Maturidade Digital

Há tempos temos falado sobre transformações. Muitas transformações de comportamento, relacionamento e até de pessoas, mas, principalmente, as digitais. O mundo mudou, o turismo mudou, as pessoas mudaram e a maneira de vender turismo tem se transformado para atender esse nono cenário. Não temos a menor dúvida de que caminhamos a passos largos para uma maturidade digital entre as operadoras de Turismo.

Diante da transformação digital vivenciada em todos os segmentos e acelerada pela pandemia, nós, da BRAZTOA, identificamos a necessidade de iniciar uma análise de indicadores voltados para a maturidade digital dos nossos associados, com o intuito de entender o panorama atual e desenhar sua atuação neste processo de mutação.

Dados são importantíssimos para que possamos nos olhar de fora e saber exatamente onde queremos e precisamos melhorar. Dados são essenciais para pautar decisões mediante fatos, sem achismos.

Isso, inclusive, tem acontecido com a BRAZTOA que, pela primeira vez, lançou um olhar científico para esse tema e o trouxe para o seu principal produto: a histórica edição de 10 anos Anuário Braztoa.

Nesta primeira análise, foi identificado que as operadoras possuem alto grau de maturidade digital, superando a média em todos os indicadores analisados: e-mail, website, digitalização da empresa, apoio ao cliente, redes sociais, CRM e estratégia de marketing digital.

O e-mail e o website estão entre os quesitos que obtiveram o melhor desempenho, alcançando quase o grau máximo de maturidade e demonstrando que quase todos os pesquisados possuem comunicação efetiva por e-mail corporativo e por newsletter periódica com os clientes, além de um site bem elaborado. 

O Anuário também mostra que outros pontos precisam ser mais trabalhados e difundidos entre as empresas: a presença nas redes sociais e as vendas online. Este panorama está relacionado com o modelo de negócios das operadoras que, em sua maioria, não trabalha diretamente para o cliente final, mas sim como fornecedoras para outras agências e freelancers.

Já disse e reforço: saber onde estão os gargalos nos traz foco para o que precisa ser ajustado, pois o mais importante já temos: o alto nível de conhecimento sobre viagens e sobre milhares destinos do Brasil e do mundo.

Tendo em vista o contexto atual e a necessidade de modernização e atualização das empresas, os associados BRAZTOA, individualmente, já iniciaram este processo, estão em grau satisfatório de maturidade digital, mas sempre cientes de sempre há algo a melhorar.

Mas não se esqueçam que os clientes não são máquinas, são humanos e estão “assustados” com as mudanças drásticas dos últimos tempos. Estão ansiosos para viajar, mas precisam se sentir seguros para isso.  Aproveitem esse momento e melhorem seus processos. Automatizem, mas, também, humanizem.

Os dados estão aí e eu os convido: mãos à obra!

Published by

Roberto Haro Nedelciu

Roberto Haro Nedelciu trabalhou por 26 anos em uma empresa automotiva multinacional, no departamento de Tecnologia da Informação e já viajou para 80 países. Engenheiro Industrial Mecânico, com MBA em Gestão Empresarial na Fundação Getúlio Vargas, além de sócio da Raidho Viagens, foi também diretor de Tecnologia e vice-presidente da BRAZTOA, entre 2015 e 2019, até assumir a presidência do Conselho de Administração da entidade para o biênio 201/2021. Com espírito aventureiro, tem como hobby o motociclismo e o montanhismo, já subiu até o Campo Base do Everest (Nepal), Kilimanjaro (Tanzânia), Chimborazo (Equador) e o Monte Kota KinaBalu (Malásia).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *