Torre Eiffel vista do La Réserve Apartments Paris

Como é se hospedar no La Réserve, eleito o melhor hotel de Paris

A revista americana Travel+Leisure anunciou mês passado sua esperada lista anual dos 100 melhores hotéis do mundo. Este World’s Best Awards 2019 apresenta também rankings locais com os dez melhores hotéis de diversos destinos. Dois dos dez melhores de Paris foram considerados bons o suficiente para estarem também no ranking dos cem melhores do mundo: La Réserve Paris Hotel and Spa, em 55º lugar global (o sexto europeu mais bem classificado), e Le Meurice, da Dorchester Collection, em 89º lugar. Aos leitores da prestigiada publicação, a T+L pede que avaliem quesitos como serviço, localização e gastronomia, entre outros.

Aberto há apenas quatro anos e parte da associação Leading Hotels of the World, o reconhecimento do La Réserve chama a atenção. Principalmente se levarmos em conta as muitas boas opções na hotelaria de luxo em Paris. Para citar apenas outras menções mais recentes, ainda em julho, a publicação britânica Condé Nast Traveller incluiu o La Réserve no seu top 10 de “hotéis mais sensacionais de Paris”. Na semana passada o restaurante Le Gabriel, com duas estrelas Michelin, ganhou o prêmio Best of the Best 2019 de “melhor experiência gastronômica”, anunciado durante a Virtuoso Travel Week, em Las Vegas.

Grupo La Réserve inaugura nova propriedade na França

Leela Palace New Delhi: terceiro melhor hotel urbano da Ásia na lista da T+L

Gastronomia, localização e serviço se destacam no La Réserve Paris

Estive no La Réserve pela segunda vez em março deste ano, a convite do hotel. A gastronomia, a localização e a qualidade do serviço de fato são pontos de destaque. O endereço é elegante desde o século 19, na Avenue Gabriel, em frente ao Grand Palais, ao lado da Champs-Elysées e do Palais de l’Elysée (sede da República francesa) e perto das lojas de grife da Rue du Faubourg Saint-Honoré. Neste acolhedor hotel boutique com jeito de palácio, a decoração assinada pelo designer parisiense Jacques Garcia é intimista nas 40 acomodações (várias com vistas para cartões-postais da cidade; 25 suítes e 15 quartos a partir de 40 metros quadrados) e suntuosa nas áreas comuns. Meu ambiente preferido é a confortável biblioteca em tons de verde escuro, que tem ainda um bar secreto apenas para hóspedes.

Outro ponto alto deste belo hotel fica no subsolo: a piscina de 16 metros de extensão, com água aquecida, aberta 24 horas. É só chegar para nadar que as cortinas da parede de vidro que separa a piscina do restante do spa são fechadas, garantindo privacidade. Ao redor estão apenas três salas de tratamentos personalizados de rejuvenescimento com produtos suíços.

A brasserie comandada por Jérôme Banctel, chef do Le Gabriel | Foto de Carla Lencastre

As mesas da brasserie Le Pagode des Cos, voltadas para um jardim interno, são disputadas no almoço. O cardápio tem a assinatura do chef Jérôme Banctel, que conquistou as estrelas Michelin para o Le Gabriel em seu primeiro ano. Ter liberdade de pedir café da manhã no horário em que der vontade é um dos maiores luxos da hotelaria. No caso do La Réserve, o Pagode des Cos muda o menu para o almoço. Mas quem acorda mais tarde pode ser servido no próprio quarto, bien sûr, ou no bar, tranquilo durante o dia. Conforme as horas passam, é lugar para um drinque autoral ou clássico.

Quartos e suítes são decorados em estilo Haussmann com confortos tecnológicos, como iPad para controle de temperatura e iluminação. Do balcão da minha suíte via-se a cúpula do Grand Palais e, à distância, a Basílica do Sacré-Coeur, em Montmartre. No closet, confortáveis roupões em tons pastel, as peças mais vendidas do hotel. A sala de banho, em mármore de Carrara preto e branco, dispõe de chão aquecido, duas pias e banheira.

Com fachada em pedra e porta vermelha, a construção de 1854, pertenceu ao Duque de Morny, meio-irmão de Napoleão III e, no século 20, ao estilista Pierre Cardin. Hoje faz parte do exclusivo portfólio La Réserve, do empresário francês da área de hospitalidade Michel Reybier. O grupo inaugurou agora La Maison d’Estournel, em Sainte-Estèphe, a uma hora de carro de Bordeaux. É possível se hospedar também em La Chartreuse, casa na premiada vinícola Château Cos d’Estournel, residência da família de Reybier.

Com a marca La Réserve, há ainda os Apartments Paris, com serviços, na Place du Trocadéro (na foto no alto do post, a vista da Torre Eiffel é de um dos apartamentos) ; o Ramatuelle, no Sul da França, a 15 minutos de carro de Saint-Tropez; o restaurante À la Plage, em parceria com o designer Philippe Starck, em Pampelonne, também na região de St-Tropez), e o Genève, na Suíça, o pioneiro. Para o final do ano está previsto o Eden au Lac Zurich. Tanto os apartamentos quanto os hotéis têm o exclusivo selo Traveller Made.

Como é se hospedar no renovado Mandarin Oriental Hyde Park, em Londres

Traveller Made: novos hotéis de luxo para ficar de olho

Traveller Made antecipa tendências e novidades da hotelaria de luxo

Hotel Inspectors está também no Instagram @HotelInspectors, no facebook @HotelInspectorsBlog e no Twitter @InspectorsHotel.

Virtuoso premia os melhores hotéis do mundo

Estou nesta semana em Las Vegas, participando da 31a. edição da Virtuoso Travel Week. O evento, promovido pela maior rede de experiências e viagens de luxo do mundo e que conta com mais de seis mil participantes neste ano, é importante não apenas por revelar as tendências que devem nortear o turismo de luxo no mundo nos próximos meses (falo sobre isso neste texto aqui) como também por anunciar os vencedores da edição 2019 do seu tradicional Best of the Best Awards.

O prêmio reconhece os melhores hotéis e hoteleiros do segmento do turismo de luxo em diferentes categorias. O grande vencedor da edição 2019 foi o hotel Four Seasons George V Paris (um dos meus hotéis favoritos do mundo, falo dele aqui e aqui), que levou o prêmio de Hotel do Ano.

Foto: Mari Campos

O programa Virtuoso Hotels & Resorts, lançando em 1992 com apenas 20 hotéis, hoje conta com um portfólio de mais de 1.400 hotéis, resorts, casas de campo, tendas de luxo e ilhas em mais de 100 países. Nesta edição 2019 do Virtuoso Best of Best também foram premiados o Rosewood Hong Kong, China, como melhor design; o La Réserve Paris como melhor experiência gastronômica em seu irretocável Le Gabriel; o Four Seasons at The Surf Club, Surfside, EUA, como melhor bar; o incrível Emirates One&Only Wolgan Valley, na Austrália, como liderança em turismo sustentável (outro dos meus hotéis preferidos no planeta); o Grand Velas Riviera Maya, no México, como melhor programa familiar; e o Miraval Arizona Resort & Spa, nos EUA, como melhor programa de Bem-Estar. No quesito “novidade”, o destaque ficou por conta do Montage Los Cabos, no México, propriedade adicionada ao portfólio Virtuoso no ano passado.

Foto: Mari Campos

Hoteleiros e profissionais do setor também foram premiados, como Carlos Quereda, da Querido Representation Co, que levou o troféu de melhor embaixador de hotéis Virtuoso, e Amanda Hyndman, do Mandarin Oriental Hyde Park London, no Reino Unido, que ganhou como hotelier do ano.

Durante a Virtuoso Week diversas novas aquisições, novidades e aberturas hoteleiras do mundo todo foram anunciadas também e acompanhei tudo de pertinho – em breve, mais detalhes por aqui, incluindo a novíssima penthouse suite do Park Hyatt New York, com vista panorâmica para o Central Park, que acaba de abrir as portas e brinda seus hóspedes com transfers ida e volta em helicóptero a partir de qualquer aeroporto de Nova York, sem custos extras.

Flavia Duque, da AG1Tur, de Curitiba, se reúne com hoteleiros estrangeiros durante o evento. Foto: Mari Campos

Hoje são mais de 1.000 agências integrando a rede Virtuoso apenas mediante convite, reunindo mais de 20.000 consultores de viagem em mais de 50 países por toda a América do Norte, América Latina, Caribe, Europa, Ásia-Pacífico, África e Oriente Médio, que somam mais de de US$ 26,4 bilhões em vendas anuais. 

Siga também nossas redes sociais para ficar por dentro de todas elas: Instagram @ HotelInspectors,facebook @HotelInspectors e  Twitter @HotelInspectors.

Leela Palace New Delhi: terceiro melhor hotel urbano da Ásia

A esperada lista World’s Best Awards 2019 da Travel and Leisure acaba de ser divulgada e, como sempre, agita o mercado hoteleiro. Afinal, quem é que não quer ver sua propriedade figurando entre os melhores do mundo, segundo uma das mais prestigiosas publicações internacionais do setor?

A lista deste ano trouxe repetecos bem-vindos – como a escolha da rede Six Senses como a melhor rede hoteleira do mundo – , mas trouxe novidades que nos chamaram atenção. Como, por exemplo, o fato do The Leela Palace New Delhi ter sido escolhido o terceiro melhor hotel de todo o continente asiático.

Afinal, a Ásia é um dos continentes mais férteis do mundo para hotelaria de primeira linha. Veio de lá também o melhor hotel do mundo no ano passado, o Four Seasons Bali at Sayan (que considero também um dos melhores hotéis do meu mundo) e o vencedor deste ano, o Leela Palace Udaipur, na Índia.

A própria Índia é um país que preza pela hotelaria de altíssima qualidade, como já falamos aqui. E Delhi mesma tem vários excelentes hotéis de personalidades bem diferentes espalhados pela cidade toda – mas o Leela Palace merece, sim, estar entre os 100 melhores hotéis do mundo na lista da Travel and Leisure deste ano. Na categoria hotéis urbanos na Ásia, o Leela Palace New Delhi perdeu no ranking deste ano apenas para o novo Rosewood Beijing e para o Oberoi Mumbai.

O The Leela Palace New Delhi realmente superou todas as minhas expectativas durante minha hospedagem ali em abril último, durante um longo périplo indiano – e olha que já me hospedei em diversas pérolas da hotelaria indiana, inclusive na própria capital (como o incrível The Lodhi, do portfólio da Leading Hotels of the World).

O Leela Palace New Delhi segue o melhor estilo da hotelaria indiana, com excelência em serviços e acomodações super confortáveis – mas sem pecar em nenhum momento por excesso. Construído especificamente para ser um hotel de luxo, tem todos os seus móveis e objetos de décor feitos sob medida por artesãos locais – e chama atenção também pelo esmero nos muitos arranjos de flores espalhados pela propriedade toda.

Há certa opulência no lobby de entrada, mas os demais ambientes são bastante contemporâneos e cálidos, daquele tipo que faz o hóspede se sentir confortável rapidamente. Até mesmo a decoração dos quartos, que remete às vibes palacianas aqui e ali, são delicadas e aconchegantes – sua categoria standard tem os maiores quartos da cidade nesta categoria de entrada. Os quartos, aliás, têm excelente isolamento acústico, banheiros em mármore com banheira e chuveiro separados, cafés, chás e biscoitos cortesia e acesso ao sistema de mordomo.

A localização na área das embaixadas de Delhi permite deslocamentos razoavelmente fáceis tanto para o aeroporto como para zonas mais turísticas da cidade (e há muitas opções de restaurantes e compras nos arredores). Da bela rooftop pool com borda infinity no último andar – com água sempre mantida em perfeitos 26 graus – há vista panorâmica para Nova Delhi todinha.

São quatro restaurantes de especialidades diferentes (Internacional, Indiana, Japonesa e Italiana) abertos para almoço e jantar e um ótimo speakeasy bar, o Library Bar. O imenso buffet de café da manhã é servido diariamente no belíssimo Qube, inteiramente construído como um cubo de faces de vidro nos jardins do hotel – com décor cheio de espelhos que permite reflexos caprichados da paisagem externa no interior do restaurante. E ainda há um belo ESPA spa na propriedade.

Não fiquei hospedada em outros hotéis da rede Leela, mas a participação da unidade de New Delhi no World’s Best 2019 está corretíssima na minha opinião. A lista completa dos melhores hotéis do ano segundo a Travel and Leisure pode ser conferida aqui.

E dá pra conferir minha review completinha sobre o Leela Palace New Delhi aqui.

Siga também nossas redes sociais para ficar por dentro de todas elas: Instagram @ HotelInspectors,facebook @HotelInspectors e  Twitter @HotelInspectors.

Luxo segundo a Forbes Verified List

Quando vai terminando o ano, sempre “pipocam” listas de destinos, hotéis e spas para ficarmos de olho no ano seguinte. Aqui nos Inspectors nós sempre adoramos estas listas! Mas com tantas listas de “melhores hotéis” circulando mundo afora e uma definição cada vez mais heterogênea (e muitas vezes confusa) do que seria luxo se espalhando por aí, o Forbes Travel Guide, guia de viagens da americana Forbes, resolveu inovar.

Imagem: Forbes website

Internacionalmente celebrado por sempre destacar os melhores hotéis do mundo, o guia acaba de lançar esse mês uma nova medida para elencar os seus hotéis prediletos: o selo “Forbes Verified List” , que destaca propriedades com níveis de luxo e serviço excepcionais. A ideia da publicação é garantir aos seus leitores que a percepção de luxo nas propriedades selecionadas seja realmente indiscutível, independentemente das referências pessoais de cada viajante. 

O novo selo traz duas coleções: de melhores hotéis e de melhores spas do mundo – e a ideia é que as listas sejam atualizadas anualmente. Para este 2018, foram selecionados 58 hotéis (52 cinco estrelas e seis quatro estrelas) e 30 spas em 17 países diferentes, cuja qualidade e padrão de serviços realmente se destacam no mercado de luxo. 

A excelência de serviço dos hotéis do grupo Mandarin Oriental é destaque na lista. Foto: Divulgação

A nova verified list considerou mais de novecentos critérios diferentes de exigências do mercado de luxo, com inspetores anônimos da Forbes (que se hospedaram em mais de mil hotéis em 60 países) e hóspedes regulares avaliando conjuntamente as experiências em cada propriedade, incluindo não apenas as instalações e serviços em geral, mas também levando em consideração o ambiente geral, a qualidade das amenidades e diversos outros itens. Estados Unidos, China, Indonésia, Itália e México são os cinco países com mais hotéis e spas nas listas, incluindo destinos como Macau, Las Vegas, Nova York, Bali, Los Angeles, Londres, Hong Kong e Manila.

Para os hotéis, critérios como ter arredores peculiares, fazer bom uso do “sense of place” (deixando óbvio o destino em que se inserem), investir nos “thoughtful touches” (das toalhinhas geladas da academia às flores frescas e bilhetes escritos à mão nos quartos), as paisagens à vista, o conforto excepcional nos quartos, a apresentação caprichada de alimentos e bebidas e atenção extra ao design foram levados muito a sério durante o levantamento.  Dentre os destacados na lista, o grupo Mandarin Oriental foi o mais premiado, com sete hotéis (Milão, Munique, Nova York, Bangkok, Hong Kong, The Landmark e Singapura) selecionados. 

Detalhe do Nizuc Resort & Spa, no México. Foto: Mari Campos

Para os spas, itens como o nível de relaxamento/privacidade/conforto/ silêncio dentro da sala de tratamento, o espaço e conforto das áreas públicas, a fartura (e qualidade) das amenidades de higiene e beleza e a combinação de elementos sensoriais com o “sense of place” foram também levados em consideração.  Neste quesito, o mesmo Mandarin Oriental foi novamente o grupo mais premiado, com seus spas nos hotéis de Miami, Cantão, Singapura e Tóquio entre os mais detacados. Também foi selecionado o spa ESPA do adorável NIZUC Resort & Spa , no México, que acabo de experimentar – um dos mais surpreendentes e consistentes spas que conheci nos últimos tempos (falarei mais sobre o spa e o hotel em si por aqui em breve). 

Tanto para hotéis como para spas, a qualidade das instalações e serviços associada às ideias de “personalização e busca pelo extraordinário e excepcional” norteou as avaliações finais da Forbes para essa nova lista – o que tem muito a ver com o que nós, seus “hotel inspectors” de estimação, sempre levamos em consideração ao avaliar os hotéis de luxo nos quais nos hospedamos. Porque no mercado de luxo já não basta mais ser bom; é preciso mesmo ser excepcional, surpreender e tratar cada hóspede individualmente. 

Dá pra conferir a nova verified list de hotéis da Forbes aqui e sua lista dos melhores spas aqui. Para sonhar acordado. 

Os melhores hotéis do mundo

Nesta semana, saiu a esperadíssima lista da Travel+Leisure com os prêmios de “melhores hotéis do mundo”. Assim como a listagem da concorrente Condé Nast Traveler, esta lista tem hoje em dia absurda influência na indústria turística internacional, seja entre viajantes, entre agentes de viagem ou no próprio mercado hoteleiro mesmo.

Afinal, todo hoteleiro quer ver sua propriedade entre os chamados “melhores hotéis do mundo”, certo? E todo viajante, independente do budget e das probabilidades (a gente bem sabe o quanto o aspiracional é importante nos desejos de viagem), sonha em também se hospedar nos “melhores hotéis do mundo”.

A lista deste ano contempla não apenas os melhores hotéis, mas também faz um ranking das melhores ilhas, cidades, armadores de cruzeiros, aeroportos etc – selecionados, em princípio (há várias discussões sobre a fórmula utilizada atualmente por estas publicações para estes rankings), através do voto dos leitores. Alguns dos quesitos estão também separados geograficamente para quem estiver interessado em apenas uma região específica do planeta. 

Mas a cereja do bolo continua sendo a hotelaria, é claro. De acordo com a lista, as 20 melhores marcas hoteleiras do mundo hoje são Shangri-la, Four Seasons, St Regis, Thompson, Banyan tree, Taj, Montage (uma rede de hotéis boutique com apenas seis propriedades no mundo), Anantara, COMO, Aman, Auberge, Alila, The Peninsula, The Leela Palaces, Rosewood, One&Only, Oberoi, Oetker Collection, Red Carnation (uma empresa ainda familiar) e Six Senses.

A Six Senses Hotels and Resorts foi a grande vencedora, apontada como a melhor marca hoteleira do mundo todo – feito bastante celebrado nos últimos dias por se tratar de uma empresa cujos hotéis primam não apenas pela excelência em serviço mas também pelas localizações extraordinárias e pelo foco indiscutível em sustentabilidade, um fator ainda infelizmente tão pouco levado à sério pela hotelaria internacional. Em rápida expansão, a Six Senses inaugurou diversos hotéis nos últimos meses e tem novos hotéis para abrir as portas em breve em destinos como Butão, Bali e Israel.  Seu hotel em Portugal, Six Senses at Douro Valley, figura também na lista dos melhores do mundo. 

Foto: Divulgação

O ranking dos 100 melhores hotéis é absolutamente inspirador, com propriedades nos cinco continentes que vão de hotéis boutique a resorts à beira-mar, de pequenos lodges a palácios. Em viagens pessoais de férias e também em viagens a trabalho tive o prazer de me hospedar em vários dos hotéis premiados, em diferentes continentes. Na lista deste ano, a América Latina ganhou destaque com propriedades premiadas do México à Patagônia chilena e a Europa ficou com 18 hotéis premiados. Mas a Ásia é a grande menina dos olhos da premiação deste 2018: nada menos que 27 hotéis premiados no continente asiático, incluindo o hotel que lidera a lista como o melhor do mundo, o espetacular Four Seasons Bali at Sayan.

A rede Four Seasons tem dois resorts na paradisíaca Bali. Mas é justamente o Four Seasons Bali at Sayan que figura também na minha lista pessoal de melhores hotéis do (meu) mundo – voltar a me hospedar ali é um sonho constante. Localizado na idílica Sayan, a dez minutinhos da adorável Ubud e em meio a terraços de plantações de arroz, o hotel está completando 20 anos de existência com um serviço cada vez mais exclusivo e premiado em seus apenas 60 quartos distribuídos em uma gigantesca propriedade. 

Foto: Divulgação

O nosso impacto ali já começa logo na chegada: localizado no Ayung River, o resort fica isolado e, exclusivíssimo, é acessível através de uma ponte suspensa entre coqueiros e arrozais. Cada uma das vilas tem não apenas sua própria piscina privativa como também um lily pond exclusivo (os típicos reservatórios d’agua cheios de lírios de Bali) e espaço para meditação no andar superior. Tem um dos melhores e mais atenciosos serviços da hotelaria que eu já vi, excelente restaurante e diversas atividades possíveis, de um belíssimo spa a aulas de culinária balinesa ou tour pelos arrozais e comunidades dos arredores. 

Dá pra ler mais detalhes da minha estadia no Four Seasons Bali at Sayan aqui e  a lista completa dos melhores hotéis do mundo segundo a Travel+Leisure você pode conferir aqui. 

 

 

 

 

Para ficar por dentro destas e de outras histórias da hotelaria no mundo acompanhando a gente também no Instagram @HotelInspectors, no Twitter @inspectorshotel e no facebook @HotelInspectorsBlog.