Receita e despesa cambiais até aqui

storeO mês de julho deste ano registrou uma queda de 0,41% na receita cambial referente aos gastos de turistas estrangeiros no Brasil, de acordo com pesquisa do Ministério do Turismo. O estudo revela que a receita de julho de 2016 foi de U$$ 466 milhões, enquanto a de julho do ano passado foi de U$$ 468 milhões.

Apesar da queda neste primeiro mês do segundo semestre, os números gerais são positivos. No acumulado do ano, ou seja, de janeiro a julho de 2016 foram gastos, por turistas estrangeiros, U$$ 3,62 bilhões no Brasil, o que corresponde a um percentual de 6,16% superior à receita do mesmo período em 2015, que foi de U$$ 3,41 bilhões.

Já o número de gastos dos brasileiros em viagens internacionais no mês de julho deste ano, U$$ 1,36 bilhões, foi inferior em 18,8% em comparação ao mesmo período do ano passado, cujo valor da despesa foi de U$$ 1,68 bilhões. No acumulado do ano, a despesa cambial também sofreu queda: de janeiro a julho de 2016 foi de U$$ 7,89 bilhões, enquanto no mesmo período em 2015 o valor dos gastos dos brasileiros no exterior foi de U$$ 11,62 bilhões, correspondendo a uma queda de 32,05%.

Ficamos, então, no aguardo do fechamento do balanço deste mês de agosto, quando, durante três semanas sediamos os Jogos Olímpicos e na expectativa de crescimento do percentual de receita referente aos gastos dos turistas internacionais, de acordo com a Prefeitura do Rio, aproximadamente 410 mil visitantes estrangeiros, vindos de mais de 200 países, desembarcaram na cidade maravilhosa no período da Olimpíada.

Postagens relacionadas

Published by

Jeanine Pires

Professora e empresária, tem 19 anos de experiência em turismo e eventos. Diretora da Pires & Associados e da MATCHER Travel Business.Suas principais atividades são a realização de Planos de Marketing de Destinos Turísticos e palestras no Brasil e no exterior. Presidiu a EMBRATUR de 2006 a 2010, onde também foi Diretora de Turismo de Negócios e Eventos. Liderou o trabalho de promoção do Brasil como destino turístico no exterior, os programas de captação de eventos internacionais e a agenda de promoção do Brasil de 2003 a 2010. Participou da elaboração do Plano Aquarela - Marketing Turístico Internacional do Brasil em 2005 e também coordenou sua versão para 2020. Nos Convention & Visitors Bureaux de Maceió e Recife como diretora executiva, desenvolveu os programas de marketing de lazer e eventos para aquelas cidades entre 1997 a 2002. Esse blog reflete opiniões pessoais e não tem qualquer vínculo institucional

One thought on “Receita e despesa cambiais até aqui

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *