Indústria de Eventos

Um relatório da ICCA – International Congress & Convention Association traz um perfil da evolução da indústria de eventos no mundo entre os anos de 1963 a 2o12.

Nos últimos 50 anos, o segmento que representa quase 55 mil eventos anuais mostra a diminuição market share da Europa, que tinha 72% dos eventos e hoje tem um participação de 54%. As regiões que cresceram neste período são a Ásia, que tem hoje 18% do mercado e a América Latina com 10%. Pelos critérios da entidade, a América do Norte permanece com cerca de 12% dos eventos mundiais, mesmo tendo os EUA como o primeiro país em números absolutos de eventos anuais.

Algumas características dos eventos chamam a atenção e podem colaborar com estudos para espaços de eventos em hotéis ou centros de convenções:

1. Número de participantes: cai progressivamente o número de pessoas por evento, hoje a média de participantes é de 424 pessoas; há 50 anos essa média era de 1.253 participantes. Espaços para eventos que agrupam até 500 pessoas podem realizar a grande maioria dos eventos do critério ICCA. Isso se justifica porque as áreas que mais realizam eventos com a médica, de tecnologia e ciências, se agrupam em sub temas, e portanto realizam eventos mais específicos.

2. Local de realização: Os centros de convenções são substituídos pelos espaços em hotéis, pois o tamanho dos eventos diminui e o conforto e facilidades de hospedagem, alimentação e espaços reunidos em hotéis agrupa 44% dos eventos realizados no mundo. Centros de Convenções e Universidades abrigam respectivamente 24% e 22% dos eventos realizados.

3. Duranção dos eventos: As mudanças nas relações de trabalho, tipos de eventos também fazem com que a média de dias de duração dos eventos seja atualmente de 4 dias. Essa média chegava a 6 dias, mas hoje, um melhor aproveitamento do lazer e conhecimento da região aonde o evento é realizado pode ser uma grande oportunidades para a indústria de viagens e turismo.

4. Gastos: Aumentaram os gastos dos participantes em eventos mundiais. Atualmente, a média de gasto diário com a taxa de inscrição, por pessoa é de USD 149,00 e os demais gastos, que variam de acordo com o evento, destino e outras variáveis, é de USD 678,00 por delegado, por dia. Inovação, mudanças rápidas e necessidade de atualização levam os profissionais a participar de eventos de sua categoria profissional e também contribuem para o conhecimento e a ciência.

Voltaremos com uma análise da evolução do Brasil nesse cenário.

FONTE: ICCA – A Modern History of International Association Meetings 1963-2012.

2013… 3 X 0

A contagem regressiva já marca um ano para a realização da Copa do Mundo FIFA 2014.

A seleção começa com bons sinais colocando 3 X 0 sobre o Japão. É apenas o começo, muito trabalho pela frente, mas é um ótimo começo.

A realização dos jogos nas seis cidades que realizam os jogos devem apontar aquilo que está afinado, o que precisa de melhorias e o aprendizado para que daqui há um ano os preparativos possam ser aprimorados.

Os estádios estão entregues, mesmo com ajustes a fazer e outros a finalizar até 2014.

O importante seria desde já começar a pensar em setembro de 2014, ou seja, um trabalho de captação de eventos, de planejamento para a utilização das arenas multiuso para diversos tipos de atividades depois do mundial. O turismo pode colaborar e se beneficiar nessa área, já tem mecanismos, políticas de Convention Bureaux e de alguns Estados e Municípios para a busca de todo tipo de evento.

Conhecer bem a infraestrutura de cada arena, as possibilidades de atividades e um plano de ação do turismo pode ser estratégico para as cidades e sobretudo para o setor de viagens e negócios.

E a competitividade ?

Mais uma vez ela está ligada à infraestrutura e serviços de qualidade. Temos que melhorar e perseguir melhores condições de viagens no Brasil. Fui buscar no “The Travel & Tourism Competitiveness Report 2013 do WEF – World Economic Forum os principais pilares dos países que estão no topo da lista de competividade.

A Alemanha está em segundo lugar, tem abundante lista de recursos culturais ligada ao sítios históricos Patrimônio Mundial e recebe grande número de feiras e eventos anualmente. Os preços de hotéis são muito competitvos. Não precisa lembrar que recebeu a Copa do Mundo em 2006.

A Áustria que está em terceiro lugar tem melhorado seu posicionamento devido à melhorias na infraestrutura turística, por sua atitude de grande hospitalidade em relação aos visitantes e, o mais importante segundo o relatório, por sua rica base de recursos culturais.

A Espanha lidera o pilar de recursos culturais porque tem grande número de sítios Patrimônio Mundial, recursos culturais diversos e atrai grande número de feiras e exposições. O país também tem numerosos espaços esportivos em arenas e estádios.

E para citar mais um país, busquei dados do Reino Unido. Seu posicionamento está baseado nos excelentes recursos culturais, nos numerosos sítios históricos e também pela realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos 2012, além do Jubileu de Diamante da Rainha Elisabeth I.

 

Plano de Marketing do Ceará

O Estado do Ceará está em fase de elaboração de seu Plano de Marketing Turístico Nacional e Internacional.

Com a realização de estudos, pesquisas e uma metodologia que irá estabelecer um plano de comunicação sobre quais os produtos serão promovidos em que mercados, o Ceará será reposiocionado como destino turístico.

O Plano de Marketing do Ceará tem dois aspectos muito importantes a saber:

O primeiro está ligado às mudanças e intervenções no desenvolvimento dos produtos turísticos do estado, como por exemplo o novo Centro de Eventos, estradas e macro-estruturas de urbanização dos destinos. Assim, o novo plano de comunicação irá mostrar um conjunto de novidades para os futuros visitantes do Ceará. Lembrando que os destinos que estão em desenvolvimento também estão em áreas não litorâneas, integrando diversos roteiros e opções de experiências para os turistas.

O segundo aspecto está ligado ao aproveitamento das oportunidades geradas pelo Mundial de Futebol de 2014. A partir de 2013, o novo plano de marketing estará sendo executado. Dessa forma, durante a realização da Copa, novas mensagens, estratégias e conteúdo sobre destinos e produtos turísticos estarão sendo levados à imprensa nacional e internacional, assim como às redes sociais.

 

Quantos e quanto até Setembro de 2011 ?

Os recentes dados sobre desembarques de passageiros no Brasil e gastos de turistas no mês de Setembro mostram o impacto das alterações do câmbio.
Os estrangeiros gastaram no Brasil no mês de Setembro US$ 521 milhões ( + 14,61% ), já os brasileiros gastaram US$ 1.776 milhões ( + 12,43% ). No acumulado do ano, o crescimento é de 15,55% para o gasto dos estrangeiros por aqui e de 40% do gasto dos brasileiros pelo mundo. Foi o primeiro mês do ano de 2011 que, percentualmente, os gastos dos brasileiros foi menor que o dos estrangeiros. A conta corrente do turismo ainda é deficitária em US$ 11 bilhões mesmo com o turismo sendo o 5o. item de nossa pauta de exportações.
E o que me continua a me surpreender são os desembarques, no doméstico, crescemos 10,78% em Setembro, somando 58.823.769 de pessoas viajando dentro do Brasil ( brasileiros e estrangeiros ). Já no internacional, chegaram até Setembro 6,7 milhões de pessoas ( brasileiros e estrangeiros ), com um crescimento em Setembro de 11,57%.
Vamos continuar acompanhando.