Operadores e agentes: somos peças fundamentais na engrenagem do Turismo

Nos últimos anos, você deve ter lido muito sobre linhas de produção de carros ou outros produtos que precisaram ser paralisadas por conta da falta de uma única peça, não é mesmo? Produtos e serviços são resultado da junção de várias partes interdependentes, assim como no turismo.

Trazendo esta reflexão para o escopo dos operadores e agentes de viagens, penso que somos essa peça essencial. Aquela que se não estiver presente, não tem trabalho que seja bom o suficiente. E, caso tenha sido satisfatório, com a nossa presença, poderia ser memorável.

No começo da pandemia, nosso papel foi reconhecido pelo mercado: cancelamentos, remarcações, adiamentos, informações sobre fronteiras que abriam e fechavam, vacinas exigidas, protocolos em vigor, auxílio nas repatriações. São tantos casos, que aposto que muitas pessoas conhecem alguém que tenha precisado de ajuda em algum desses contextos.

Mas, hoje, não quero falar apenas dos problemas que solucionamos. Quero falar de transformação de vidas. Que você, caro colega de profissão, tem uma infinidade de socorros prestados com competência, não tenho dúvidas. Mas te convido a buscar – e compartilhar – cases de experiências transformadoras, que tiveram a contribuição do seu trabalho, da sua curadoria minuciosamente feita para alguém muito especial: o seu cliente. Seja ele novo ou já fidelizado.

Aproveito para compartilhar um case de uma cliente minha que ganhou destaque em uma recente matéria na imprensa – e, segundo ela, tem inspirado muitas outras pessoas. Com 42 anos, Josiane não queria ir para o Jalapão. Acabou embarcando na viagem por causa da experiência oferecida e porque sentia necessidade de sair de casa e da rotina. A guia que escolhemos para os roteiros era uma professora de constelação familiar (modalidade de terapia alternativa que busca identificar causas de problemas e conflitos pessoais a partir de dinâmicas de grupo).

Ela não esperava que a identificação com o local fosse tão grande, a ponto de se emocionar várias vezes nas visitas às cachoeiras da região. Josiane voltou para casa, onde morava em Curitiba, vendeu tudo o que tinha e se mudou para o Jalapão.

É disso que quero falar. As pessoas podem reservar seus voos, hotéis e passeios? Sim! A internet é um cardápio livre e aberto a todos. Em um momento no qual tudo está a um clique de distância, dizer que nada substitui as relações humanas pode parecer clichê, mas não é nada disso.

É como no caso daquela pessoa que sabe cozinhar muito bem, mas quando quer ser surpreendida, procura a comida dos melhores chefs,  nos melhores restaurantes. EXPERIÊNCIA pura, que só é possível ser oferecida de humano para humano. 

Em 2021, contabilizamos 7,4 milhões de embarques, o que corresponde a um aumento de 124,6% em relação a 2020 (3,3 milhões de pessoas), e 14,2%, se comparado a 2019 (6,5 milhões de viajantes).  Vamos, juntos e cientes da nossa expertise e importância, elevar esses números e transformar a vida de muitas outras pessoas?  

Published by

Roberto Nedelciu

Roberto Haro Nedelciu trabalhou por 26 anos em uma empresa automotiva multinacional, no departamento de Tecnologia da Informação e já viajou para 80 países. Engenheiro Industrial Mecânico, com MBA em Gestão Empresarial na Fundação Getúlio Vargas, além de sócio da Raidho Viagens, foi também diretor de Tecnologia e vice-presidente da BRAZTOA, entre 2015 e 2019, até assumir a presidência do Conselho de Administração da entidade para o biênio 201/2021. Com espírito aventureiro, tem como hobby o motociclismo e o montanhismo, já subiu até o Campo Base do Everest (Nepal), Kilimanjaro (Tanzânia), Chimborazo (Equador) e o Monte Kota KinaBalu (Malásia).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *