Em Denver, todos os caminhos levam a cerveja

Bar da Great Divide apresenta a variada oferta de rótulos próprios

Ir a Denver e não se debruçar sobre balcões de bar para mergulhar na riquíssima cena cervejeira local é um grande desperdício. Na capital do Colorado e em cidades adjacentes, mais de uma centena de microprodutores usam criatividade, conhecimento e paixão pela bebida para criar todo o tipo de cerveja, que pode variar de acordo com as estações do ano, com o estilo da cervejaria ou mesmo com o gosto do mestre cervejeiro responsável pela produção.

A cultura cervejeira em Denver é tão forte que a indústria virou produto turístico e a cidade faz campanha com suas Beer Trails (Rotas da Cerveja). O Visit Denver, bureau de promoção do Turismo local, criou quatro rotas em regiões centrais da cidade para destacar bares que não podem ficar de fora da sua via sacra. Ao todo, o CVB lista 35 cervejarias que possuem, além da fábrica, instalações de bar que merecem uma visita (no mapa abaixo).

Eu experimentei um desses roteiros e pude ver o quão inteligente é a proposta, que apresenta ao turista novos bairros de Denver, introduz passagens históricas do desenvolvimento da cidade e ainda por cima hidrata gargantas com o que há de melhor da cervejaria artesanal local.

A microcervejaria artesanal é hoje tendência no mundo todo, inclusive no Brasil. Antes que acrescentem que seja algo passageiro, Denver mostra que, pelo menos pelo Colorado, essa moda tem vida longa. A onda de produções caseiras, mais como hobby do que como profissão, surgiu em meados dos anos 90 – muitas das casas, aliás, cresceram e possuem estabelecimentos como os encontrados no mapa acima.

Um estudo apontou que, em 2016, o impacto econômico da indústria foi superior a US$ 15 bilhões no estado do Colorado, empregando cerca de 26 mil pessoas. É verdade que esse dado tem um combustível e tanto: parte das instalações da terceira maior produtora de cerveja do mundo, o grupo Molson Coors.

A demanda por especialistas em cerveja cresceu tanto nesses anos que a Metropolitan State University of Denver viu ali a oportunidade de se ver presente no nicho. A escola de Hospitalidade, Turismo e Eventos da MSU existe há 17 anos e hoje possui diversos programas relacionados à produção de cerveja.

Tivoli, laboratório dos novos cervejeiros da MSU (Visit Denver)

As graduações, em cursos de quatro anos, abordam a operação de uma cervejaria – desde os aspectos biológicos da fermentação até os tipos de cerveja existentes -, e a gestão de bares e brewpubs – com aulas de economia e hospitalidade. Um dos “laboratórios” da universidade nada mais é que uma das cervejarias mais tradicionais de Denver, a Tivoli Brewing Company.

Mais antiga produtora de cerveja do estado, a Tivoli nasceu em 1859, fez fama no início do século 20 comercializando cervejas para os mineiros da região e agora quer retomar sua história pioneira. Atualmente sua carta possui incríveis 150 opções de cerveja, com algumas receitas, como a lager Tivoli Helles, mais antigas que o próprio Colorado, que foi criado apenas em 1876.

Ninguém é de ferro

Como é de se imaginar, a Tivoli está presente em uma das sugeridas Beer Trails – por acaso, a que eu fiz. O brewpub da Tivoli é a união de passado com futuro, juntando as históricas instalações da antiga fábrica ao maquinário de última geração manuseado pelos estudantes que um dia comandarão a indústria cervejeira local (ou, quem sabe, mundial).

Experimentando as cervejas de lá percebe-se que eles sabem o que estão fazendo. A enormidade de opções e a variedade de estilos oferecidos no cardápio fizeram da Tivoli a minha preferida na visita.

Essa escolha não foi fácil de fazer, já que também visitei outras duas incríveis produtoras: a Wynkoop Brewing Company, que está localizada bem no coração de Denver, em frente à Union Station, e a Great Divide Brewing Co., que abusa da criatividade em seus rótulos, com criações excelentes que envolvem até mesmo uísque na receita.

Ou seja, se estiver em Denver e com vontade de tomar uma cerveja, não se preocupe. Opções não faltam, independentemente de seu paladar, do bairro em que está ou do ambiente que procura.

Não deixe de dar uma olhada nos últimos posts e acompanhe a jornada do Viajante 3.0 pela blogosfera da PANROTAS e também pela conta no Instagram.

Related Post

Published by

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *