Uma só voz: “Não Cancele, adie”

Um furacão repentino nos tirou da zona de conforto. Convenhamos que não se tratava de uma zona tão confortável assim, mas fomos colocados em um cenário inimaginável.

Semear em dias tranquilos é algo tão leve e corriqueiro que o fazemos, muitas vezes, em modo automático. Pesquisar, planejar, colocar em prática, colher e sempre repetir esse ciclo. Leio essa frase nesse exato momento e ela me parece um sonho.

Mas é na crise que devemos plantar ainda mais. Quando estamos preocupados com o agora, com o apagar de incêndios, essa é realmente uma tarefa difícil. Mas não há tempo de classificar o que é fácil ou difícil. Vivemos um momento de muitas ações.

Aceleramos nossos passos em um plano infinito de trabalho: grupos de whatsapp, chamadas, vídeoconferências, cada vez mais contatos salvos no celular. Uma rede que só cresce. Todos unidos pelo setor de Turismo. Todos unidos pela economia. Todos juntos para manter vivos os sonhos das empresas que são especialistas em realizar sonhos.

O trabalho em grupo nunca fez tanto sentido. A tecnologia, aquela da qual falamos tanto nos últimos tempos também. O fator humano, então, está à frente de tudo isso.

Acho importante mostrar um cenário, que é apenas uma parte do que está ocorrendo com o Turismo. Segundo um recente levantamento feito pela BRAZTOA, comparando com 2019, os resultados das vendas das associadas efetivadas em janeiro e fevereiro de 2020 foram menores para 65% delas. Já para março, essas empresas estão com as vendas praticamente paralisadas.

Nunca estivemos diante de uma crise dessa magnitude! Como uma medida fundamental, criamos a campanha #ViajarÉPreciso, que traz a mensagem “Não Cancele, adie”, tendo em vista que os impactos para agentes de viagens, meios de transporte, hospedagens, receptivos e guias de turismo são incalculáveis. Você, com certeza, deve ter visto em algum site, rede social ou aplicativo de conversa. Você, inclusive, deve ter compartilhado. Se não o fez, ainda há tempo de fazer parte desse time. Esse mantra é nosso, é de toda a cadeia.

A BRAZTOA não parou por aí, nossa lista de atuações é grande. Estamos apoiando os associados em diversas frentes de trabalho, inclusive de forma conjunta com outras entidades do setor. Uma das principais ações foi o encaminhamento de um pleito para o Ministério do Turismo para aprovação de medidas emergenciais visando garantir a sustentabilidade do setor que passa por, como a disponibilização de linhas de crédito especiais, suspensão e/ou postergação de pagamento de impostos, liberação do saque do FGTS para funcionários, apoio para remarcação de viagens em detrimento ao cancelamento com consequente devolução de valores que põe em risco a manutenção dos negócios.

Existem muitas outras iniciativas em andamento junto aos governos estaduais, municipais, junto a fornecedores da cadeia produtiva e de apoio aos consumidores que ainda estão em viagem ao exterior, por intermédio das operadoras associadas, e que precisam regressar ao país. Nossos associados seguem as recomendações dos órgãos oficiais e estão comprometidos a prestar os melhores serviços a todos os seus passageiros, fazendo a ponte entre eles e os mais diversos fornecedores espalhados pelo mundo para que viagem sempre com segurança.

Estamos convictos de que é com união que superaremos esse cenário tão desafiador para o Turismo e para toda a sociedade. Estamos certos de que nossa conexão com associados, agentes, viajantes, governo e parceiros será ainda mais forte e clara quando o setor começar a sua retomada. Estamos prontos para esse momento.

Published by

Roberto Haro Nedelciu

Roberto Haro Nedelciu trabalhou por 26 anos em uma empresa automotiva multinacional, no departamento de Tecnologia da Informação e já viajou para 80 países. Engenheiro Industrial Mecânico, com MBA em Gestão Empresarial na Fundação Getúlio Vargas, além de sócio da Raidho Viagens, foi também diretor de Tecnologia e vice-presidente da BRAZTOA, entre 2015 e 2019, até assumir a presidência do Conselho de Administração da entidade para o biênio 201/2021. Com espírito aventureiro, tem como hobby o motociclismo e o montanhismo, já subiu até o Campo Base do Everest (Nepal), Kilimanjaro (Tanzânia), Chimborazo (Equador) e o Monte Kota KinaBalu (Malásia).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *