BRAZTOA 33 ANOS – TROCANDO AS ASAS COM O AVIÃO EM PLENO VOO

Os 33 anos da BRAZTOA chegaram nesta terça-feira, 31 de maio, dia no qual completo mais um ano de gestão à frente da entidade e abro caminho para outro novo ciclo por aqui. Um novo ciclo para mim e para essa grande associação. Trabalhamos muito, recalculamos rotas, evoluímos, e, mais do que isso, colecionamos novas histórias.

Muitos setores alegam que tiveram que tomar decisões cruciais sem poder parar para planejar ou se preparar, algo como “trocar o pneu com o carro andando”. No turismo, não foi diferente e podemos fazer nossa própria analogia: “trocamos as asas com o avião em pleno voo”. Uma expressão perfeita para resumir este terceiro ano da minha gestão (primeiro do segundo mandato) e dos meus pares no Conselho de Administração da Associação – e tenho certeza de que resume bem o dia a dia dessa recuperação que estamos acompanhando.

Afinal, era tudo o que queríamos: movimento, negócios e vendas estão sendo retomados gradativamente – para alguns, em ocasiões ainda diferentes – mas a tão esperada recuperação do turismo está acontecendo e isso é inegável hoje: temos R$ 7,1 Bilhões de faturamento e um volume de 7,4 milhões de embarques de passageiros atendidos por nossos associados, registrados no Anuário Braztoa 2022.

Não foi fácil chegar nesses números, a gente sabe bem.

E se houve um turbilhão de trabalho em cada um dos nossos associados para reorganizar a casa, compreender um novo panorama comercial, negociar e renegociar com fornecedores e clientes e redirecionar esforços em busca de resultados, aqui nos bastidores do mercado – onde tentamos construir um ambiente para que os negócios turísticos fluam sem problemas – não foi menos complicado. Houve muita lombada no ar.

Já vamos começar por nosso maior empecilho: o Imposto de Renda sobre Remessas ao Exterior não decolou e completou dois anos de existência no dia 22 deste mês de maio, ainda no patamar surreal de 25%. E não faltaram cobranças, reuniões, documentos, buscas de fontes compensatórias, compromissos e promessas. Mas não vamos desistir.

Mas também tivemos outras rotas vitoriosas, sejam externas – como a renovação da lei dos cancelamentos de serviços turísticos, para citar apenas uma das inúmeras pautas institucionais em que atuamos – ou internas. E estas foram várias: as novas maneiras de apresentar destinos conhecidos, como Catalunha e Colômbia; a experimentação e o ar fresco de novos associados; o alinhamento de uma Lei Geral de Proteção de Dados funcional para a operação de viagens; a retomada do Prêmio Braztoa de Sustentabilidade; o reencontro pessoal proporcionado pela Convenção Braztoa.

Isso tudo em conjunto com um trabalho que acontece em paralelo, constante, que também foi essencial para ajudar a recuperação do nosso mercado: a comunicação e os números. A BRAZTOA e seus associados se empenharam muito em consolidar um acompanhamento mensal da evolução dos nossos negócios no Boletim Braztoa. Conseguimos levantar dados consistentes sobre nosso setor e projetar ainda mais a importância das operadoras, do turismo, do agenciamento de viagens em nossa economia. Continuamos sendo pauta constante e positiva na mídia – e aquele consumidor atento ou desavisado, lendo as notícias ou vendo o jornal, já sabe que pode voltar a embarcar tranquilamente conosco.

Foi ainda o ano do voo da Academia de Excelência Braztoa com o Programa Experiências Incríveis, com suas duas turmas nacionais e uma internacional com a Colômbia – que não apenas estão moldando possibilidades de negócios para quem assistiu, mas trouxe uma nova perspectiva para os diversos associados e alunos participantes: comprovou que somos todos absolutos especialistas no que fazemos. Fomos além das grandes marcas que fazem parte do nosso grupo: olhamos para o operador de turismo, o profissional que sobreviveu à pandemia e está, agora mesmo, pivotando o turismo brasileiro.

E isso diz tudo sobre o atual momento da BRAZTOA: nosso trabalho é buscar soluções, encontrar caminhos e fazer conexões, para que nossos associados continuem sendo especialistas e referencias em seus negócios, nas suas vendas, na sua atuação. Enquanto eles, seus fornecedores e agentes de viagens distribuidores direcionam os voos, as rotas e o futuro – no sentido figurado e no dia a dia dos clientes – com a tranquilidade de que vamos trocar todas as peças que forem necessárias.

Deixo aqui meu agradecimento por todas as parcerias, vivências e vitórias a cada um que se conecta a esta rede da BRAZTOA, diretamente ou indiretamente. Que venham novos capítulos, novos ciclos e ainda mais conquistas a todos nós!

Published by

Roberto Nedelciu

Roberto Haro Nedelciu trabalhou por 26 anos em uma empresa automotiva multinacional, no departamento de Tecnologia da Informação e já viajou para 80 países. Engenheiro Industrial Mecânico, com MBA em Gestão Empresarial na Fundação Getúlio Vargas, além de sócio da Raidho Viagens, foi também diretor de Tecnologia e vice-presidente da BRAZTOA, entre 2015 e 2019, até assumir a presidência do Conselho de Administração da entidade para o biênio 201/2021. Com espírito aventureiro, tem como hobby o motociclismo e o montanhismo, já subiu até o Campo Base do Everest (Nepal), Kilimanjaro (Tanzânia), Chimborazo (Equador) e o Monte Kota KinaBalu (Malásia).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *