Viagens vão se recuperar e a experiência será ainda melhor.

“Viajar é fatal para o preconceito, a intolerância e a estreiteza de espírito”.

Mark Twain foi citado recentemente por uma das tantas reportagens que The Economist tem feito sobre viagens.

Viajar era difícil, demorado, caro. Em 1950, apenas 25 milhões de pessoas viajaram para o exterior (OMT).

Ao longo do tempo, a internet tornou tarifas mais acessíveis, e as viagens mais fáceis de organizar. Companhias aéreas, hotéis, locadoras de automóveis e outras empresas estão online, assim como muitos intermediários. Em geral, os custos de atrito com viagens caíram drasticamente.

A facilidade de viajar não expandiu apenas o turismo. À medida que as empresas se espalharam pelo mundo, seus trabalhadores também se espalharam. Como diz uma das previsões 2025 do site Skift, todos os trabalhadores serão viajantes corporativos. Confira o vídeo do nosso canal do Youtube Depois das 6, onde analisamos algumas dessas tendências.

Essa capacidade de fugir permitiu que as pessoas se espalhem pelo mundo para trabalhar, aprender ou apenas mudar de cenário.

Já em 2019, foram 1,5 bilhão de viagens. O futuro era brilhante, mas 2020 chegou…

A queda de 72% nas viagens nos primeiros dez meses de 2020 em relação ao ano anterior levou as viagens internacionais de volta para 1990. E a expectativa é que elas provavelmente não recuperem aos níveis pré cobiçados até 2023.

O turismo é uma indústria resiliente. Mas enfrenta uma desaceleração como nenhuma outra. E de acordo com o WTCC, cerca de 80% das empresas turísticas em todo o mundo, de hotéis a restaurantes e guias turísticos, são pequenas empresas.

A longo prazo, a ligação entre o aumento da riqueza e o desejo de viajar permanecerá intacta. Com todos os altos custos de curto prazo, a pandemia pode acelerar tendências que tornarão as viagens mais fáceis e menos prejudiciais. A indústria de viagens de hoje pode ter sofrido bastante, mas a nova que surge poderia ser melhor do que nunca.

Uma economia turística dinâmica depende da disponibilidade de uma variedade de serviços, desde hospedagem e bons serviços até atrações, atividades e eventos. O rápido crescimento das economias turísticas nos últimos anos sugere que elas podem ser reconstruídas rapidamente. Mas para todos os governos que redesenham suas estratégias de turismo para conter multidões e proteger o meio ambiente, outros podem competir correndo para o fundo do poço, usando grandes descontos para encher hotéis e aviões. O número de turistas vai se recuperar e continuar a crescer de qualquer maneira. Maiores esforços para gerenciá-los com cuidado devem proporcionar uma experiência melhor para todos.

Em resumo, as pessoas querem se socializar novamente. O turismo para entretenimento retorna plenamente fortalecido, começando no segundo semestre de 2021, sempre acompanhado de muita tecnologia, desde a compra, operação e experiências. E alguns itens serão reforçados:

  • Flexibilidade para todo o processo de compra, pagamento e cancelamento. Fonte: The Economist
  • Fortalecimento dos consultores de viagens. Fonte: Phocuswright
  • Viajantes planejam roteiros no exterior para depois de Julho, mas organizarão/comprarão agora. 47% deles planejam viajar no 2º semestre, e 11% já comprou suas passagens. Fonte: TripAdvisor
  • Planejamento da viagem será ainda mais prazerosa. 74% passarão mais tempo escolhendo seus destinos e 63%, sua acomodação. Fonte: TripAdvisor
  • Restaurantes como objeto de desejo. 47% querem voltar a jantar fora com mais frequência e experimentar restaurantes em 2021. Fonte: TripAdvisor.

Os viajantes apreciam mais do que nunca visitar o natural, mas com soluções altamente tecnológicas. Locais mais remotos, experiências mais autênticas suportadas com assistência digital 24 horas por dia, 7 dias por semana. A interação é a base do entretenimento do futuro. Faça parte, experimente algo autêntico e descubra informações de forma dinâmica.

Assim como a maneira como viajamos pode melhorar como resultado, a chance de os países repensarem as indústrias do turismo pode transformar uma indústria danificada e maltratada em uma melhor.

Sigamos em frente….

======

Leia também:

A Recuperação é Inevitável – Oxford Economics

Um Novo Revenue Manager ressurgirá pós Covid

O conceito ‘Back to Life’ ganha força nas Viagens

Published by

Gabriela Otto

Gabriela é formada em Comunicação Social pela PUC/RS, Pós em Marketing pela ESPM, MBA Executivo pela FAAP/SP, Leader Coach (Personal e Professional) pela Sociedade Bras. de Coaching, além de inúmeros cursos de qualificação profissional, incluindo 2 certificações internacionais como Leadership Development Trainer e Business Impact Leadership Facilitator.

One thought on “Viagens vão se recuperar e a experiência será ainda melhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *