Outros serviços e meios de pagamento | análise

Nos últimos anos, os associados Abracorp têm buscado a ampliação de seu portfólio de serviços. Além da gestão de viagens, atividade core de uma TMC, o foco tem sido o segmento de eventos ou MICE (Meeting, Incentive, Congress and Events). Trata-se de um setor onde a qualidade da prestação de serviços é melhor percebida pelo cliente.

Em 2016, os eventos internacionais protagonizaram uma consistente melhora na performance, como atestam os indicadores (crescimento superior a 190%). Nos demais serviços, uma natural queda em serviços de cruzeiros e pacotes de lazer.

Nos meios de pagamento, consolidou-se a posição do uso do cartão de crédito no segmento aéreo. Porém, o desafio persiste no terrestre, em especial na hotelaria, onde a taxa do mecanismo faturado continua alta (55,4%), ainda que, ano a ano, o meio de pagamento plástico ou virtual tem apresentado crescimento constante.

O que esperar para 2017?

A segurança é preocupação constante nos meios de pagamento, seja cartão ou faturado, em toda a cadeia de viagens. E nesse quesito, informação é essencial para o combate aos fraudadores. Nesse sentido, a Abracorp, junto com outras entidades e demais players da cadeia, tem realizado encontros e debates, além de constante atuação para informar associados e colaboradores.

Porém, ainda assim, o cartão de crédito é o meio mais seguro e transparente. Por isso a Abracorp canaliza todos os seus esforços para esse modelo.

Mercado de locação e transfers | análise

Locação de veículos é um segmento que tende a crescer nos próximos anos. As facilidades dos aplicativos móveis de geolocalização são um fator de estímulo à locação de veículos.

Seguindo a realidade das cias aéreas, que vivenciaram um crescimento de usuários, anos atrás, a locação também está experimentando a entrada de novos clientes. Nesse sentido, as locadoras também estão desenvolvendo ferramentas que simplificam a locação. Isso, para o segmento corporativo, soa como música.

A Abracorp, desde meados de 2016, formou um grupo de trabalho visando a otimização de processos para locação de veículos. O trabalho será concluído nas próximas semanas e, ainda no primeiro trimestre de 2017, o processo de locação terá uma padronização, algo necessário no setor, a exemplo do aéreo. Um trabalho semelhante foi feito para o setor de transfers e já está em prática.

O que esperar para 2017?

Em virtude desse crescimento de demanda e da simplificação de processos, espera-se um natural crescimento da demanda por serviços de locação. A economia compartilhada também pode ser um aliado nesse crescimento setorial.