Como está nosso “mix” ?

Essa semana estive participando do WEC – World Education Congress do MPI (Meeting Professional Internationals), um evento para profissionais da indústria de eventos com quase 3 mil pessoas.

Mas meu comentário está voltado para a imagem de uma cidade, Orlando, conhecida pelos brasileiros como lugar de férias com crianças, parques temáticos e aventura.

Trata-se de uma cidade que tem, com a mesma intensidade, uma estrutura para realizar eventos. Hotéis próximos ao Centro de Convenções, como o Piebody ou o Hilton, também têm enormes e profissionais estruturas para eventos, ligadas diretamente ao Centro de Convenções da cidade.

Se você vai à trabalho, tem os serviços para sua motivação de viagem, as necessidades de internet, business center, restaurantes diferenciados, atendimento e outros serviços, são para profissionais, executivos, e não para os que estão à passeio.

Trago a reflexão para nossa realidade, sem aquela bobagem de achar que os americanos são melhores, esquece. Minha reflexão é sobre como nossas cidades, serviços, hotéis, centros de convenções, organizadores de eventos estão se preocupando e organizando as viagens de participantes de eventos ou viajantes a negócios de forma diferenciada e atendendo às suas necessidades.

Published by

Jeanine Pires

Palestrante e consultora apaixonada pelo turismo com 25 anos de experiência no Brasil e no exterior. Diretora da Pires Inteligência em Destinos e Eventos e Diretora da MATCHER, sua especialidade é marketing de destinos, tendências em turismo e o segmento de eventos. Presidiu a EMBRATUR de 2006 a 2010, onde também foi Diretora de Turismo de Negócios e Eventos desde 2003. Já atuou como Presidente do Conselho da Fecomércio São Paulo e da WTM Latin America.

7 thoughts on “Como está nosso “mix” ?

  1. Oi Jeanine, estive no Rio em dois finais de semana e a hotelaria está preparadíssima para os eventos e está sabendo atender os diversos públicos. Não entendi fecharem o Santos Dumont para o evento de sábado, mas ossos do ofício. Em outras cidades…sei não

    1. Que boa notícia! Uma cidade que precisa atender uma demanda tão diferente de lazer, eventos, negócios e com os desafios que estão pela frente!

  2. Jeanine,

    Desculpe minha petulância em discutir este assunto (não possuo todos os fatos e dados nas mãos), mas não vejo nossas cidades atuando em harmonia quanto às opções para os turistas de eventos, negócios ou lazer.

    Até o momento coube somente ao empresariado criar as opções de transporte, hospedagem e entretenimento de nossas principais cidades, sem que houvesse um plano diretor formal e estruturado pelas cidades. Não sei se por conta do problema de continuidade das prefeituras ou estados…

    Tenho esperança que profissionais como você ajudem a mudar este status quo, influenciando positivamente a municipalidade e o estado.

    Abraços

    1. Gustavo, obrigada por entrar no debate. Somente assim cada um pode dar uma opinião diferente e todos podem aprender mais.
      Acredito que a demanda em turismo estará cada vez mais fragmentada, ou seja, diferentes clientes com necessidades diferentes, difíceis de agradar. Essa é a minha reflexão tanto para serviços públicos como privados.

  3. Oi Jeanine,

    Eu concordo com o Gustavo, acho que ainda precisamos nos aprimorar. Fazer o viajante de negócios ficar mais um ou dois dias para ‘curtir’ a cidade seria um bom começo!

    Apesar de os Americanos terem mil defeitos (não sou muito fã deles) tenho que tirar o chapéu em alguns momentos. Visitando o site do WEC 2011, enquanto lia um descritivo fui ‘fisgada’ por aqueles anúncios que ficam piscando no canto da página. Ali aparecia uma ‘propaganda’ da Universal com um logo dos parques do Homem Aranha e Simpsons. Logo pensei, o que este anúncio está fazendo aqui nesse site?! Mas logo me calei. Na continuação aparecia algo assim: ‘faça seu evento conosco. Temos estruturas para tal.’
    Esses caras sabem trabalhar!

    1. Agora que acabei de escrever me lembrei de outra coisa.
      Visitando o Zoo de Hannover na Alemanha fui surpreendida pelos incríveis espaços para eventos que eles tem! E para eventos muito além de festinha de aniversário de criança…
      Esse é outro povo que sabe ver lá na frente!

      1. Camila, concordo com vocês. Tanto as cidades, os serviços privados como empresários do turismo estão buscando ser mais competitivos. E pra isso, o que oferecemos deve estar voltado para atender ao cliente, que são vários diferentes clientes. Muitas vezes no mesmo lugar ao mesmo tempo.
        Precisamos pensar de forma diferente. Além de dizer temos isso e aquilo, precisamos mostrar diferenciais de destinos e produtos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *