóspedes são despertados pessoalmente com café ou chá e cookies caseiros. Mas é possível também pedir para jantar no próprio quarto ou mesmo um rosé geladinho à tarde. E mais: como nos demais camps da Nimali, serviços de lavanderia estão sempre incluídos nas diárias.

Nas áreas comuns, há living, um delicioso bar, piscina e restaurante, tudo com vista panorâmica para o parque. Os detalhes muito africanos incluem tecidos mil, muita madeira e muito cobre. A gastronomia é caprichadíssima (foram as melhores refeições de toda a minha última viagem à África). Mas eles vão além: ao invés de servir todas as refeições sempre no restaurante, a cada dia o staff do hotel vai criando também cenários diferentes ao longo da estadia de cada hóspede. Sempre uma surpresa diferente (e tudo ali dependendo do clima, é claro). Almoço em plena savana, jantar à luz de velas à beira da piscina, café da manhã no alto de uma das enormes rochas dos arredores… e sempre com capricho: mesas, cadeiras, copos, talheres, toalhas, e um serviço irretocável. Mas até nos dias mais chuvosos foram criativos.

A criatividade, verdade seja dita, parece ser marca registrada do grupo: as outras duas propriedades Nimali (Nimali Tarangire e Nimali Central) também se encarregaram de escolher as “locações” mais incríveis e bem decoradas para os meus sundowners enquanto estive com eles. De fato, dos mais bonitos que já vi (e olha que já fiz MUITO safári na vida).

Ponto importante na hora de reservar: ao contrário de outros camps similares, o Nimali Mara opera sempre com pensão completa (bebidas incluídas), mas game drives, sundowners e open bar só estão incluídos no sistema “game package”.  

Dá para ler mais sobre minhas aventuras africanas e os melhores camps e lodges de safári aqui.

Leia mais sobre hotelaria na África aqui.

A jornalista Mari Campos viajou a convite da Gamewatchers Safaris (que cuidou de todo o itinerário e logística da viagem), da Sariri Terra e da South African Airways.

Siga também nossas redes sociais para ficar por dentro de todas elas: Instagram @ HotelInspectors,facebook @HotelInspectors e  Twitter @HotelInspectors.

Piscina na cobertura do hotel The One, em Barcelona

Hotel Inspectors Awards: melhores hotéis de 2019, parte 2

Nestas últimas semanas do ano estive na Europa, enquanto a inspector Mari Campos viajava pela África. Voltamos com uma lista de novas resenhas dos hotéis nos quais nos hospedamos. E, também, com novidades do mercado hoteleiro. Mas ficam para 2020. Antes disso deixo aqui o meu top 5 de melhores hotéis de 2019. Em ordem cronológica, e não de preferência.

Você confere o Hotel Inspectors Awards da Mari clicando aqui.

La Réserve Paris Hotel & Spa. Final de março, início de primavera ainda com jeito de inverno, voltei a este hotel boutique de luxo, onde me hospedei em uma suíte com vista para a cúpula do Grand Palais. Ao longo de 2019, o La Réserve, com apenas 40 quartos e suítes, acumulou prêmios. Entre eles, foi eleito o melhor hotel de Paris pela revista americana Travel+Leisure, por conta da gastronomia, da localização e do serviço. Em seguida, ganhou o prêmio de melhor experiência gastronômica durante a Virtuoso Travel Week, evento anual que reúne os membros da associação de viagens de luxo.

Melhor lembrança: a piscina no subsolo, extensa o suficiente para nadar.

A minha review do La Réserve Paris está neste link

A piscina do premiado hotel La Réserve Paris
A piscina do premiado La Réserve Paris | Foto de Carla Lencastre

Mandarin Oriental Hyde Park London. Um mês depois da experiência no La Réserve, me hospedei no então recém-reaberto Molon, um hotel excepcional. E premiado também pela Virtuoso: a gerente geral, Amanda Hyndman, foi eleita a hoteleira do ano. Depois de passar pela maior renovação da história do prédio centenário, o hotel de 181 quartos, entre o Hyde Park e a movimentada Knightsbridge (endereço da Harrods), está deslumbrante. Serviço primoroso, arte por toda a parte, gastronomia de primeira.

Melhor lembrança: reconhecimento facial, algo que sempre me impressiona em um hotel. Fui chamada pelo nome desde o momento que saí do táxi.

Você pode ler a resenha sobre o Mandarin Oriental Hyde Park London aqui

Sala de uma das suítes do renovado hotel de luxo Mandarin Oriental Hyde Park London
Sala de uma das suítes do renovado Mandarin Oriental London | Foto de Carla Lencastre

The Inn at Death Valley. No deserto californiano do Vale da Morte, a 86 metros abaixo do nível do mar, há um oásis glamouroso e sustentável. Cercado por uma paisagem surreal que parece de outro planeta, este resort com 66 quartos e 11 casitas, renovado em 2018, fica a apenas duas horas de carro de Las Vegas, no Oasis at Death Valley. Foi uma das boas (e quentes) surpresas do ano, às vésperas do verão nos EUA. Detox digital incluído.

Melhor lembrança: os terraços ao ar livre para observar o céu estrelado.

A review do The Inn at Death Valley está aqui

A paisagem do surpreendente hotel Inn at Death Valley, na Califórnia, que fica em um oásis no deserto do Vale da Morte
O cenário do surpreendente Inn at Death Valley, na Califórnia | Foto de Carla Lencastre

Memmo Príncipe Real. Hotel boutique de luxo, onde me hospedei no outono de Lisboa, há menos de um mês. Fica no animado e elegante Príncipe Real, com vistas incríveis para a cidade. Quartos modernos e repletos de detalhes charmosos, bom restaurante, ótimo serviço. Em breve conto mais.

Melhor lembrança: as amenidades no quarto, dos pastéis de nata feitos no próprio hotel ao kit completo para preparar um Portônica.

Quarto com vista para Lisboa no hotel boutique de luxo Memmo Príncipe Real
Quarto com vista para Lisboa no Memmo Príncipe Real | Foto de Carla Lencastre

The One Barcelona. Estive em Barcelona logo depois de Lisboa, a caminho da ILTM Cannes. Ao lado da La Pedrera, de Gaudí, e quase na esquina do Passeig de Gràcia, The One tem ótima localização e um delicioso restaurante de alta gastronomia, o Somni. Outro hotel sobre o qual você ainda lerá aqui.

Melhor lembrança: a cobertura com piscina (foto no alto do texto) e vista para as torres da Sagrada Família, de um lado, e o terraço de La Pedrera, do outro.

Na ILTM Cannes, Rosewood anuncia data de abertura do hotel em São Paulo

Este é o último texto do Hotel Inspectors este ano. Voltamos em 2020 na semana de 6 de janeiro. Ao longo de 2019 vimos nossa audiência crescer muito e só temos a agradecer pela companhia e o interesse.

Entre nossos textos mais lidos há temas tão diferentes quanto o novo Fairmont Rio de Janeiro, os bangalôs overwater de Bora Bora, os lodges africanos de safári, a hotelaria nas Maldivas. Em 2020 tem muito mais.

Obrigada pela leitura, boas festas e feliz Ano Novo!

PS. Você pode conferir os melhores hotéis do meu 2018 aqui e aqui.

Hotel Inspectors está também no Instagram @HotelInspectors, no facebook @HotelInspectorsBlog e no Twitter @InspectorsHotel.

Hotel Inspectors Awards – os melhores hotéis de 2019 – parte 1

2019 foi um ano pra lá de movimentado para a hotelaria no Brasil e no mundo, com muitas inaugurações, remodelações e reaberturas hoteleiras. Também foram anunciados neste ano diversos hotéis que abrirão suas portas em 2020 nos cinco continentes.

Nós aqui do Hotel Inspectors também viajamos muito ao longo do ano que termina, e nos hospedamos em dezenas e dezenas de hotéis, das Américas à Oceania. Dos muitos que testamos ao longo de 2019, escolhemos nossos favoritos e vamos publicar nossa listinha em duas etapas. A primeira edição dos Hotel Inspectors Awards lista aqui os melhores hotéis do nosso ano, incluindo propriedades de estilos e perfis muito diferentes, espalhadas pelo planeta. Na coluna de hoje, eu, Mari Campos, deixo aqui os meus hotéis favoritos, testados e aprovados ao longo deste ano.

Você confere o Hotel Inspectors Awards da Carla clicando aqui

Foto: Mari Campos

Hotéis Urbanos. Foram muuuuuitos os hotéis urbanos testados ao longo deste ano, incluindo várias experiências bastante ruins em destinos como a Califórnia. Mas, por sorte, também me hospedei em excelentes hotéis urbanos, sim. Valem a menção os queridinhos de outros carnavais, como o Hotel Barrière Le Fouquet’s em Paris, parte do selo Leading Hotels of the World, e o clássico Belmond Copacabana Palace, no Rio de Janeiro. Mas é preciso destacar os meus “vencedores” nesta categoria, e são cinco, todos com excelentes localizações em suas cidades: a ótima surpresa que foi o Trump Chicago (hotel corretíssimo, quartos super confortáveis e serviço de primeira); o discreto The Beaumont London (um hotel com selo Preferred Hotels com o mais alto padrão de serviço que vi numa propriedade no ano todo); o impecável Leela Palace (quartos charmosos, serviço irrepreensível e a mais linda rooftop pool de Delhi); o novo Fauchon Hotel (outra propriedade do portfólio da Leading Hotels of the World, linda, descolada, sem frescuras, com quartos enormes, todos com vista para Paris) e o encantador Hemingways Nairobi (com apenas 45 quartos enormes, todos com varanda, um verdadeiro oásis na capital do Quênia).

Uma das impecáveis suítes do RajMahal Palace, de apenas 14 quartos. Foto: Mari Campos

Hotéis boutique. Na categoria hotel boutique, tenho dois vencedores extremamente diferentes, mas ambos encantadores. O primeiro, no Brasil, é a Vila d’Este, uma mistura de pousada e hotel boutique no pedaço mais charmoso de Búzios, no Rio de Janeiro. Quartos charmosos, serviço super acolhedor e terraço e piscina com a vista mais linda da armação. O segundo, e hors-concours, é o incrível RajMahal Palace, em Jaipur, na Índia. A exclusivíssima propriedade do grupo Suján Luxury é parte do portfólio Relais&Chateaux e conta com apenas 13 quartos instalados na mansão que já foi residência do marajá de Jaipur (todos muito grandes, e cada um decorado com um papel de parede diferente). A propriedade, linda, é um oásis no caos da cidade, com direito a muito verde, uma deliciosa piscina e excelente restaurante – tudo com serviço irrepreensível e ótima localização.

Foto: Mari Campos

Pousadas. Duas pousadas merecem menção aqui neste 2019, e as duas localizadas na cada vez mais gostosa cidade de Tiradentes: a Pousada Solar da Serra e a Pousada Aromas da Montanha. Ambas estão localizadas afastadas do centro histórico, mas com serviço cálido e personalizado e excelente café da manhã. A Aromas da Montanha tem alguns dos quartos mais charmosos da cidade (cada um com uma decoração diferente) e a Solar da Serra tem a piscina mais linda de Tiradentes, com vista panorâmica para parte da cidade e a incrível Serra de São José.

A bela fachada do Palácio que faz parte do Ananda in the Himalayas. Foto: Mari Campos.

Hotel spa. Dois hotéis testados neste 2019, muito diferentes entre si, merecem louvor aqui na categoria hotel spa: o belíssimo Les Sources de Caudalie, em Bordeaux, França, e o zen Ananda in the Himalayas, em Rishikesh, na Índia. O Les Sources de Caudalie é uma espécie de resort, mas seu spa Caudalie é seu grande chamariz – e ali valem destaque também seus ótimos restaurantes e o charme absoluto da propriedade rodeada por vinhedos. E o Ananda in the Himalayas é o hotel spa mais completo que já conheci, e o melhor no qual já me hospedei: ali cada hóspede é atendido individualmente, e tem um programa de atividades e massagens no spa totalmente personalizado (tudo baseado na medicina ayurvédica), assim como menu personalizado do (ótimo!) restaurante, baseado em seu dosha (elemento). Com o bônus dos ótimos quartos terem todos vista panorâmica para os Himalaias e a cidade de Rishikesh.

Anantara Kihavah. Foto: Mari Campos

Resorts. Meu 2019 começou com mais uma estadia em um dos meus resorts favoritos nas Américas: o delicioso Acqualina Resort, em Sunny Isles, Miami, parte do portfólio da Leading Hotels of the World. Também merecem menções especialíssimas os resorts Belmond El Encanto, em Santa Bárbara, Califórnia, e Evolve Back Kamalpura Palace, em Hampi, na Índia. Ambos possuem quartos lindos, confortáveis e muito aconchegantes, e serviço simplesmente perfeitinho. Mas os grandes vencedores na categoria resort do meu 2019 ficam nas incríveis Maldivas: os irrepreensíveis Soneva Fushi e Anantara Kihavah. Ambos resorts souberam unir o melhor da hotelaria das Maldivas (pense em farta oferta de excelentes restaurantes, bangalôs e beach villas de sonho, serviço infalível com mordomo para todos os quartos etc) com o máximo em sustentabilidade também (essencial sobretudo em um destino como as Maldivas). Ambas propriedades ainda sabem conjugar com maestria ambientes simplesmente perfeitos tanto para casais em viagens românticas como para famílias com crianças pequenas. Falo mais sobre eles aqui e aqui também.

Foto: Mari Campos

Safári Camps. E, como alguém que faz religiosamente safáris africanos todos os anos, eu não poderia deixar de fora a categoria safári camp. Os melhores safári camps do meu ano de 2019 foram duas novas propriedades: os irrepreensíveis Mara Nyika e Nimali Mara. O Mara Nyika é o novo camp da Great Plains Conservation em uma área de conservação vizinha a Maasai Mara, no Quênia, com apenas quatro enormes e exclusivíssimas tendas. Serviço irrepreensível, dos quartos ao restaurante e game drives. Mesma vibe tem o Nimali Mara, o camp de luxo da Nimali África na porção norte do Serengeti, na Tanzânia. As tendas ganharam hotel vibes com frentes todas em vidro e deliciosas áreas externas, tudo de cara para o Serengeti. E o Nimali Mara tem as mais espetaculares ideias para fazerem refeições ao ar livre de maneira personalizada para cada hóspede, do café da manhã ao jantar. Ambos camps são totalmente sustentáveis e diretamente voltados para conservação e preservação de vida selvagem. Em ambos está tudo incluído, inclusive lavanderia.

Que baita ano na hotelaria, não é mesmo? Fique ligado que nossa lista de grandes hotéis do ano de 2019 continua pelos olhos da inspector Carla Lencastre.

Siga também nossas redes sociais para ficar por dentro de todas elas: Instagram @ HotelInspectors,facebook @HotelInspectors e  Twitter @HotelInspectors.