Piscina do novo Anantara Tozeur Resort, na Tunísia

Luxo em cenário de Star Wars e outros novos hotéis de 2020

A versão 2019 da International Luxury Travel Market (ILTM Cannes), a maior e mais importante feira de viagens de luxo, realizada na primeira semana de dezembro na ensolarada Riviera Francesa, esteve como sempre repleta de novidades, entre tendências e produtos. Em estandes lindamente decorados de gigantes da hotelaria; em apresentações para a imprensa; em bate-papos individuais; ou em almoços, jantares, coquetéis e festas concorridas em hotéis, restaurantes e até na praia banhada pelo Mar Mediterrâneo, durante intensos quatro dias muito se conversou sobre o mercado de viagens de luxo em 2020. Big players da indústria estiveram por toda a parte e foram muitos os anúncios de aberturas hoteleiras em 2020.

Leia mais: Rosewood anuncia abertura em São Paulo para o final de 2020

Entre tantas novidades, selecionei para a revista Panrotas, semana passada, 20 novos hotéis em diferentes cidades pelo mundo (Paris, Londres e Nova York inclusive) para ficar de olho em 2020.

Você pode conferir a lista completa na edição digital clicando aqui (o texto começa na página 24).

A seguir, uma amostra do quem por aí: meia dúzia de hotéis novos e bacanas, todos fora de grandes centros.

Anantara Tozeur Tunisia. Em soft opening desde o final de 2019, este esperado resort no Deserto do Sahara (foto em destaque no topo) fica na região da Tunísia que aparece nos filmes da saga Star Wars como o planeta Tatooine. São 50 quartos e 43 villas a 1h15m de voo da capital, Túnis. Anantara tem hoje 41 hotéis. O 42º (e terceiro na Europa) será o The Marker Dublin, na Irlanda, que reabre no segundo semestre. O projeto do Anantara brasileiro, no antigo Kiaroa, na Península de Maraú, na Bahia, foi adiado.

Six Senses Bumthang, o quinto lodge da marca no Butão
Six Senses Bumthang, o quinto lodge da marca no Butão | Foto de divulgação

Six Senses Fort Barwara. A Six Senses, parte do IHG, continua em expansão. Fort Barwara fica a três horas de carro de Jaipur, na Índia. Em uma fortaleza do século 14, terá 48 quartos, dois restaurantes e duas piscinas. O hotel incorporou dois templos, e o spa seguirá a filosofia ayurveda. Em 2020, Six Senses conclui o projeto no Butão e abre em Bumthang. Este quinto lodge forma um itinerário em conjunto com os quatro inaugurados em 2019.

(Na torcida para que os roupões do Fort Barwara sigam o padrão de originalidade de outros hotéis indianos de luxo, como você pode ver nas fotos da inspector Mari Campos clicando aqui.)

Interior do restaurante grifado do primeiro O&O na Europa, em Portonovi, Montenegro
O restaurante grifado do primeiro O&O na Europa | Foto de divulgação

One&Only Portonovi. Com abertura prevista para junho, o O&O de Montenegro será o primeiro da marca na Europa. Banhado pelo Adriático, entre o mar e a montanha, o resort fica a 45 minutos de carro de Kotor, Patrimônio Mundial pela Unesco, e a uma hora de Dubrovik, na vizinha Croácia. Terá 113 acomodações, entre suítes e villas; dez residências, spa e restaurante do chef estrelado Giorgio Locatelli. Ainda para junho está marcada a inauguração do O&O Mandarina, na Riviera Nayarit, o segundo resort do grupo no México (um terceiro está a caminho, em Puerto Vallarta). Antes disso, em 23 de março, será aberto o O&O Desaru Coast, na Malásia. Nesta mesma região do Sudeste Asiático, a duas horas de carro do Aeroporto de Singapura, foi inaugurado recentemente um Anantara.

Piscina com vista para o Mar Tirreno no Villa Igiea, em Palermo
Piscina voltada para o Mar Tirreno no Villa Igiea, em Palermo | Foto de divulgação

Villa Igiea, a Rocco Forte Hotel. Rocco Forte em pessoa anunciou em Cannes a reabertura em 1º de junho do Villa Igiea, fora do centro de Palermo. Em um palácio do final do século 19 e com 68 quartos e suítes, a maioria com vista para o mar, será o 14º hotel de Sir Rocco (sétimo na Itália, segundo na Sicília). Hotel desde o início do século 20, Villa Igiea recebeu nobres europeus e celebridades de Hollywood ao longo das décadas, antes de fechar.

Café da manhã com vista para o Caribe no Le Carl Gustaf
Café da manhã com vista para o Caribe no Le Carl Gustaf | Foto de divulgação

Barrière Le Carl Gustaf. O grupo francês Barrière chega a Saint-Barth, no Caribe, e já aceita reservas para a partir de 1º de março. Serão 23 acomodações, todas com vista para o mar, entre quartos, suítes e bangalôs. O hotel boutique terá também uma filial da clássica brasserie Le Fouquet’s, de Paris, que faz parte do mesmo grupo e completa 150 anos em 2020.

Cayo Guillermo Resort Kempinski. A rede alemã baseada em Genebra cresce em Cuba, depois do sucesso do Gran Hotel Manzana La Habana, aberto em 2017. Previsto para abril, o novo resort à beira-mar, em Playa Pilar, terá 245 quartos. Com 76 hotéis em 31 países, Kempinski pretende chegar a uma centena de hotéis em todo o mundo no próximo ano.

Hotel Inspectors está também no Instagram @HotelInspectors, no facebook @HotelInspectorsBlog e no Twitter @InspectorsHotel

ILTM Cannes 2018 apresenta as mais esperadas aberturas hoteleiras para 2019

Na semana passada, aconteceu no sul da França a ILTM Cannes 2018, o maior e mais importante evento de turismo de luxo do mundo. Durante quatro dias bastante intensos da feira, os principais players da indústria de viagens de luxo se reuniram em Cannes para discutir as principais novidades e tendências do mercado e os novos rumos do setor para 2019. Levada pela Air France, fiz parte do seleto grupo de imprensa convidado para acompanhar as discussões.

O turismo de bem-estar foi tema campeão, já que segundo estudo da Global Wellness Summit (ligada à rede de hotéis Six Senses), dos 4,2 trilhões de dólares movimentados anualmente pela indústria do bem-estar, 639 milhões vêm do turismo. O estudo revelou também que os gastos no turismo de bem-estar crescem duas vezes mais rápido que os do turismo em geral e que aproximadamente 25% dos turistas já busca de conforto e bem-estar em suas viagens. 

Hoteleiros, operadores, agentes e jornalistas discutem as novidades e tendências do turismo de luxo. Foto: Mari Campos

 

Nada mais natural, portanto, que a hotelaria queira também uma fatia deste mercado, seja focando na qualidade de sono de seus hóspedes, na alimentação ou até na minimização dos efeitos do jetlag. Redes como Four Seasons levam tão a sério a ideia do sono restaurador durante uma viagem que desenvolveram sua própria versão da “cama ideal”. Há tempos focando em sustentabilidade, bem-estar e menus balanceados, a Six Senses está lançando até um aplicativo gratuito que promete ajudar a combater os efeitos do jet-lag nos viajantes, o TimeShifter.

Mas a ILTM Cannes 2018 foi também terreno fértil para anúncios de aberturas, parcerias e expansões hoteleiras.  A IHG, que já conta com 200 hotéis, confirmou que está em franco processo de expansão: levou a marca Kimpton para 14 países diferentes e quer expandir e consagrar a marca The Regent como “timeless brand”, inaugurando novas propriedades em Phy Quoc, Jakarta, Hong Kong e Kuala Lumpur.

A Accor também abrirá diversas propriedades no ano que vem em diferentes bandeiras, incluindo Raffles Maldives, Fairmont Rio, Fairmont Century Plaza LA, Sofitel Wafi City Dubai e SO/ Havana. Sua marca SO/, aliás, passa a ser completamente independente da marca Sofitel; e a 21c Museum Hotels se junta à coleção MGallery. 

A The Doyle Collection concluiu o programa multimilionário de “redesign” em oito propriedades europeias (iniciado há cinco anos) e passa a focar cada vez mais em restaurantes e bares que sejam destinos por si sós, esperando atrair público externo cada vez maior em hotéis como The Bloomsbury e The Marylebone . 

A Minor Hotels, que já conta com 164 hotéis em 26 países, traz os novos Anantara Quy Nhom Villas no Vietnã, o Anantara Tozeur Resort na Tunísia, o Anantara Maraú Bahia (antigo Kiaroa) e o Tivoli Evora Eco Resort em Portugal, dentre outros. A empresa também está investindo pesado no seu programa Anantara Private Jet e nos cruzeiros fluviais asiáticos Mekong Kingdom Cruises. 

Os pratos caprichados do chef Marco Colagreco darão a tônica também no esperado Capella Bangkok. Foto: Mari Campos

O grupo Capella confirmou que finalmente abrirá no primeiro semestre do ano que vem sua esperada unidade Capella Bangkok, um projeto que já leva dez anos em execução, com apenas 100 quartos, em uma área pouco convencional para a hotelaria na cidade. O novo hotel contará com diferentes restaurantes (incluindo um sob comando do badalado chef Marco Colagreco) e as experiências ali serão totalmente customizadas para os hóspedes.  Os novos Capella Ubud e Capella Sanya, assim como o Capella Maldives (já em desenvolvimento e que deve abrir em dois anos), também foram assunto recorrente na feira. 

Independente, o Caldera House abre suas portas em Jackson Hole com apenas oito suítes de 2 e 4 quartos cada, focando em experiências customizadas no inverno e no verão – e assumidamente de olho no público brasileiro que frequenta o destino. 

A rede de hotéis boutique Evoke comemorou a evolução da marca e o sucesso de seu mais novo hotel em Paris, o belo Brach Paris, no 16ème arrondissement, que conta com design de Philippe Starck e um delicioso e badalado restaurante.

A Rosewood confirmou a abertura de nada menos que 21 hotéis nos próximos cinco anos, o que a levará a quase dobrar seu portfólio (atualmente em 24 propriedades mundo afora).  Durante a ILTM, foi dada a largada também ao sistema de reservas do Rosewood Hong Kong, cuja dada de abertura foi oficialmente estabelecida em 17 de março. E a rede passa também a investir pesado no público feminino, com o lançamento da campanha #RosewoodGirlfriends, que criou experiências e promoções para incentivar o público feminino a se hospedar em pequenos grupos nos hotéis da rede.

A One&Only Hotels and Resorts comemorou na ILTM o sucesso da recente abertura em Ruanda e também confirmou a inauguração em 2019 de sua propriedade em Montenegro – o esperado primeiro One&Only em solo europeu.

Outras esperadas reaberturas, como dos hotéis Le Sereno St Barth e do Cheval Blanc St Barth na ilha francesa homônima (completamente reconstruídos após a passagem do furacão Irma no ano passado) também foram grandiosamente celebradas durante os dias do evento.

O anúncio mais polêmico durante a feira foi sobre a parceria firmada entre a SLH (Small Luxury Hotels) e o programa The World of Hyatt.  A partir de agora, a SLH passa a ter acesso aos quase 10 milhões de membros do programa de fidelidade da Hyatt e as “qualifying nights” em propriedades SLH passam a contar para a evolução de status no programa. Com o slogan “a perfect match”, a curiosa parceria foi lançada com a justificativa de que a SLH complementaria perfeitamente o portfólio da Hyatt hotéis – mas representantes de ambas bandeiras acabaram não respondendo as perguntas dos jornalistas sobre quais as relações comerciais que estariam por trás disso. 

Confira em breve outras novidades apresentadas na ILTM Cannes 2018 por aqui.

 

 

 

Acompanhe também nossas novidades nos perfis Instagram @HotelInspectors , facebook @HotelInspectorsBlog e  Twitter @InspectorsHotel.

Luxo 100% australiano

Cada vez mais, a Austrália se consolida como território fértil na hotelaria de luxo, de Sydney à encantadora Tasmânia. Não bastasse a presença de grandes redes de luxo como Four Seasons e Shangri-la há bastante tempo no país (e a chegada de novas bandeiras, como já contamos aqui), os australianos sabem (e muito bem!) manejar hotéis boutique de verdade, de pequenas propriedades nos arredores de Melbourne a lodges em regiões mais remotas.

Neste cenário estrelado, é preciso destacar a atuação impecável da associação Luxury Lodges of Australia, que reúne indiscutivelmente alguns dos melhores hotéis do país, e com sotaque 100% australiano (o mais famoso internacionalmente é o pomposo Saffire Freycinet na Tasmânia, mas são hoje dezenove hotéis e lodges exclusivíssimos compondo a coleção).

Em diferentes viagens ao longínquo continente, tive a oportunidade de conhecer diferentes hotéis que fazem parte do portfólio e é realmente tarefa difícil encontrar falhas na administração dos mesmos (existem, é claro, mas são mesmo só os olhos mais exigentes que tomam nota delas).  Nesta última viagem ao país, em abril passado, tive o prazer de ser convidada a me hospedar em dois outros hotéis que são parte da estrelada coleção: o inesquecível Emirates One & Only Wolgan Valley, a cerca de 3h de carro de Sydney, e o adorável The Louise, em Barossa Valley, nos arredores de Adelaide. 

Picnic impecável entre cangurus no Wolgan Valley. Foto: Mari Campos

A propriedade no Wolgan Valley é fora de comparação, não apenas pela paisagem arrebatadora que a rodeia como pela excelência em acomodações e serviço – opera em sistema all inclusive e é (ainda) o menor One&Only em funcionamento no mundo.  O casamento das excelências em serviço e acomodações das duas bandeiras – One&Only e Luxury Lodges of Australia – dá  muito samba e resulta, não à toa, numa tremenda propriedade que anualmente leva prêmios como a melhor do país. 

Conto muitos detalhes de minha estadia lá neste texto aqui para o Estadão, mas vale destacar que, além da bela gastronomia (bem acompanhada por diversos vinhos australianos incluídos na diária), das atividades diárias incluídas, dos quartos todos em sistema vila (e enormes! sempre com piscina privativa) e da excelência também na entrega das atividades cobradas à parte, o hotel entrega mais close encounters com a vida selvagem australiana que qualquer outro (incluindo cangurus e wombats todos os dias literalmente ao redor das vilas). Um hotelaço daqueles difíceis de superar – e, extremamente bem administrado, reúne de casais em busca de sossego e romance a famílias com crianças pequenas sem nenhum stress ou ruído. 

O padrão Luxury Lodges of Australia garante instalações de primeira, serviço primoroso e gastronomia caprichada. Vistas caprichadas são também fator importantíssimo – o que dizer, por exemplo, dos apartamentos debruçados sobre a Grande Barreira do adorável Qualia, nas Whitsundays?

Piscina com vista para os vinhedos: yes, please. Foto: Mari Campos

Para quem busca romance e uma bela escapada enoturística, o The Louise é matador: um idílico lodge rodeado pelos vinhedos de Barossa Valley, uma das mais importantes regiões vinícolas do mundo (e lar de mais de uma centena de vinícolas e de restaurantes deliciosos), a apenas uma hora de carro de Adelaide. São apenas 15 luxuosas e enormes suítes, cada qual com seu terraço e total privacidade entre elas. 

O design é contemporâneo mas com detalhes de arte e design que não conflituam nem um pouco com a bucólica paisagem dos vinhedos ao redor. Banheiros enormes (com direito a ducha, banheira e chuveiro externo separados), vinho fortificado e outras amenidades cortesia e café da manhã à la carte servido todos os dias direta e romanticamente na suíte estão incluídos em todas as diárias.  O The Louise é também parte da associação Relais&Chateaux, que chancela também a alta qualidade de seu (pequeno e premiado) restaurante Appellation. 

Minha crítica ao The Louise? As atividades cobradas são extremamente overpriced – como o “café da manhã com cangurus”, que eu experimentei em abril e, na minha opinião, não vale nem um tico dos absurdos 250 dólares cobrados pelo passeio.

Para ficar por dentro destas e de outras histórias de hotelaria, acompanhe a gente também no Instagram @HotelInspectors e no facebook @HotelInspectorsBlog.