H de Humano – sobre as coisas que apenas as pessoas são capazes de fazer

Falta pouco mais de um mês para o fim de 2020 e vejo que o H2H (Humano para Humano) de que tanto falo nunca esteve tão em evidência como agora. Nunca fez tanto sentido como neste exato momento.

O distanciamento social e o isolamento necessário em vários momentos trouxeram certa urgência para o olho no olho, para o olhar além das aparências. Em resumo, ele exige um aprofundamento nas relações, inclusive nas comerciais que, no fim, acabam sendo muito mais que uma simples venda.

Sentir a humanização nas relações nos traz muito mais confiança e tranquilidade do que lidar apenas com máquinas, robôs ou inteligências artificias.

Precisamos entender os anseios, medos, receios e incertezas dos clientes, para transmitirmos a segurança necessária, a certeza de que ele será atendido desde a realização da compra até seu retorno seguro para casa.

Precisamos exercitar esse olho no olho para chegarmos à excelência no que oferecemos ou para, simplesmente, confortá-los e indicar os melhores caminhos. Confesso que, para mim, essa é a melhor parte do processo de aproximação, construção de relacionamento e fidelização.

Dados da mais recente pesquisa BRAZTOA mostram que novos destinos, principalmente internacionais, apresentam-se como alternativas à fronteiras fechadas e, com isso, ganharam espaço frente a destinos mais tradicionais. Isso tem grande ligação com a relação humana e próxima que mencionei acima. Identificar as reais vontades das pessoas e encontrar alternativas que as surpreendam é algo que realmente dominamos.

NÃO SEI SOBRE O FUTURO, mas isso apenas humanos podem fazer.

Existem vários tipos de humanos. Com alguns, vamos ter afinidades e com outros, não. Mas acredito que a verdade, a transparência, a dedicação e o trabalho de ter todas essas preciosas informações nas mãos, é o DNA e o trabalho do novo agente de viagens.

Os clientes já estão percebendo isso e, cada vez mais, irão reconhecer a importância dessa consultoria e valorizar o trabalho do agente de viagens.

Esse é o pontapé inicial e, a partir daí, podemos partir para outras letras:

H2H (Humano para Humano)+ Harmonia

+ Honestidade

+ H (alegrias)

+ H (esperanças)

+ H (paz)

+ H (viagens memoráveis)

+ H (boas vendas)

+ H (clientes mais felizes e reconhecendo o trabalho do agente)

E mais quantos “H” acharmos necessários. O importante é humanizar.

Published by

Roberto Haro Nedelciu

Roberto Haro Nedelciu trabalhou por 26 anos em uma empresa automotiva multinacional, no departamento de Tecnologia da Informação e já viajou para 80 países. Engenheiro Industrial Mecânico, com MBA em Gestão Empresarial na Fundação Getúlio Vargas, além de sócio da Raidho Viagens, foi também diretor de Tecnologia e vice-presidente da BRAZTOA, entre 2015 e 2019, até assumir a presidência do Conselho de Administração da entidade para o biênio 201/2021. Com espírito aventureiro, tem como hobby o motociclismo e o montanhismo, já subiu até o Campo Base do Everest (Nepal), Kilimanjaro (Tanzânia), Chimborazo (Equador) e o Monte Kota KinaBalu (Malásia).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *