Fornatur: carta aos presidenciáveis

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em sua carta aos candidatos à presidência de 2018, o Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo, o Fornatur, busca deixar claro a importância do turismo para o desenvolvimento do país. Para isso, o texto começa explicitando os efeitos negativos que um mau desempenho no segmento turístico pode gerar na balança comercial, e traça um comparativo entre o impacto econômico do turismo no Brasil e em outros países da América Latina.

Gráficos ajudam a mostrar a desproporcionalidade entre o potencial turístico do país e os investimentos feitos no setor. O Brasil que, segundo o Fórum Econômico Mundial, ocupa o primeiro lugar em atrativos naturais, se encontra na 126º posição no quesito priorização do turismo pelo governo. E para atrair a atenção dos presidenciáveis para essa questão, o Fornatur apresenta dados sobre a influência positiva desta área no país, principalmente como segmento fundamental na geração de empregos.

Distribuída em quatro eixos estratégicos (governança, infraestrutura, produtos e promoção), a proposta é apresentada. Sendo cada um desses pontos exibidos através de uma série de demandas, ações e objetivos que possuem a finalidade de traçar um caminho para uma melhora substancial do setor. Entre os pontos apresentados estão: aumentar o orçamento do Ministério do Turismo, efetivar a implantação do Plano Nacional de Turismo (2018-2022), melhorar a estrutura dos portos e aeroportos nacionais, ampliar o visto eletrônico e a dispensa do visto para mercados estratégicos e fortalecer a rede de inteligência de mercado turístico (RIMT).

(Veja aqui o post com as propostas da CNC: https://bit.ly/2wIFJFJ)

Propostas dos empresários para os candidatos à presidência

 

 

 

 

 

 

 

 

Mostrando o valor do Turismo como fator importante para o crescimento econômico, o Conselho Empresarial de Turismo e Hospitalidade (Cetur)/ CNC produziu um documento que objetiva lançar propostas para impulsionar a indústria do turismo no Brasil. Em sua introdução, o texto, encaminhando aos presidenciáveis de 2018, exibe dados financeiros que evidenciam o reflexo do turismo na economia brasileira e mostram o cenário atual do setor.

Ainda no início é abordada a relação entre a iniciativa privada e as políticas públicas, e como o desequilíbrio entre esses dois polos pode interferir consideravelmente no desenvolvimento da área. São apontadas, também, as deficiências causadas por diversos problemas enfrentados dentro do segmento, como a falta de infraestrura e outros desafios que demandam a cooperação entre os setores públicos e privados. E são elencadas iniciativas para impactar positivamente o mercado turístico no Brasil, com a finalidade de promover uma harmonia e conectividade maior entre esses dois setores.

As propostas para desenvolver o turismo foram divididas em cinco pilares de ação: infraestrutura; promoção; segurança jurídica; competitividade; gestão e monitoramento. Cada um desses pilares agrupa um conjunto de projetos de crescimento. E entre eles estão: criar uma política nacional e permanente de sinalização turística, ampliar e garantir maior eficiência do setor de transportes, fortalecer a Marca Brasil e desenvolver estratégias para captação de turistas estrangeiros, regulamentar o uso de plataformas digitais na comercialização de serviços e produtos de turismo, garantir uma estrutura adequada de governança e incentivar os projetos de cooperação regional.

(Veja o documento completo aqui: https://bit.ly/2LmqabM)

Turismo: as propostas dos candidatos à presidência

 

 

 

 

 

 

Com a aproximação do período eleitoral, decidimos trazer os projetos para o turismo dos principais candidatos à presidência do Brasil. Para essa finalidade, fomos atrás dos planos de governo dos cinco candidatos com mais intenções de voto, segundo a pesquisa XP/Ipespe, realizada entre os dias 13  e 15 deste mês. Veja abaixo (os nomes estão em ordem alfabética):

CIRO GOMES (PDT)
Planeja o desenvolvimento do turismo sustentável e informa que o turismo será estimulado para contribuir com o crescimento da economia brasileira e da geração de empregos.

GERALDO ALCKMIN (PSDB)
Propõe o favorecimento do empreendedorismo no setor turístico através do crescimento da indústria 4.0, da economia criativa e da indústria do conhecimento. Também comunica que pretende priorizar políticas que permitam às regiões Norte e Nordeste se desenvolverem plenamente neste segmento.

JAIR BOLSONARO  (PSL)
Em segundo lugar nas pesquisas de intenções de voto, o candidato não apresenta proposta específica para o setor turístico em seu plano de governo.

LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA  (PT)
Ressalta a importância do setor turístico, apresentando informações variadas sobre o impacto positivo do turismo no Brasil. Aponta as deficiências, enxergadas por ele, no segmento e lança suas propostas de melhoria. As principais são: aumentar recursos para a promoção do Brasil no exterior e usar o marketing digital como ferramenta; fomentar a concorrência e melhorar a infraestrutura das estradas, aeroportos e portos; qualificar trabalhadores para este segmento; buscar parcerias para a obtenção de financiamentos externos; estimular a participação das lideranças empresariais do setor.

MARINA SILVA (Rede)
Em seu plano de governo, a candidata traz alguns dados sobre a área do turismo no Brasil e no mundo e destaca a importância da área na geração de empregos e, consequentemente, na economia. Também apresenta os pontos fracos e fortes do turismo no Brasil e expõe seus planos para o setor. Entre os pontos a serem destacados estão: estimulação da capacitação permanente de mão de obra, articulação da cadeia do turismo com outras cadeias produtivas, fomentação de programas de divulgação interna e externa de destinos turísticos, criação de parcerias com municipalidades para conservação e melhorias de equipamentos turísticos, investimento em projetos de infraestruturas e promoção de um programa integrado de turismo sustentável.