Quarto com piscina no Six Senses Shaharut, em Israel

Como será a hotelaria de luxo na era covid-19

Junho chegou, e a reabertura de hotéis de luxo na Europa e nos Estados Unidos se torna mais frequente. Já dá para visualizar algumas mudanças neste setor. Ou não. Na realidade, por razões diversas, a hotelaria de luxo na era covid-19 não será muito diferente. Claro que protocolos de limpeza foram modificados, e todas as redes já criaram os seus. Esta semana a associação de hotéis de luxo independentes Leading Hotels of the World anunciou o programa Health Stays. O Baccarat Hotel, em Nova York, foi além e criou o cargo de Diretor de Saúde e Segurança Ambiental. Grandes grupos e pequenas propriedades terão que fazer ajustes em função da segurança sanitária para funcionários e hóspedes. Mas o maior impacto para a hotelaria de luxo, principalmente no Brasil e para os hoteleiros independentes, será mesmo o econômico.

Hotelaria de luxo na era covid-19: fachada do hotel Belmond Copacabana Palace, no Rio de Janeiro
Copacabana Palace, Rio de Janeiro: reabertura em agosto | Foto de Carla Lencastre

No início de junho, a pesquisa “Recuperação da hotelaria urbana no Brasil”, realizada pela HotelInvest em parceria com Omnibees, STR e FOHB, e lançada pela Panrotas, indicou que o setor será o último segmento da hotelaria a sair da crise. Somente lá para 2023, em um cenário otimista. O levantamento, que não considerou resorts, faz a ressalva de que hotéis de luxo voltados para o lazer no Rio de Janeiro e em capitais do Nordeste podem ter recuperação menos lenta. O Rio começou a promover o relaxamento do isolamento, e teoricamente os hotéis podem funcionar. Mas a situação na cidade continua crítica e ícones da hotelaria, como o Belmond Copacabana Palace, seguem fechados. Os poucos hotéis abertos recebem profissionais da área de saúde e pessoas que necessitam de um local para se isolar.

Hotelaria de luxo na era covid-19: piscina com vista para o mar no Memmo Baleeira, hotel no Algarve, em Portugal
Memmo Baleeira, Algarve: reabertura em junho | Foto @MemmoBaleeira

Na Europa, neste momento a prioridade da hotelaria de luxo na era covid-19 é salvar as férias de verão com o turismo interno, até porque a maioria dos países ainda está com restrições nas fronteiras. Para citar apenas um, que lidou bem com a crise, em Portugal as primeiras notícias de reabertura de hotéis independentes de luxo ou lifestyle, todos com a certificação nacional Clean&Safe, são no litoral, como o Sublime Comporta, a pouco mais de uma hora de Lisboa. O Memmo Hotels, com duas propriedades na capital e uma no Algarve, reabre primeiro o Baleeira, no litoral, em 6 junho. Também no Algarve será reaberto no dia 19 o Vila Vita Parc.

Leia mais: É seguro usar a piscina do hotel durante a pandemia de covid-19?

Outras novidades sobre as reaberturas no nosso Instagram @HotelInspectors

Hotelaria de luxo na era covid-19: piscina em um dos quartos do novo Six Senses Shaharut, no Deserto de Negev, em Israel
Six Senses Shaharut, no Deserto de Negev: inauguração em setembro | Foto de divulgação/Assaf Pinchuk

Enquanto os independentes se preocupam com o verão no Hemisfério Norte, redes seguem expandindo as marcas da hotelaria de luxo na era covid-19. Depois do Regent Shanghai Pudong, ex-Four Seasons que trocou de bandeira em plena pandemia, o grupo britânico IHG confirmou para este ano a inauguração do Regent Phu Quoc, no Vietnã. E anunciou um InterContinental em Roma em 2022. Também parte do IHG, Six Senses chega em dezembro a Israel (Shaharut, no Deserto de Negev, foto de uma das suítes no topo do texto) e anunciou, no início da pandemia, um hotel em Roma para 2021, entre outros já previstos.

O que pode mudar na hotelaria de luxo na era covid-19, além dos protocolos de limpeza

A seguir, listamos algumas novidades que já estão sendo postas em prática.

Serviço. Item de luxo essencial que terá que ser ajustado sem perder a graça. Principalmente em hotéis butique nos quais serviço caloroso é característica importante. Check-in virtual não é comum neste segmento, mas muitas vezes a operação já era realizada em uma área exclusiva para garantir privacidade e distanciamento social. No Rosewood Little Dix Bay, nas Ilhas Virgens Britânicas, hóspedes que chegarem de barco farão check-in na embarcação.

Há serviços que hotéis de alto padrão continuarão oferecendo, entre eles levar a mala até o quarto e o de abertura de cama. O hóspede decide se quer ou não, como já acontecia antes. A apresentação do quarto pode ser substituída por um telefonema. Hotéis de rede podem investir em tours virtuais para mostrar as amenidades dos quartos, apps para contato em tempo real e até robôs para atender a alguns pedidos de room service.

Leia mais: Cinco inovações que vão mudar a hotelaria

Alimentos & bebidas. A maioria dos hotéis de luxo já oferecia serviço à la carte, mesmo quando havia também um bufê. Este será outro ajuste relativamente simples. Assim como o dos minibares, que podem ser abastecidos sob demanda, quando e se o hóspede quiser, como anunciou o novo 1 Hotel West Hollywood, em Los Angeles. Já no hotel boutique Esencia, na Riviera Maya, uma novidade para a reabertura em 10 de junho é o menu digital do restaurante. O hóspede pode fazer o pedido pelo próprio celular.

O Esencia faz parte do Forbes Travel Guide. O guia fez uma extensa lista de hotéis de luxo que estão abertos ou vão reabrir nos próximos meses. Há dois representantes brasileiros. O Palácio Tangará, hotel da Oetker Collection em São Paulo, tem reabertura marcada para 1º de julho; no Belmond Hotel das Cataratas, a reabertura está prevista para 20 de agosto. O Belmond Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, também deve reabrir em agosto.

Design. Em hotéis de luxo, espaço e distanciamento social sempre foram importantes. A maioria das propriedades não terá que fazer grandes mudanças no desenho das áreas comuns. Mas marcar hora para usar a academia de ginástica ou ir ao restaurante passa a ser recomendável ou mesmo obrigatório. A decoração de quartos e suítes está sendo repensada aqui e ali, com objetos menos fáceis de serem limpos deixados de lado. O menu de tratamentos do spa, por exemplo, pode ser acessado por QR code. É mais uma novidade no Hotel Esencia, em Tulum.

Leia mais: O que vai mudar na limpeza dos hotéis com o novo coranavírus

Há um ponto de convergência entre os mais luxuosos e os mais econômicos: serão poucos os ajustes nos desenhos de quartos e áreas comuns. Nos hotéis de luxo, não falta espaço; nos econômicos modernos, como os operados sob a bandeira da Wyndham, menos é mais. Estas propriedades privilegiam, nos últimos anos, um design minimalista e funcional. O que facilita muito alcançar a limpeza almejada na hotelaria na era covid-19.  

Clique aqui para ler nossos textos sobre o impacto da covid-19 na hotelaria

Hotel Inspectors está também no Instagram @HotelInspectors, no facebook @HotelInspectorsBlog e no Twitter @InspectorsHotel

Como hotéis estão driblando a crise durante a pandemia

Já sabemos que o turismo é uma das indústrias mais atingidas nacional e globalmente pela pandemia do novo coronavírus. Também já sabemos que a reabertura completa dos hotéis hoje fechados virá cheia de modificações e novos investimentos para atender às novas exigências de saúde, limpeza e segurança que os novos textos exigem (dá para ver aqui como está sendo este processo de reabertura hoteleira nos destinos que já estão reabrindo para o turismo). Mas há hotéis driblando a crise mesmo em plena pandemia.

Afinal, nem só de espera ou investimentos em novos protocolos de limpeza vive a hotelaria de hoje, felizmente. A habilidade da indústria hoteleira em rapidamente se adaptar às necessidades e mudanças do mercado é notória, e não seria diferente neste momento. Algumas redes e propriedades estão investindo também em outras áreas, da alimentação à moda, para ampliar seu escopo de atuação – e estão driblando a crise do setor não somente agora, como também investindo em novas possibilidades para o futuro. 

Foco na gastronomia

Nos últimos anos, o food tourism virou um componente chave na agenda dos viajantes. E diversas marcas do mercado de hospitalidade têm acompanhado com esmero e sucesso as inovações da cena culinária global, seja ao focar em oferecer sabores verdadeiramente regionais em seus restaurantes ou em fazer parcerias acertadas (ou colaborações) com chefs premiados. O grupo Hilton Hotels, por exemplo, é uma das redes de hotéis que estão driblando a crise gerada pela pandemia com a gastronomia: tem quatro chefs estrelados no Michelin respondendo por alguns restaurantes do grupo, de Michael Mina a Gordon Ramsay. 

Algumas propriedades vão além, construindo relacionamentos verdadeiros com artesãos locais, pequenos agricultores do entorno, produtores de vinhos, destilados e azeites etc, dando ainda mais autenticidade e sabor local ao que oferecem em seus menus. 

Nestes tempos em que muitos dos hotéis reabertos – como já vimos neste texto aqui – estão trabalhando apenas com room service, nada mais importante que oferecer uma comida variada e verdadeiramente autêntica, que eleve a experiência do hóspede como um todo. Alguns hotéis ainda fechados devido à pandemia estão inovando na pandemia ao manter abertos seus restaurantes, agora operando para delivery e take away – como forma de manter a conexão com moradores e fornecedores locais justamente através da comida – e oportunidade de continuar gerando receita mesmo com o grosso das operações suspenso. E a máxima obviamente segue atual quando restaurantes estiverem livres para operar regularmente nos destinos nos quais estão inseridos – como já começa a acontecer em alguns países asiáticos e europeus -, servindo o melhor da produção local de maneira criativa, caprichada esteticamente e verdadeiramente engajada com a comunidade local. 

Acompanhe mais novidades também no nosso Instagram @HotelInspectors

Novos ambientes de trabalho

Numa situação sem precedentes como a pandemia da Covid-19, muitas propriedades e redes hoteleiras entenderam que a ideia de diversificar para multiplicar resultados é também saída para tempos de crise. A rede Accor, por exemplo, também está driblando a crise durante a pandemia através da diversificação: decidiu fazer uso dos quartos ociosos em seus hotéis com foco no mercado de trabalho – e o pioneirismo da execução veio justamente das propriedades brasileiras. 

O conceito de room office da Accor faz uso dos quartos ociosos para gerar nova opção de espaços de trabalho para quem está tendo dificuldades para se adaptar aos novos tempos de home office, exigido pela quarentena.  Num momento em que a maioria dos escritórios e espaços de co-working estão fechados devido à quarentena, a iniciativa começa com alguns resultados positivos. 

Desde o último dia 15 de maio já é possível alugar um room-office em qualquer um dos 23 hotéis abertos das marcas econômicas, midscale e premium da Accor na cidade de São Paulo. O modelo escolhido promete oferecer um local de trabalho adequado, privativo, confortável, silencioso e seguro, seguindo todas as normas sanitárias em vigor em tempos de pandemia, segundo a Accor. As camas foram retiradas e substituídas por mesas, cadeiras e sofá com design bem contemporâneo.

É possível checar qual a opção disponível mais próxima da sua residência, com quarto remodelados e equipados com mesas, cadeiras, internet de alta velocidade, amenidades como café, chá e água e possibilidade de room service. Algumas propriedades específicas oferecerão também a possibilidade de alugar equipamentos para reuniões online e até alguns equipamentos esportivos. 

Crédito: Divulgação

A ideia principal foi permitir que os espaços físicos ociosos dos hotéis fossem utilizados para gerar algum tipo de receita. A criação do room office supre uma necessidade antes não imaginada por inúmeras pessoas que não estão conseguindo se adaptar ao home office em suas próprias casas. Não se sabe hoje se o modelo tradicional dos co-working com muitos participantes sobreviverá à Covid-19; por isso mesmo, o modelo proposto pela Accor é estrategicamente pensado para durar a longo prazo também. 

As reservas são diárias (período das 8 às 20h, por valores desde R$99, com check in, check out e pagamentos todos feitos virtualmente), mas há descontos para reservas semanais e mensais e membros do programa de fidelidade ALL seguem acumulando pontos e aproveitando os benefícios de seu status. Leia mais sobre a iniciativa aqui.

Em um tempo de home office com tantas restrições, e seguindo uma tendência em que várias redes hoteleiras já andavam transformando seus espaços públicos cada vez mais em espaços para socialização e co-working, a iniciativa tem mesmo tudo para dar certo. Em princípio, a iniciativa foi planejada para durar até julho e deve abranger pelo menos 100 hotéis no país (Curitiba deve ser a próxima cidade a ter modelo implementado nas propriedades da rede), mas já há rumores de que ela possa se estender parcial e indefinidamente se for mesmo bem sucedida. 

A medida vai de encontro com outras mudanças que a rede já tinha planejado para alguns de seus hotéis. Num cenário pós-pandêmico, todos os andares térreos dos hotéis da marca Ibis, por exemplo, também devem se tornar grandes áreas comuns integradas, oferecendo diferentes possibilidades de experiências de ócio ou trabalho não apenas para hóspedes, mas também para moradores e frequentadores da região, ampliando as possibilidades de uso dos espaços físicos de cada propriedade. 

Mergulho no mundo da moda

E se moda e hotelaria já vinham há muito tempo flertando – vide tantos lobbys, suítes e amenidades assinadas por grandes grifes em diferentes propriedades -, algumas marcas resolveram aproveitar as adversidades deste período e seus hotéis estão driblando a crise durante a pandemia para fazer um mergulho definitivo nesta fusão de mercados. 

É o caso, por exemplo, da nova iniciativa dos Pellicano Hotels que, enquanto mantêm seus hotéis fechados devido à pandemia, criaram a plataforma de e-commerce e lifestyle ISSIMO. A nova plataforma foi completamente inspirada na riqueza em cultura, design e estilo italiana e promete reunir as melhores opções de compras de produtos e experiências ligados à Itália, de roupas e objetos de décor a comida e viagem. 

É possível assinar a newsletter quinzenal da ISSIMO, que contará com dicas de decoração, culinária e, é claro, moda italiana, além de dicas de viagem de todo tipo. 

Alguns dos hotéis da Pellicano Hotels devem reabrir suas portas em breve, como o icônico Il Pellicano, em Porto Ercole, na Toscana (e parte do portfólio da Leading Hotels of the World), que tem reabertura marcada para o final de junho.

Clique aqui para ler todos os nossos textos sobre hotelaria em tempos de pandemia.

Acompanhe o Hotel Inspectors também no Instagram @HotelInspectors, no facebook @HotelInspectorsBlog e no Twitter @InspectorsHotel.

Novidades no Fasano Angra dos Reis

A última semana não foi nada fácil, convenhamos; nem está sendo. Em tempos de pandemia do novo coronavírus, estamos sendo forçados a rever hábitos e planos em prol do bem comum, somando esforços para tentar frear os avanços da Covid-19. E nada mais urgente neste momento mesmo! Mas nada impede que sonhemos com as próximas viagens; e é por isso que conto aqui sobre as novidades do Fasano Angra dos Reis.

Na primeira semana de março, fui convidada pelo hotel  Fasano Angra dos Reis para me hospedar ali por três dias e conhecer algumas das novidades que o hotel está lançando neste 2020. Com um apelo extra: a maior parte destas novidades está disponível também para moradores e viajantes que não estejam hospedados no hotel.

Inaugurado em 2017, o Fasano Angra deu cara completamente nova ao antigo Hotel do Frade, no condomínio homônimo, levando à cidade de Angra dos Reis, no Rio de Janeiro, um patamar de serviços na hotelaria que o destino até então desconhecia. O hotel conta inclusive com uma equipe de “mordomos” – super descontraídos, do uniforme ao estilo de abordagem, para combinar bem com a informalidade da propriedade – que assiste o hóspede em todos os momentos da hospedagem, incluindo reservas e passeios. Meu “mordomo” Pedro foi rápido, eficiente e extremamente simpático durante toda minha estadia.

Localizado à beira-mar no condomínio do Frade, o hotel conta com serviço de praia exclusivo e com dois restaurantes – o Praia, pé na areia e bem informal, e o Restaurante Fasano, formal, aberto somente para o jantar. O Praia conta com um excelente buffet de café da manhã incluído nas diárias, servido regularmente até 11h30 da manhã. O complexo do hotel tem também uma panetteria, academia, dois bares, boulevard com lojas de diferentes nichos, kids club completíssimo, piscina indoor e outdoor e um spa de impressionantes dois mil metros quadrados. Com custo extra, hóspedes também podem fazer uso do enorme campo de golfe do condomínio.

Confira sete dicas para deixar suas viagens mais sustentáveis daqui pra frente.

Foto: Mari Campos

Os quartos são todos muito espaçosos, e todos com varanda mobiliada (vista para a praia ou para as montanhas). Conheci todas as categorias de quarto oferecidas, inclusive as suítes mais caras, e ainda assim continuo achando a categoria Deluxe Vista Mar a mais charmosa e com melhor custoXbenefício. Há vista lateral para o mar, mas uma enorme varanda com day bed e mesa e cadeiras. A cama e até a banheira partilham da mesma vista – que obviamente pode ter privacidade total através de cortinas e belíssimas persianas de madeira maciça entre o quarto e o enorme banheiro.

Serviço de limpeza e de turndown simpático e eficiente, com fartura de água cortesia no quarto. As boas-vindas são dadas com animadas e coloridas mensagens escritas à mão no espelho de corpo inteiro – e também com os mais gostosos brigadeiros! Além disso, neste modelo de quarto há espaço de sobra nos guarda-roupas, mesmo para quem se hospedar por bastante tempo. Mas fica aqui nossa crítica ao fato de o hotel, assim como todas as demais propriedades Fasano, ainda cobrar as cápsulas de café no quarto, enquanto o mercado de luxo internacional vai na direção contrária (leia mais sobre nosso movimento #freethecafezinho aqui).

A boa notícia do hotel em 2020 é que suas áreas comuns passam a ficar completamente abertas a não hóspedes também – desde que com reserva antecipada, é claro. Na área gastronômica, o chef Jonathan Lauriola trouxe diversas mudanças. A charmosa Panetteria ganhou nova área ao ar livre e ampliou bastante seu cardápio. Agora, além de salgados, cafés e os italianíssimos gelatos da casa, passaram a oferecer também lanches, quiches e saladas. Uma ótima opção para quem quer fazer apenas uma refeição rápida e descomplicada em qualquer horário do dia.

O Restaurante Praia abre suas portas para não hóspedes no excelente café da manhã, tem buffet de antepastos, saladas e sobremesas aos finais de semana, e novo menu à la carte com seção de pratos para compartilhar em família ou grupo de amigos. O Restaurante Fasano Angra dos Reis traz no jantar um menu italiano bem sofisticado, com ingredientes sazonais – e seu bar tem menu de drinks bastante criativo. A boa mesa do chef passa a estar disponível também no novo serviço de catering lançado pelo hotel para quem contratar um passeio de barco diretamente com o hotel.

O imenso Spa do Fasano Angra também trouxe novidades como os novos programas de bem-estar e estética, com até 3 dias de duração.

Clique aqui para ideias de como deixar a sua casa com jeito de hotel.

Foto: Mari Campos

Como provou-se que o distanciamento social máximo é a arma mais eficiente para tentar diminuir os contágios nesta fase, adiar nossas viagens é imprescindível neste momento. E nós do Hotel Inspectors já adiamos todas as nossas. Mas, quando esta situação toda passar, nós vamos querer e precisar viajar de novo – e é por isso que continuaremos falando de hotéis por aqui. Para inspirar, sonhar e também ajuda-los a planejar as próximas férias.

Salva esta coluna na sua wish list viajante para aproveitar as novidades do Fasano Angra dos Reis para uma bela e revigorante escapada quando este turbilhão passar 😉

Continue acompanhando as novidades da hotelaria nacional e internacional que trazemos também nos nossos canais nas redes sociais: Instagram @ HotelInspectors, facebook @HotelInspectors e  Twitter @HotelInspectors.

Um hotel-spa cinco estrelas em Bordeaux

Bordeaux é terra de excelentes bistrôs e grandes rios. Terra muito boa para explorar também em um cruzeiro fluvial, como o que fiz com a Uniworld ao longo de uma semana, visitando as principais vinícolas e vilarejos da região. E Bordeaux é também terra de um premiado hotel-spa cinco estrelas.

Mas a cidade de Bordeaux também é incrível, e vale estadias cada vez maiores para a gente dar conta de visitar todas suas atrações e bairros cheios de personalidade, e ainda ter tempo para provar muitos wine bars e bistrôs. O que pouca gente sabe é que a região de Bordeaux também pode ser destino certeiro para pausa, sossego, relax absoluto. É essa a receita vencedora do belo Les Sources de Caudalie, um hotel de luxo com um premiado spa Caudalie que foi um dos grandes pioneiros do enoturismo da região.

São apenas vinte minutos de carro que separam o hotel-spa cinco estrelas do centro de Bordeaux. O aeroporto da cidade fica também à mesma distância, fazendo do hotel também uma escapada possível para quem tem poucos dias disponíveis.

Inteiramente rodeado pelos belos vinhedos da vinícola Château Smith Haut Lafitte, com mais de 600 anos de história, tem diferentes opções de acomodação dispostas horizontalmente, de quartos convencionais a cottages de sonho, que parecem saídos de um filme de época, repletos de carvalho e pedras calcárias. 

Clique aqui para ler como deixar a sua casa com jeito de hotel.

No hotel-spa cinco estrelas em Bordeaux há também quartos tipo cottage, todos enormes e extremamente recomendáveis. Chalés completos, com hall, sala de estar, quarto, varanda mobiliada, closet e um enorme banheiro (com amenidades da Caudalie, é claro).

Além disso, a propriedade – imensa!, com direito a bosque, fazendinha, lagos etc – é também repleta de obras e instalações de arte espalhadas por toda parte.

Seus excelentes restaurantes fazem todos bom uso do conceito farm-to-table de seus restaurantes, utilizando em seus pratos algumas frutas, ervas e vegetais cultivados ali mesmo. Além disso, os produtos do terroir do sudoeste francês são coisa seríssima para todos eles, por mais distintos que sejam entre si.

O La Grand’Vigne, do chef Nicolas Masse, tem duas estrelas Michelin – e é ali mesmo que é servido diariamente um impecável café da manhã. O La Table de Lavoir é um bistrô tipicamente francês e o descolado Rouge funciona mais com um tapas bar, para refeições mais rápida.

O spa vale o quanto pesa, com vinte diferentes salas de tratamento, duas piscinas, saunas e jacuzzi. Foi ali mesmo que foi inventada a vinhoterapia, que consiste em tratamentos de beleza e relaxamento à base de vinho (as sementes da uva são ricas em polifenóis, poderosos aliados nos tratamentos anti-idade, entre outros benefícios). 

Clique aqui para ler sete dicas para tornar suas viagens mais sustentáveis a partir de agora.

A estrutura do hotel-spa em Bordeaux e de seus múltiplos e tão variados espaços fazem da propriedade um local perfeito tanto para casais como para famílias com crianças pequenas (a infra para os pequenos, aliás, é impressionante). Há também bicicletas disponíveis para empréstimo, trilhas, piscinas, fazendinha, salas de jogos, espaços lúdicos, biblioteca e academia.  Atividades como visitas à vinícola, piqueniques entre os vinhedos, aulas de culinária e degustações podem ser arranjadas, mediante pagamento extra.

Seja para pré ou pós cruzeiro, o premiado hotel-spa cinco estrelas Les Sources de Caudalie, em Bordeaux, é perfeito para descansar após explorar Bordeaux ou mesmo para escapar de Paris por dois ou três dias.

Clique aqui para ler mais sobre hotelaria na França.

Siga também nossas redes sociais para ficar por dentro de todas elas: Instagram @ HotelInspectors, facebook @HotelInspectors e  Twitter @HotelInspectors.

Terraço do Hotel Arpoador | Foto de Carla Lencastre

Como é o Hotel Arpoador, pé na areia no Rio de Janeiro

São muitos os hotéis na orla da Zona Sul do Rio de Janeiro. De todos eles, o Hotel Arpoador, entre Ipanema e Copacabana, é o mais perto da areia da praia. Sua localização é única. Apenas uma estreita rua em paralelepípedos separa o hotel do mar.

Em janeiro, o Hotel Arpoador, no Rio de Janeiro, completa um ano de cara nova. Antigo Arpoador Inn, a propriedade é da mesma família do Ipanema Inn, ambos construídos da década de 1970 pelo casal Manoel e Rachel Strosberg. Hoje os dois hotéis são comandados pelos netos dos fundadores, Daniel e Marcelo Gorin. São eles que estão à frente das mudanças. O Ipanema Inn teve uma renovação mais leve, assinada pela arquiteta Bel Lobo, pouco antes dos Jogos Olímpicos de 2016. Já no Arpoador a mudança não foi apenas no nome. O hotel ficou quase dois anos fechado para obras e passou por um retrofit comandado pelo arquiteto Thiago Bernardes.

Piscina do Hotel Arpoador, no Rio de Janeiro, com vista para o Oceano Atlântico e as Ilhas Cagarras
Piscina com vista para o Atlântico e as Cagarras | Foto de Carla Lencastre

O terraço, que lembra a proa de um navio, ganhou uma piscina triangular com vista para o Oceano Atlântico, as Ilhas Cagarras e o pôr do sol mais bonito do verão carioca. A inspiração náutica está por todo a parte. Os corredores, por exemplo, têm janelas redondas, como escotilhas. Os 49 quartos foram reconstruídos. São claros, em branco e azul. As camas têm cabeceira em palha. O piso é em madeira, assim como os móveis desenhados especialmente para o hotel. O ambiente é o de uma casa de praia sofisticada.

Clique aqui para acompanhar @HotelInspectors no Instagram

Quarto com rede e vista para o mar no Hotel Arpoador, no Rio de Janeiro
Rede com vista para o mar | Foto de Carla Lencastre

Amenidades brasileiras nos quartos

Mesmo os menores quartos, com 16 m² e sem vista, são luminosos. Nos 15 quartos de frente para o mar, com 24 m² ou 32 m², gostei especialmente das redes ao lado da janela envidraçada de alto a baixo ou na varanda, caso dos quartos maiores, os únicos com banheira. O Arpoador tem apenas uma suíte, com a área de estar integrada ao quarto em um ambiente de 50 m². O minibar é abastecido com produtos brasileiros, como o gin Amázzoni, e todos os quartos têm máquina de café. As amenidades de banheiro são Granado.

A gastronomia é outro ponto alto do Hotel Arpoador, no Rio de Janeiro. Quem comanda o restaurante Arp do café da manhã à la carte ao jantar é a premiada chef Roberta Sudbrack, que assina também o cardápio do room service. O restaurante é aberto ao público em geral, com varanda voltada para a praia, e está sempre movimentado. Ao longo deste ano, estive lá algumas vezes, nos mais variados horários, e foi sempre bom, tanto a comida quando o serviço. Melhores lembranças das vieiras na manteiga, que chegam à mesa em uma panelinha borbulhante. Os drinques também são ótimos, com carta assinada por Néli Pereira.

A Zona Sul carioca não tem tradição de restaurantes com vista para o mar, e o Arp é uma das poucas exceções (outra é o Marine Bistrô, no recém-inaugurado Fairmont Copacabana). Como ele fica no térreo, com salão é contíguo ao calçadão, dá para sair da praia e ir direto almoçar. Com areia nos pés e tudo, como em uma casa de praia.

No Instagram @HotelInspectors, no destaque Rio, há outras imagens do Hotel Arpoador, incluindo vídeos.

Leia mais

Como é o novo Fairmont Rio de Janeiro Copacabana

Como é o Selina Rio, o primeiro hotel da rede no Brasil

Todos os nossos textos sobres hotéis no Rio de Janeiro

Hotel Inspectors está no Instagram @HotelInspectors, no facebook @HotelInspectorsBlog e no Twitter @InspectorsHotel