Paris insólita

Eu raramente falo de turismo insólito, porque embora muita coisa extraordinária aconteça por aqui, antes de partir a descoberta de Paris insólita, há tantas outras a serem descobertas. Paris histórica, Paris arquitetônica, Paris moda & beleza, Paris romântica, Paris de Eiffel e Jules Verne, Paris capital da modernidade,da boemia, do impressionismo, do dadaísmo, da Belle Époque, Paris dos pracinhas, Josephine Baker e do Jazz, Paris religiosa da medalha milagrosa, enfim, estes são apenas alguns dos ângulos a partir dos quais podemos descobrir Paris.

Sendo da área do turismo, costumo dar destaque em meus textos a atividades turísticas e clássicas por que são o “B-A-BA”  de Paris. Os próprios parisienses adoram sua cidade porque valorizam todos os aspectos acima mencionados. Como ficar indiferente a tantos monumentos que marcam cada momento histórico vivido pela cidade expostos com tanta altivez e beleza? São 1816 imóveis classificados pelo Patrimônio Francês espalhados por 105 km2. O quadro abaixo, proveniente do Wikipédia, nos permite ver os prédios classificados como Patrimônio Francês através dos 20 distritos de Paris.

Edifícios Edificios Distrito Edifícios Distrito. Edifícios
1er 245 6e 188 11e 44 16e 65
2e 113 7e 139 12e 35 17e 22
3e 141 8e 110 13e 23 18e 29
4e 252 9e 124 14e 51 19e 24
5e 107 10e 55 15e 26 20e 17

 

Porém é bem verdade que Paris é muito mais do que uma série de pontos turísticos mundialmente famosos. Quem caminha por suas ruas se apaixona por um “não sei o que”, que mesmo tendo visto todos os monumentos inúmeras vezes, podendo, volta.

Este  “não sei o que”  que nos trás milhares de turistas de volta a Paris está no ar, nesta vida de parisiense, eclética, divertida e animada. Aqueles que se deliciam caminhando à beira do Sena, entre as mesas dos cafés nas calçadas, podem sentir, ver nos anúncios do metro, no rosto dos transeuntes: em Paris há sempre algo extraordinário acontecendo em algum lugar. Há tanta coisa que até para quem vive em Paris fica difícil acompanhar uma agenda tão intensa.

Eu, por exemplo, ainda tenho esperança de poder seguir os cursos de Yoga da Peggy e Jeff.  Durante cada temporada cursos de yoga em lugares diferentes e excepcionais. Estes jovens mestres de yoga são o máximo da inovação. Peggy e Jeff convidam através de seu site para aulas de yoga nos lugares mais inusitados da capital: o teto da loja BHV, o Jardim de Tuileries, as margens do Sena ou no Parc de la Villette. Dê uma olhada nas imagens se desejar: Yoga on Top -sessões de Yoga de Peggy e Jeff

Ainda falando de insólito, Março é o mês da 17° Edição da Primavera dos Poetas com o tema A Insurreição Poética.

Trata-se do evento mais democrático que já vi. Você pode se inscrever em quaisquer das atividades propostas no site ou ainda criar a sua ação poética e convidar outras pessoas. Atividades e ações poéticas em diversas bibliotecas, espaços públicos e comunitários. Além disso o site publica uma lista de sugestões para participações alternativas como troca de livros entre colegas de trabalho, entrega de poesias, chamada de performances poéticas sob encomenda e mais uma série de possibilidades.

Para a lista de atividades em Paris

17° Primavera dos Poetas -eventos

Desejando-lhe, caro leitor(a) uma ótima semana, deixo aqui também minha colaboração a Insurreição Poética

Embriagai-vos

Embriagai-vos

É necessário estar sempre bêbado.

Tudo reduz a isso, eis o único problema. Para não sentirdes o fardo horrível do tempo,

que vos abate e vos faz pender para a terra, é preciso que vos embriagueis sem tréguas.

Mas de quê? De vinho, de poesia ou de virtude, como achardes melhor.

Contanto que vos embriagueis.

E, se algumas vezes, sobre os degraus de um palácio, sobre a verde relva de um fosso, ou na desolada solidão do vosso quarto, despertardes com a embriaguez já atenuada ou desaparecida,

perguntai ao vento, à vaga e a estrela

e o pássaro e o relógio hão de vos responder: – É hora de embriagar-vos!

 Para não serdes os martirizados escravos do tempo, embriagai-vos; embriagai-vos, sem cessar!

De vinho, de poesia, ou de virtude, como achardes melhor.

Charles Baudelaire 1821 -1867

 

Published by

Silvia Helena

Após breves passagens pela Faculdade Metodista de São Bernardo e Belas Artes de São Paulo, aos 18 anos fui estudar no Canadá, onde vivi durante 23 anos. Lá me formei em História da Arte pela Universidade de Montréal, estudei turismo no Collège Lasalle de Montréal e no Institut de Tourisme et Hôtellerie du Québec. Comecei minha carreira na área trabalhando em Cuba. Durante os anos vividos no Canadá, entre outras coisas, fui guia de circuitos pela costa leste e abri minha primeira agência de receptivo para brasileiros. Há dez anos um vento forte bateu nas velas da minha vida me conduzindo até França. Atualmente escrevo de Paris, onde vivo e trabalho dirigindo a empresa de receptivo, a Holatour.

2 thoughts on “Paris insólita

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *