Santa Terezinha e Brasil: um amor antigo

Para muitos estudiosos da ciência da religião, como Victor Turner, peregrinações fazem, às vezes o papel de ritos de passagem na modernidade. Na Igreja Católica, a peregrinação é também um elemento fundamental para aproximar fieis entre si e criar redes de amizade e apoio. Nas cidades menores, por exemplo, grupos de oração são criados a partir da visita de imagens de santos padroeiros às casas dos devotos. Trata-se também de uma forma de levar a fé para a casa das pessoas, e não apenas concentrá-la nas catedrais, igrejas e capelas. Usando uma referência de outra religião: se Maomé não vai a montanha, a montanha vem a Maomé. Mas tal ação não fica restrita a bairros. Algumas vezes, as relíquias de um santo católico  podem viajar o mundo para se aproximar de fieis impossibilitados de fazer longos deslocamentos.

Nesse sentido, o turismo católico já se movimenta para a vinda ao Brasil, em setembro próximo, do relicário de Santa Teresinha do Menino Jesus- ou de Lisieux, como é mais conhecida no resto do mundo. No dia 9 de setembro as relíquias serão expostas na Paróquia Santa Teresinha, no bairro Higienópolis, em São Paulo, permanecendo no local, para visita dos fiéis, até o dia 15 do mesmo mês. 

Em seguida, tem-se início a peregrinação e adoração no interior do estado, passando por 41 cidades, a começar pela Catedral Basílica Menor de São Bento, em Marília (SP), que recebe as relíquias em 16 de setembro, em celebração aos 70 anos de criação e instalação da Diocese da cidade. Grupos de outros estados e cidades próximas àquelas que fazem parte do roteiro já criaram pacotes turísticos para a ocasião.

Trata-se de mais uma ação bem sucedida da associação de cidades santuários da França. Entrevistei  Isabelle Quillet , do Santuário de Santa Teresa de Lisieux, e Sandrine Papini, gerente de promoção do Escritório de Turismo de Lisieux, para entender melhor a ação e a estratégia que elas têm para atrair mais turistas brasileiros para a cidade. Confira abaixo.

Passaporte de Fé:  Quantos brasileiros visitam o Santuário por ano?

IQ: Os brasileiros estão entre os três países que mais visitam o Santuário, ao lado de estadunidenses e italianos. Em  2017 tivemos 86 grupos, ou seja, 2.660 peregrinos brasileiros; em 2018 foram também 86 grupos, mas com 2.555 peregrinos brasileiros. Em 2019, observou-se  95 grupos, ou seja, 3.173 peregrinos brasileiros. Por conta da pandemia não houve grupos em 2020 e 2021. Neste ano já registramos 16 grupos inscritos desde o início do ano até 1º de julho (ainda não há outros), ou seja, 409 pessoas. É preciso lembrar que  9 destes 16 grupos foram ou serão orientados por Maria Rodrigues, guia brasileira do Santuário de Lisieux. É claro que não é possível contabilizar os visitantes individuais, mas sabemos que são também muitos.

Passaporte de Fé:  Como se explica essa ligação tão forte entre o Brasil e Teresa de Lisieux?

IQ: Tudo começou com a vinda do Padre Henri Rubillon ao Brasil no final do século XIX. A partir de 1913 ele começou a divulgar em Nova Friburgo os exemplos de vida e pensamentos de Santa Terezinha. As carmelitas brasileiras rapidamente sentem-se tocadas pela menina de Lisieux. Até que os católicos brasileiros oferecem uma linda arca feita de jacarandá para abrigar as relíquias de Santa Terezinha de Lisieux.

Nota da Redação; As freiras brasileiras, responsáveis pela educação de muitas jovens no início do século XX, foram as responsáveis por democratizar o culto a Santa Tereza.

Passaporte de Fé:  Quais são as relíquias que chegam ao Brasil?

IQ: O relicário que irá para o Brasil é uma cópia do relicário oferecido pelo Brasil. Ele só sai do Carmelo por ocasião das festas de Santa Teresa celebradas em Lisieux entre o último sábado de setembro e o fim de semana seguinte. É também este relicário que foi utilizado nas primeiras peregrinações das relíquias de Santa Teresa pela França, em 1945, 1946 e 1947, depois em 1995 e 1996. E é o relicário do Brasil que esteve, em 19 de outubro de 1997, em frente à Basílica de São Pedro em Roma e com o Papa João Paulo II para a proclamação do Doutorado de Santa Teresa. A presença do santo “através de seus restos mortais”, a oração em torno de seu relicário expressam a relação única que os fieis têm com ele. Ao venerar as relíquias, não se chega apenas a “lembrar” o santo, passa-se a conhecer uma personalidade ativa. As relíquias nos conectam aos santos, nos aproximam fisicamente deles, nos inspiram, nos desafiam.

Passaporte de Fé:  Além da experiência espiritual, o que é imperdível conhecer na região?

S.P.: De fato, Lisieux , por conta de sua localização geográfica, de sua arquitetura, de suas especialidades gastronômicas (queijos, sidra, calvados) e de suas paisagens verdes é o cartão postal da Normandia. Aqui não há poluição, não há trânsito. Por outra lado, encontra-se uma qualidade de vida rejuvenescedora e exótica para nossos amigos brasileiros. O acesso de trem, por estrada é fácil. É uma parada obrigatória entre Paris e Monte Saint-Michel. Aqui você tem que tomar seu tempo, fazer compras. Os brasileiros adoram passear por Lisieux e as aldeias próximas e comprar de pequenos comerciantes… Nosso patrimônio arquitetônico é riquíssimo: em cada esquina, castelos maravilhosos, mansões exuberantes, igrejas lindas em todas as aldeias. O clima é ameno, agradável o ano todo. O nosso destino é também o berço da criação de cavalos, com coudelarias de renome e outras familiares que preenchem a paisagem do campo de Pays d’Auge em torno de Lisieux.

Passaporte de Fé:  Vocês têm uma cidade irmã no Brasil?

S.P.: Não, não temos essa relação com uma cidade no Brasil, mas gostaríamos muito! Essa é uma ideia essencial. Os vínculos entre Lisieux e o Brasil são tão fortes que nos  parece natural poder se aproximar de uma cidade brasileira e assim criar vínculos, intercâmbios econômicos e turísticos, espirituais, culturais…

Passaporte de Fé:   Vocês trabalham em parceria com outro destino religioso francês?

S.P.: Trabalhamos com 19 cidades santuário na França graças à rede http://www.villes-sanctuaires.com.br .Christiane Chabes colaborou para que construíssemos este site dedicado ao mercado brasileiro. São propostos circuitos para conectar todos os destinos da associação, que podem ser contemplados em um vídeo inspirador. Reunimo-nos regularmente para promover o turismo espiritual na França, queremos ser a referência para este tema, a associação reúne grandes santuários como Lourdes, Lisieux, Le Mont Saint Michel, Alençon, Chartres, mas também os menores. Unimos nossas forças, nossas ideias, nossas experiências e conhecimentos para promover a espiritualidade e o turismo do nosso país.

Passaporte de Fé:   Quais serão as próximas ações no mercado brasileiro?

S.P.: Depois deste grande evento que é a vinda das relíquias de Santa Terezinha ao Brasil, esperamos receber jornalistas, operadoras e agências do Brasil em Lisieux.  Gostaríamos que os profissionais do turismo vivam a experiência de caminhar nas pegadas de uma das santas mais queridas na América do Sul, mas também para descobrir nosso belo território.

Veja abaixo o calendário de festividades no Brasil

Peregrinação das Relíquias da Santa Teresinha do Menino Jesus:

17 de setembro (sábado) – Paróquia Santa Cecília (Álvaro de Carvalho) 

18 de setembro (domingo) – Paróquia São Pedro (Garça)

19 de setembro (segunda-feira) – Irmãs Franciscanas de Cristo Rei (Garça)

20 de setembro (terça-feira) – Irmãs Franciscanas de Siessen (Garça)

21 de setembro (quarta-feira) – Paróquia Nossa Senhora de Lourdes (Garça)

22 de setembro (quinta-feira) – Santuário Sagrado Coração de Jesus (Vera Cruz)

23 de setembro (sexta-feira) – Mosteiro da Divina Misericórdia (Marília)

24 de setembro (sábado) – Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora (Avencas)

25 de setembro (domingo) – Paróquia Santa Rita de Cássia (Marília)

26 de setembro (segunda-feira) – Paróquia Nossa Senhora de Guadalupe (Marília)

27 de setembro (terça-feira) – Paróquia Nossa Senhora de Fátima – Jóquei (Marília)

28 de setembro (quarta-feira) – Paróquia Nossa Senhora Rosa Mística (Marília)

29 de setembro (quinta-feira) – Paróquia Nossa Senhora de Fátima – Fragata (Marília)

30 de setembro (sábado) – Paróquia Nossa Senhora da Glória (Marília)

Dia de Santa Terezinha: 1 de outubro (sábado) – Santuário Nossa Senhora da Glória (Marília)

2 de outubro (domingo) – Paróquia Santa Isabel (Marília)

3 de outubro (segunda-feira) – Seminário Diocesano Rainha dos Apóstolos (Marília)

4 de outubro (terça-feira) – Clarissas (Marília)

5 de outubro (quarta-feira) – Paróquia Sagrado Coração de Jesus (Marília)

6 de outubro (quinta-feira) – Seminário São Pio X (Marília)

7 de outubro (sexta-feira) – Paróquia Santa Antonieta (Marília)

8 de outubro (sábado) – Paróquia Santa Edwiges (Marília)

9 de outubro (domingo) – Paróquia Sagrada Família (Marília)

10 de outubro (segunda-feira) – Paróquia São Miguel Arcanjo (Marília)

11 de outubro (terça-feira) – Paróquia São Sebastião (Marília)

Dia da Instalação da Diocese: 12 de outubro (quarta-feira) – Catedral Basílica de São Bento

13 de outubro (quinta-feira) – Paróquia São Judas Tadeu (Marília)

14 de outubro (sexta-feira) – Missão Louvor e Glória (Marília)

Dia dos professores: 15 de outubro (sábado) – Colégio Apóstolas do Sagrado Coração de Jesus (Marília)

16 de outubro (domingo) – Instituto das Missionárias de Nossa Senhora de Fátima (Marília)

17 de outubro (segunda-feira) – Irmãos do Sagrado Coração de Jesus (Marília)

18 de outubro (terça-feira) – Paróquia Santo Antônio (Marília)

19 de outubro (quarta-feira) – Paróquia São João Batista (Marília)

20 de outubro (quinta-feira) – Paróquia Nossa Senhora Aparecida (Oriente)

21 de outubro (sexta-feira) – Paróquia Nossa Senhora do Rosário (Pompéia)

22 de outubro (sábado) – Irmãs Franciscanas Alcantarinas (Pompéia)

23 de outubro (domingo) – DNJ e Infância Missionária (Marília)

24 de outubro (segunda-feira) – Paróquia Nossa Senhora Aparecida (Paulópolis)

25 de outubro (terça-feira) – Paróquia Nossa Senhora Aparecida (Quintana)

26 de outubro (quarta-feira) – Paróquia Sant’Ana (Herculândia)

27 de outubro (quinta-feira) – Irmãs de Nossa Senhora de Fátima – Hospital São José (Herculândia)

28 de outubro (sexta-feira) – Paróquia São Pedro Apóstolo (Tupã)

29 de outubro (sábado) – Irmãs dos Pobres de Santa Catarina de Sena (Tupã)

30 de outubro (domingo) – Paróquia São José (Tupã)

31 de outubro (segunda-feira) – Paróquia Nossa Senhora Auxiliadora (Tupã)

1 de novembro (terça-feira) – Paróquia São Judas Tadeu (Tupã)

3 de novembro (quinta-feira) – Paróquia Senhor Bom Jesus (Arco-Íris)

4 de novembro (sexta-feira) – Paróquia São Luiz Gonzaga (Iacri)

5 de novembro (sábado) – Paróquia São Francisco Xavier (Bastos)

6 de novembro (domingo) – Paróquia Imaculada Conceição (Parapuã)

7 de novembro (segunda-feira) – Paróquia Nossa Senhora Aparecida (Rinópolis)

8 de novembro (terça-feira) – Santuário São José (Osvaldo Cruz)

9 de novembro (quarta-feira) – Irmãs Missionárias dos Sagr. Corações de Jesus e Maria (Osvaldo Cruz)

10 de novembro (quinta-feira) – Paróquia São Benedito (Sagres)

11 de novembro (sexta-feira) – Paróquia São João Batista (Salmourão)

12 de novembro (sábado) – Paróquia Imaculado Coração de Maria (Inúbia Paulista)

13 de novembro (domingo) – Paróquia Sagrada Família (Lucélia) e visita à Penitenciária de Lucélia

14 de novembro (segunda-feira) – Irmãs de São José de Cluny (Lucélia)

15 de novembro (terça-feira) – Paróquia Santa Luzia (Pracinha)

16 de novembro (quarta-feira) – Paróquia Imaculada Conceição (Mariápolis)

17 de novembro (quinta-feira) – Paróquia Nossa Senhora de Fátima (Adamantina)

18 de novembro (sexta-feira) – Associação e Fraternidade São Francisco de Assis – Santa Casa (Adamantina)

19 de novembro (sábado) – Paróquia Santo Antônio (Adamantina)

20 de novembro (domingo) – Paróquia São Francisco (Adamantina)

21 de novembro (segunda-feira) – Comunidade Alfa e Ômega (Adamantina)

22 de novembro (terça-feira) – Paróquia Nossa Senhora Aparecida (Flórida Paulista)

23 de novembro (quarta-feira) – Paróquia Nossa Senhora das Graças (Pacaembu)

24 de novembro (quinta-feira) – Paróquia Santa Genoveva (Irapuru)

25 de novembro (sexta-feira) – Paróquia São José (Flora Rica)

26 de novembro (sábado) – Paróquia Santo Antônio (Junqueirópolis)

27 de novembro (domingo) – Santuário Nossa Senhora de Fátima (Dracena)

28 de novembro (segunda-feira) – Sociedade Irmãos da Misericórdia (Dracena)

29 de novembro (terça-feira) – Paróquia São Francisco de Assis (Dracena)

30 de novembro (quarta-feira) – Paróquia Nossa Senhora Aparecida (Dracena)

1 de dezembro (quinta-feira) – Paróquia Nossa Senhora Aparecida (Ouro Verde)

2 de dezembro (sexta-feira) – Paróquia Nossa Senhora da Glória (Tupi Paulista)

3 de dezembro (sábado) – Paróquia Santa Cecília (Monte Castelo)

4 de dezembro (domingo) – Paróquia Nossa Senhora Aparecida (Nova Guataporanga)

5 de dezembro (segunda-feira) – Paróquia São João Batista (São João do Pau D’Alho)

6 de dezembro (terça-feira) – Paróquia Nossa Senhora das Mercês (Santa Mercedes)

7 de dezembro (quarta-feira) – Paróquia São Pedro (Paulicéia)

8 de dezembro (quinta-feira) – Paróquia São José (Panorama)

9 de dezembro (sexta-feira) – Diocese de Presidente Prudente

10 de dezembro (sábado) – Diocese de Assis

11 e 12 de dezembro (domingo e segunda-feira) – Diocese de Bauru

Encerramento da Peregrinação:

Missa: 13 de dezembro de 2022 (terça-feira).

Paróquia São José de Osvaldo Cruz, 20h00.

Mais informações: https://www.therese-de-lisieux.catholique.fr/evenement/voyage-des-reliques-au-bresil/

Published by

Ricardo Hida

Mestrando em Ciência da Religião e pesquisador da PUC-SP em Turismo religioso, é escritor e professor. Graduado pela FAAP e pós-graduado pela Casper Líbero, trabalhou na Air France, Accor, Atout France e hoje dirige a Promonde, consultoria de marketing e comunicação. Está à frente também do Fórum de Turismo e espiritualidade. Foi em uma viagem de imprensa a Lourdes, na França, na época em que era diretor adjunto do escritório de Turismo francês no Brasil, que Ricardo Hida compreendeu a dimensão do Turismo religioso. Ao voltar para São Paulo, foi conhecer mais sobre esse universo que movimenta milhões de viajantes a cada ano em todo o mundo, há muitos séculos. Romarias, peregrinações, retiros. Não importa a tradição, o segmento não para de crescer.