Minha Experiência no Bahamas Suíte hotel – Campo Grande/MS

Já conheço o Bahamas Suíte há algum tempo, e sempre foi um hotel que me impressiona pela ousadia da sua proposta de hospedagem.

Mas além da estrutura diferente, ainda podemos apreciar o ‘mais lindo pôr do sol’ de Campo Grande da nossa janela. Vale a pena falar sobre o Bahamas…

São 70 suítes duplex, de 55 à 67 metros quadrados, com um pé direito enorme, e janelas que proporcionam uma vista incrível da cidade. Parece mesmo que você está em uma casa.

E não importa se for sol ou chuva, a vista é sempre incrível desse ‘janelão’:

E quando falamos de acolhimento aos visitantes, os Campo Grandenses arrasam. Uma cidade fundada por mineiros, multi-cultural e cheia de história, cultura e natureza exuberante. Campo Grande nos acolhe como poucos!

Já na terceira vez que visito cidade, sempre hospedada no Bahamas Suíte, já tive fotografei as capivaras, andei pelo Parque das Nações Indígenas, e degustei a gastronomia local e ótimos restaurantes.

E elas passando na faixa de segurança?

Mas voltemos ao Bahamas Suíte…

Preciso falar sobre seu Café da Manhã. A variedade é tão grande que fico na dúvida sobre o que saborear primeiro. São muitas opções de frutas, pães, sucos e bolos. Tirei fotos de uma parte do buffet, mas ainda faltou mais um balcão. Tudo delicioso!

E o ambiente do restaurante também ajuda. Super aconchegante, com cores quentes, tanto na parte de dentro, quando de fora.

Além do check-in rápido (grande vantagem), o lobby com luz natural por todo lado faz toda a diferença.

Aliás, o elevador mantém a luz natural também. Acredito que é um dos hotéis mais iluminados que conheço!

Ah, e todas as suítes possuem banheira super confortável, e amenities da L’occitane, da linha Capim Limão. Adoro!

Quanto se trata da Cidade Morena, mesmo que você esteja só de passagem para Bonito, vale um passeio no parque com amigos tomando um tererê e experimentar a carne de jacaré ou a sopa paraguaia.

E se você curte uma música sertaneja, bem, aí já reserve mais tempo, pois os bares e shows da região são uma exaltação ao estilo.

Valeu Bahamas Suíte Hotel e Campo Grande pela acolhida de sempre. Até a próxima!

===========

Leia também:

Minha Experiência no Hotel Portaló – Morro de São Paulo/BA

Personalização x Privacidade, o Novo Desafio da Indústria de Viagens

Como tornar seu Hotel (realmente) Sustentável



O Cenário da hotelaria em 2019

As previsões são otimistas para os próximos anos no Brasil.

Na última pesquisa interativa realizada durante a HSMAI Strategy Conference, em Nov/18, dos 170 profissionais e executivos da indústria presentes no evento, 46,9% afirmaram que tem expectativa de aumento de faturamento entre 5% à 10%, e 30,6% pretende crescer acima de 10%.

E os estudos econômicos também preveem ‘bons ventos’ para os próximos anos:

  • Produto Interno Bruto (PIB):
    • 2018 – 1,3%
    • 2019 – 2,57%
    • 2020 – 2,5%
    • 2021 – 2,5%
  • Inflação:
    • 2018 – 4,5%
    • 2019 – 4,03%
    • 2020 – 4%
    • 2021 – 3,75%

Fonte: Boletim Focus – Banco Central

E muitas novidades vem por aí. Mas não vou enumerar centenas de ideias para automação e falar (de novo!) sobre o mobile, por sei que você lê sobre isso toda hora. A ideia aqui é analisar 5 tendências por ângulos diferentes. Vamos a elas:

  1. Ancillary Revenue (Receita de extras) invade a hotelaria

Assim como a aviação, o questionamento agora não é quando a hotelaria terá regras mais formais sobre seus extras, mas ‘como’ esse processo deve ser feito. A grande questão é fazer o cliente entender por que as coisas ‘valem o que valem’.

Com a alta competitividade e tanta pressão por redução de tarifas, muitos hotéis pelo mundo mudaram a regra de cancelamento de 24hs para 48hs, inspirados pela mobilização da rede Marriott, por exemplo.

Tempos atrás, a própria Marriott diminuiu a comissão de 10% para 7% para grupos. Mas não ache que é uma questão de cobrar por serviços que hoje você oferece free. Estamos falando de táticas bem pensadas para incentivar o upselling, aumentando as oportunidades de receita.


Afinal, a única área em que os hotéis (ainda) têm vantagem competitiva sobre as OTAs é quando o cliente entra pela porta….e muitos não aproveitam isso. É aí que, quando o hóspede está imerso na experiência do hotel, os hoteleiros têm a chance de fazer um upselling (na experiência, e consequentemente, no preço).

Exemplos de fontes de receitas extras. Fonte: Phocuswright

2. Explosão Tecnológica

Os hotéis estão incorporando rapidamente novas tecnologias em seus negócios. Assistentes digitais no quarto, aplicativos móveis específicos para a propriedade e serviços de concierge chatbots estão cada vez mais presentes, e melhorando as experiências dos hóspedes.

E como o foco permanece no cliente, como deve ser, os investimentos em tecnologias operacionais seguirão mais lentos. Mas vale o lembrete que tecnologias operacionais baseadas na nuvem deixam executivos e profissionais hoteleiros menos tempo amarrados a sua mesa. O trabalho remoto (de algumas funções) será rotina no futuro!

Revinate, Ideas, e Siteminder e o Professor Peter O’Connor (Essec) se uniram para prever o ambiente da hotelaria em 2020. Uma das muitas conclusões foi que alguns sistemas serão vitais para a hotelaria no futuro próximo.

  1. RMS (Revenue Management System)
  2. CRM (Customer Relationship Management)
  3. PMS (Property Management System) ‘conectável’
  4. Channel Manager
  5. Check-in automatizado
  6. Solução de e-Marketing
  7. Cloud PMS (Sistema operacional na nuvem)
  8. Reputation Management System

Entretanto, o estudo ressalta a falta de conectividade entre boa parte desses sistemas, e a falha gestão de dados dos clientes. Também menciona a falta de inovação da nossa indústria, que provém, entre outras coisas, do perfil conservador do setor.

3. Mídias Sociais tomam outra proporção
O Instagram já é o ‘queridinho’ da hotelaria mundial, mas ainda há espaço para criação de ambientes / cenas mais ‘personalizáveis’ ​​em torno da propriedade para incentivar fotos. Leia meu post sobre o assunto: ‘Seu Hotel é Instamagrável?’

E fique atento, pois o próprio Instagram está ‘criando’ destinos, mas também destruindo reputações.

4. Data Management (Gestão de Dados) = Mais $$$

Qualquer Gestor Hoteleiro ou Revenue Manager que trabalhe sem o suporte de uma solução analítica de gerenciamento de dados ficará sobrecarregado com o volume e a complexidade das informações. A análise preditiva voltada para o futuro, incorporada nos avançados sistemas de gerenciamento de receita, ajuda os hoteleiros a descobrirem tendências emergentes e identificar mais oportunidades de receita.

Que o termo ‘Big Data’ esteja cada vez mais presente nos debates hoteleiros.

5. O ‘tal’ Novo Hóspede, e suas ‘tais’ Experiências

Se pensarmos bem, não estamos falando necessariamente de uma nova geração de viajantes, mas sim uma segmentação melhor e mais refinada. Por exemplo, os viajantes Y (Millenials) não são agrupados somente por idade. Eles fazem parte de um grupo de viajantes com ‘ mentalidade Millenial’. Conheço alguns com mais de 60 anos, inclusive. Certeza que você conhece também.

Uma das características desse cliente, por exemplo, é o desejo por uma decoração simples, inclusiva, local e especial, onde ele se destaque. Antes, o simples era caseiro. Hoje, é confortável, humanizado, autêntico!

Aliás, autenticidade é a palavra dos Millenials. Eles querem experimentar o modo de vida local, não serem isolados de uma propriedade genérica 5 estrelas. Isso significa que os hoteleiros devem atrair negócios através da diversificação de suas ofertas. Ou seja, a execução de Marketing é fundamental!

Os consumidores não estão mais procurando comprar apenas produtos ou marcas. Eles estão procurando comprar experiências que possam ser compartilhadas. O convidado do futuro não procurará por um quarto, hotel ou marca de hotel. Em vez disso, eles procurarão propriedades únicas e autênticas, que oferecem experiências sob medida.

Fontes:

Travel Market Report – UNY

HotelTech 2020


Leia também outros posts:

O Futuro da Hotelaria

Os Desafios para a Lucratividade na Hotelaria

Como a Tecnologia transformará a Indústria de Viagens