Qual cidade ganhou ou perdeu na oferta de voos internacionais?

Fortaleza é a cidade brasileira que mais cresceu em número de voos e assentos em voos internacionais no mês de março de 2019. A cidade que mais perdeu assentos foi João Pessoa. Desde minha época de EMBRATUR adoro avaliar a oferta de voos internacionais para o Brasil, estou feliz que esse trabalho continue a ser feito até hoje pelo Joaquim Neto da EMBRATUR. Parabéns! Hoje foi divulgada pela autarquia a variação da oferta de voos e assentos do mês de março de 2019 em relação a março de 2018. E alguns números nos chamam a atenção.

Fortaleza aparece disparada com a maior variação positiva de voos internacionais, cresceu 79,65% sua oferta e 69,1% sua oferta de assentos. Um número muito alto que mostra uma estratégia acertada do Ceará sob a liderança do Secretário Arialdo Pinho de fazer um novo portão de entrada no Brasil para distribuir passageiros por todo o território. A chegada do hub AL/KLM e da GOL ajudou nessa ampliação, assim como a vinda de muitos outros voos internacionais de diversas empresas. As cidades que mais aumentaram sua oferta de assentos também foram: Cabo Frio (31,115%); Brasília (24,99%) e Florianópolis (21,33%). Muitas cidades tiveram ganhos menores de assentos no período. O acumulado de janeiro a março desse ano está quase estável (+0,48%) em relação ao mesmo período de 2018, somando 3.739.279 assentos de e para o Brasil.

As cidades que mais perderam assentos internacionais em março de 2019 comparando com 2018 foram: João Pessoa (-63,8%); Porto Seguro (-50,5%) e Recife (-38,2%). Logo depois vem Navegantes com -37,94%; e Belo Horizonte caiu 31,56%. É claro que algumas cidades se destacam tanto no aumento e outras na retração, sobretudo aquelas que já tinham pouco voos como é o caso de João Pessoa e perdem pouco, mas muito na proporção.

Por que estou sempre de olho nessa oferta? Porque ela é um retrato do avanço ou recuo de um destino, região e do país nos resultados das chegadas e receitas internacionais por via aérea. Sempre olho a oferta de assentos, pois eles podem aumentar ou diminuir sem alteração da oferta de voos. Bem, esses dados nos levam ao recorrente tema de promoção internacional do Brasil, que pelos impactos gerados pelo turismo na economia merece mais atenção, mais investimentos, continuidade de relacionamento no mercado internacional. O que exploramos mais em detalhes nesse post aqui: Turismo cresce o dobro da economia.

Oportunidade de promoção na Argentina

O governo argentino publicou um decreto que oficializa os feriados dos próximos três anos. O objetivo é estimular os argentinos a viajar dentro de seu próprio país, prolongar finais de semana, combater a sazonalidade e fazer com que a atividade turística possa ser beneficiada. Os feriados que cairem em terças e quintas serão substituídos por segundas e sextas.

Uma olhada especial no calendário dos principais países emissores de visitantes para o Brasil pode ser tornar uma ótima oportunidade de planejar promoções e pacotes especiais para estrangeiros que desejam visitar o Brasil. Saber antecipadamente as datas pode colaborar para um calendário promocional e ao mesmo tempo a oferta de produtos diferenciados ou mesmo a busca de novos públicos.

No caso da Argentina, maior emissor de visitantes para o Brasil, os principais destinos procurados a lazer ano passado foram Florianópolis, Rio, Foz, Búzios e Bombinhas. Seguem algumas informações sobre o perfil do argentino que visita ao Brasil:

– 79% quer sol e praia

– a motivação “natureza, ecoturismo e aventura” cresceu de 7,7% para 16% entre 2006 e 2012

– a maioria viaja com a família ou são casais sem filhos

– a idade média com maior número de visitantes está entre 32 e 50 anos

– embora a grande maioria já conheça o Brasil, em 2012 20% dos argentinos que nos visitaram o fizeram pela primeira vez

– quer se comunicar com eles? A internet e os amigos e parentes são a referência para a grande maioria

– 98% dos argentinos que viajaram ao Brasil disseram que querem voltar

E aí ? Às vezes não precisa ir muito longe para buscar novos clientes e oferecer novos produtos

(Fontes: Ministério do Turismo, Hosteltur, Governo da Argentina)